Você está aqui: Página Inicial > Defesas > PPGTE (Mestrado): Erike Luiz Vieira Feitosa
conteúdo

PPGTE (Mestrado): Erike Luiz Vieira Feitosa

por vaniagalliciano publicado 10/09/2018 09h41, última modificação 10/09/2018 09h41
O discurso sobre a improdutividade do trabalhador brasileiro em textos jornalísticos: análise dialógica
Quando
16/02/2016
de 14h30 até 17h30
(America/Sao_Paulo / UTC-200)
Onde
Sede Central: Sala C-301
Pessoa de contato
Participantes
Profa. Angela Maria Rubel Fanini, Dra. Orientadora - UTFPR
Banca Examinadora:
Profa. Angela Maria Rubel Fanini, Dra. Presidente - UTFPR
Profa. Ana Paula da Rosa, Dra. - Unisinos
Prof. José Carlos Fernandes, Dr. - UFPR
Prof. Guilherme Gonçalves de Carvalho, Dr. - Uninter
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Este estudo consiste em uma análise dialógica do discurso – ADD – de viés bakhti-niano que tem por objeto inicial os enunciados publicados em abril de 2014 pela revista britânica The Economist sobre a suposta improdutividade do trabalhador brasileiro. Compõem, ainda, o corpus da pesquisa editoriais da Folha de São Paulo, Gazeta do Povo e Carta Capital, que comentam a reportagem estrangeira. O estudo destaca o posicionamento axiológico desses veículos de comunicação, interpretando as premissas e intencionalidades presentes em seus discursos, além de identificar os seus principais interlocutores. A pesquisa evidencia tensões dialógicas entre porta-vozes das categorias capital e trabalho, sendo, no contexto discursivo analisado, a segunda subalterna à primeira, em uma conjuntura de disputa, político-econômico-eleitoral, pelo estado brasileiro. No que tange ao campo das ideologias, destaca o embate entre as prescrições econômicas neoliberais/clássicas e a visão econômica heterodoxa (keynesiana), esta última associada ao petismo e aos governos petistas. O estudo demonstra que a ADD, utilizada como método que possibilita certa leitura de textos de cunho opinativo, em especial do gênero editorial, é uma abordagem apropriada para a compreensão das matrizes discursivas que permeiam os demais produtos e gêneros jornalísticos que, ao considerarem determinados aspectos da realidade material, acabam por interferir nela. Também aponta que, ao contrário do que poderia se esperar, as publicações brasileiras não se contrapuseram à polêmica tese defendida por The Economist, posicionando-se a favor dos interesses do capital ou assumindo postura de omissão analítica. Com um tom fortemente monológico, os textos analisados consideram a produtividade do trabalhador, fundamentalmente, a partir do ponto de vista do acúmulo de capital. Dessa forma, ao rotular o brasileiro e o seu país de improdutivos, sugere que ambos (país e trabalhador) deveriam produzir mais, beneficiando, assim, o capital e desconsiderando aspectos subjetivos relacionados à classe que vive do trabalho, reificando-a. Além de dados técnico-científicos, entendidos como irrefutáveis pelas publicações jornalísticas, estrutura essa construção discursiva um estereótipo que é de longa duração e resgata a imagem colonial de um nativo pouco afeito ao trabalho, cuja vida seria dedicada ao ócio, um sujeito preguiçoso e, portanto, estranho à superioridade da cultura eurocêntrica econômico-expansionista que supervaloriza o trabalho, a produção, a geração constante de riquezas superavitárias. Dissertando sobre as consequências sociais da atual configuração do capitalismo, o estudo aponta para a necessidade de resgate da noção de alteridade, não apenas do ponto de vista teórico, mas também no campo da ideologia do cotidiano. Por fim, ressalta que o resgate e a utilização do estereótipo do brasileiro culturalmente preguiçoso (improdutivo) interfere na constituição de uma consciência de si dos trabalhadores e também na imagem que os outros (o mundo) têm deles (nós).
Palavras-chave: Neoliberalismo e keynesianismo. Trabalhador brasileiro. Trabalhador improdutivo. Análise dialógica dos discursos jornalísticos.

The discourse about the productivity of Brazilian workers in journalistic texts: dialogic analysis

Abstract: This study is a bakhtinian dialogic discourse analysis (DDA) whose initial object is the statements published in April 2014 by the british magazine The Economist about the alleged lack of productivity of Brazilian workers. Other three opinative brasilian texts, that coment the foreign reporting, composes the corpus of this research: two newspapers editorials, one of Folha de São Paulo and the other of Gazeta do Povo, plus a magazine editorial, from Carta Capital. The study highlights the axiologic position of these publications, interpreting the assumptions and intentions present in his speeches, and identifying their main interlocutors. The research demonstrates dialogic tensions between spokespersons of capital and labor categories. In the discursive context analyzed, the second is subordinate to the first, in a situation of dispute - political, economic, and electoral - by the Brazilian state. Regarding the field of ideology, the dissertation highlights the clash between the neoliberal/classical economic prescriptions and the heterodox economic vision (keynesian), the latter associated with Partido dos Trabalhadores (Worker’s Party) governments. The study shows that the DDA used as a method that enables certain reading opinionative nature of texts, especially the editorial genre, is an appropriate approach to understanding the discursive matrices that permeate other products and journalistic genres that, when considering certain aspects of material reality, end up interfering in it. Also points out that, contrary to what might be expected, the Brazilian publications are not countered the controversial thesis defended by The Economist, positioning itself in the interests of capital or assuming analytical omission posture. With a strongly monological tone, the texts analyzed consider worker productivity, fundamentally, from the point of view of capital accumulation. Thus, to label the Brazilian and their country of unproductive, suggests that both (country and worker) should produce more, thus benefiting the capital and disregarding subjective aspects related to the class that lives off the job, reifying it. In addition to technical and scientific data, taken as irrefutable by journalistic publications, structure this discursive construction a stereotype that is long lasting and rescues the colonial image of a native little inclined to work, whose life would be dedicated to idleness, a lazy bloke, a foreign to the superiority of economic-expansionist eurocentric culture that overemphasizes work, production, constant generation of surplus wealth. Expounding on the social consequences of the current capitalist setup, the study points to the need to rescue the notion of otherness, not only from a theoretical point of view, but also in field of the everyday ideology. Finally, emphasize that the rescue and the use of culturally stereotypical lazy brazilian (unproductive) interferes into the formation of a self-consciousness of the workers and also the image that others (the world) have of them (us).
Keywords: Neoliberalism and Keynesianism. Brazilian worker. Unproductive worker. Dialogic analysis of journalistic discourse.

Lista de publicações:

FEITOSA, E. L. V.; FANINI, A.M.R . A improdutividade do trabalhador brasileiro no discurso da revista The Economist: uma análise dialógica. Anais do VII Empecom - UFPR, 2015.