Você está aqui: Página Inicial > Defesas > PPGTE (Mestrado): Ivo Pereira de Queiroz
conteúdo

PPGTE (Mestrado): Ivo Pereira de Queiroz

por ppgte-ct publicado 31/10/2018 08h17, última modificação 19/11/2018 15h55
Humanismo e Tecnologia no Curso de Radiologia do CEFET-PR - Unidade de Curitiba
Quando
10/12/2001
de 14h30 até 17h00
(America/Sao_Paulo / UTC-200)
Onde
Sala de videoconferência do CEFET-PR
Pessoa de contato
Dr. João Augusto Bastos
Participantes
Dr. João Augusto Bastos (Orientador)
Dr. Nilson Marcos Dias Garcia
Dr. Paulo Roberto de Carvalho Alcântara
Dr. Luiz Alberto Pilatti
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: A presente dissertação parte do seguinte problema: que tipo de ser humano está sendo formado no curso de Tecnologia em Radiologia, ministrado pelo CEFET-PR, a partir da Reforma estabelecida pelo Decreto 2.208/97? O objetivo maior dessa pesquisa foi analisar a dimensão humana da tecnologia a partir de valores que nortearam a organização e implementação do curso de Tecnologia em Radiologia. Em termos específicos, procurou identificar os aspectos fundantes do referido curso, analisar o currículo e os ementários das disciplinas e colher subsídios para reelaboração de novos cursos de tecnologia. Para fazer frente ao problema levantado foi desenvolvida uma pesquisa bibliográfica, de caráter filosófico, visando a uma interpretação de humanismo. O conceito de racionalidade explicita o de humanismo, por isso, examinou-se a racionalidade, a começar pela teoria de Max Weber, um dos pioneiros nesse estudo, donde foram tomados os conceitos de individualismo metodológico, ação racional com relação a fins, ação racional com relação a valores e burocracia. Houve uma abordagem pontual dos fundadores da ciência moderna, Bacon, Galileu e Descartes, com a finalidade de precisar a racionalidade da ciência que fundaram. Através da menção àqueles autores tem-se o contexto teórico para se acompanhar as reflexões de Adorno, Horkheimer e Habermas, pensadores da Escola de Frankfurt. Foram contempladas neste estudo as análises de Adorno e Horkheimer, através dos conceitos de Teoria tradicional e teoria crítica pelos quais os autores concluem que a ciência moderna manipula a natureza e aliena o ser humano, caracterizando a racionalidade instrumental. Habermas avança na análise e propõe a racionalidade comunicativa, enquanto caminho para se pensar um humanismo construído a partir do diálogo. Como este trabalho trata da Reforma da educação tecnológica, buscou-se uma concepção de tecnologia e de educação tecnológica. O primeiro conceito, explicitado por Milton Vargas, define a tecnologia como ciência aplicada. Por outro lado, a formulação de Ruy Gama defende que a tecnologia moderna é a ciência do trabalho produtivo. Concluindo a parte teórica deste trabalho, João Augusto Bastos, dialogando com todos os autores mencionados, propõe a Educação Tecnológica na perspectiva da racionalidade comunicativa, desvinculada da lógica da submissão ao mercado e comprometida com os destinos humanos. Finalmente, foi realizada uma pesquisa qualitativa, através de entrevista semi-estruturada, tendo como declarantes doze docentes do curso de Tecnologia em Radiologia. Das entrevistas veio à luz a evidência de que o humanismo no curso de Tecnologia em Radiologia está vazado pela perspectiva da racionalidade instrumental, conforme sistematizada por Weber e criticada por Horkheimer e Adorno. Entretanto, a cultura da instrumentalidade presente no curso analisado não oculta o potencial emancipador presente nos atores que o mantêm.