Extensão

Estudantes do Câmpus CP participam de ação de extensão para treinamento de pessoas cegas

No período de 05 a 19/06, foi realizado, no Câmpus CP, um treinamento para pessoas cegas atendidas pela Visiaudio – Centro de Atendimento Especializado na Área de Deficiência Visual e Auditiva – de Cornélio Procópio, por meio de uma ação de extensão proposta pelo professor Luciano Tadeu Esteves Pansanato.  A iniciativa foi resultado de uma ação conjunta com o NAPNE para atender à demanda apresentada pelo centro Visiaudio.

O NVDA (Non Visual Desktop Access) é um leitor de tela utilizado principalmente por pessoas cegas e que fornece informações através de síntese de voz sobre os elementos exibidos na tela do computador. O treinamento foi definido com o seguinte conteúdo programático: instruções gerais do uso do teclado com NVDA e noções de digitação; tela inicial clássica do Windows e a lista de ícones e atalhos; configuração do NVDA e principais opções; e navegação em páginas web com o NVDA. O treinamento foi realizado em um dos laboratórios do Departamento Acadêmico de Computação (DACOM).

O treinamento ofereceu a oportunidade para a participação de seis alunos de graduação em atividades de extensão universitária: três de Engenharia de Computação, dois de Engenharia de Software e um de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Os alunos concordaram em participar deste projeto mesmo sem receber auxílio financeiro, executando o plano de trabalho na condição de voluntário. O envolvimento da comunidade discente em ações dessa natureza tem efeito multiplicador, pois mais alunos podem ter interesse a partir da divulgação das atividades que foram desenvolvidas.

O treinamento no uso do leitor de tela NVDA promoveu uma introdução ao uso do computador para os participantes. O conhecimento adquirido, aliado à prática regular, contribui para permitir que os participantes tenham uma vida independente.

A criação de oportunidades de treinamento em tecnologias é importante para a inclusão social e a autonomia da pessoa com deficiência. O atendimento adequado às pessoas cegas, permite a identificação e o desenvolvimento das suas potencialidades individuais. A principal perspectiva de continuidade é a participação da equipe em novas ações de extensão com o objetivo de ampliar o conhecimento e as habilidades desses participantes no uso do computador. Nesse contexto, devem ser oferecidas novas oportunidades para a participação de alunos de graduação em atividades de extensão.

Atualizado em 05/07/2017

Ações do documento