Você está aqui: Página Inicial > Defesas > PPGTE (Doutorado): Vanessa Ribeiro
conteúdo

PPGTE (Doutorado): Vanessa Ribeiro

por vaniagalliciano publicado 06/09/2018 13h34, última modificação 06/09/2018 13h34
Discursos sobre o universo do trabalho e da tecnologia no romance Usina, de José Lins do Rego
Quando
23/11/2015
de 09h00 até 13h00
(America/Sao_Paulo / UTC-200)
Onde
Sede Central: Sala C-301
Pessoa de contato
Participantes
Profa. Angela Maria Rubel Fanini, Dra. Orientadora - UTFPR
Banca Examinadora:
Profa. Alice Atsuko Matsuda, Dra. Presidente - UTFPR
Profa. Eliane Aparecida Galvão Ribeiro Ferreira, Dra. - UNESP
Profa. Níncia Cecília Ribas Borges Teixeira, Dra. - UNICENTRO
Prof. Wilton Fred Cardoso de Oliveira, Dr. - UTFPR
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Esta tese consiste em uma análise dialógica das construções discursivas sobre o universo do trabalho e da tecnologia no romance Usina, de José Lins do Rego, publicado em 1936. Para conduzir a análise proposta, esta pesquisa parte dos pressupostos teóricos de Mikhail Bakhtin e do círculo, estudiosos da linguagem, para quem o romance é um grande enunciado que nasce de um espaço sócio-interativo. Nessa mesma perspectiva dialógica, em relação ao universo do trabalho e da tecnologia, este estudo busca reflexões de importantes pensadores, a saber: Marx, Engels, Lafargue, Lukács, Sennett e Heidegger. A composição do discurso que se apresenta neste estudo se estrutura a partir da seleção desses autores e de outros, presentes, em sua maioria, nas ementas das disciplinas do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia (PPGTE), mais especificamente, no Projeto de Pesquisa “A formalização discursiva do universo do trabalho e da tecnologia em textos literários brasileiros”, a que se vincula esta tese. As construções discursivas sobre trabalho e tecnologia são investigadas a partir de um circuito de vozes presente no romance. Esse circuito de vozes fortalece a ideia-chave, síntese crítica do autor, sua reflexão sobre a vida laboral nos engenhos e nas usinas, a de que no tempo de engenho havia relações mais humanizadas entre os homens e destes com a natureza, apontando para um trabalho como fator de maior socialização, portanto. A arquitetônica do romance se constitui por um enunciado que se estabelece pela repetição dessa tese, garantida pelo circuito de vozes. Essa multiplicidade de vozes, representada pelas personagens e pelo narrador, é organizada pelo autor de forma que o tom da narrativa evidencie a antropomorfização da usina. Em resistência a esse discurso de determinismo tecnológico, no campo simbólico, o autor se vale de outros discursos, como o da tradição cristã, na voz das personagens, D. Dondon, esposa do usineiro, agregados e trabalhadores do eito do tempo de engenho, para fazer imperar essa sua tese. Para tanto, o autor organiza os eventos narrativos de modo que no plano enunciativo fique evidente para o leitor dois momentos: o de ascensão e o de decadência da maquinaria moderna na usina Bom Jesus. No primeiro, com a modernização dos maquinários da usina que simboliza a ascensão desse sistema, ou seja, com o trabalho sob os preceitos do capitalismo, a natureza vai se esfacelando e as relações humanas e do homem com a natureza vão se tornando menos humanizadas em um sentido de trabalho estranhado. No segundo, com a falência dos negócios na usina Bom Jesus, o autor sinaliza para um processo de humanização, no qual, sobretudo, a natureza se apresenta de modo personificado, como resposta punitiva à ambição humana.
Palavras-chave: Universo do trabalho e da tecnologia. Romance nacional. Análise dialógica da linguagem. José Lins do Rego. Romance Usina.

Discourses regarding the labor and technology universe in the novel Sugar Mill, by José Lins do Rego

Abstract: This thesis consists of a dialogical analysis of the discursive constructions regarding the labor and technology universe in the novel "Sugar Mill" by José Lins do Rego, published in 1936. To conduct the proposed analysis, this research is based on the theoretical assumptions of Mikhail Bakhtin and the circle, language scholars, for whom the novel is a great statement which is born from a social-interactive space. On this same dialogical perspective, in relation to the labor and technology universe, this study seeks reflections of important thinkers, such as: Marx, Engels, Lafargue, Lukács, Sennett and Heidegger. The composition of the discourse presented in this study is structured from the selection of these authors and others, present, mostly in the syllabus of the disciplines of the Postgraduate in Technology Program (PPGTE), more specifically, in the Research Project "The discursive formalization of work and technology universe in Brazilian literary texts" that binds this thesis. The discursive constructions about work and technology are investigated from a circuit of voices present in the novel. This circuit of voices strengthens the key idea, critical synthesis of the author, his reflection on the working life on the plantations and the sugar mills, which in the ingenuity years there were more humane relations between people and between them and nature, pointing to a work as greater socialization factor, thus. The architectural of the novel is constituted by a statement which is established by the repetition of this thesis, guaranteed by the circuit of voices. This multiplicity of voices, represented by the characters and the narrator, is organized by the author so that the tone of the narrative evidences the anthropomorphization of the sugar mill. In resistance to this discourse of technological determinism, in the symbolic field, the author makes use of other discourses, such as the Christian tradition, the voice of the characters, D. Dondon, the sugar mill owner's wife, aggregates and workers from the ingenuity years, to make his thesis prevail. For this reason, the author organizes the narrative events so that the enunciation plan is evident to the reader in two moments: the rise and the decline of modern machinery at the Bom Jesus mill. In the first moment, with the modernization of the machinery of the mill which symbolizes the rise of this system, that is, working under the precepts of capitalism, the nature starts to crumble and human relations and of man with nature become less humanized in a sense of estranged labor. In the second, with business failure at the Bom Jesus sugar mill, the author signals for a humanization process in which, above all, the nature presents in a personified way, as a punitive response to human ambition.
Keywords: Work and technology universe. National novel. Language Dialogical Analysis. José Lins do Rego. Sugar Mill novel (Usina).

Lista de publicações:

RIBEIRO, V.; FANINI, A. M. R. . O enunciado do romance Usina, de José Lins do Rego: fluxo de consciência, circuito de vozes, repetição. Revista Recorte, v. 12, p. 34-25, 2015.

FANINI, A. M. R.; RIBEIRO, V. . As dimensões do trabalho na vida errante do moleque Ricardo, personagem à margem em Usina de José Lins do Rego. Revista Litteris, v. 12, p. 149-163, 2013.