Você está aqui: Página Inicial > Defesas > PPGTE (Mestrado): Janaína Souza de Queiroz
conteúdo

PPGTE (Mestrado): Janaína Souza de Queiroz

por vaniagalliciano publicado 19/09/2018 16h20, última modificação 19/09/2018 16h20
Ubuntuísmo e Quilombismo na música de Leci Brandão
Quando
30/08/2017
de 14h00 até 19h00
(America/Sao_Paulo / UTC-300)
Onde
Sede Central: Sala Q - 309
Pessoa de contato
Participantes
Profa. Nanci Stancki da Luz, Dra. Orientadora - UTFPR
Banca examinadora:
Prof. Gilson Leandro Queluz, Dr. Presidente - UTFPR
Profa. Lindamir Salete Casagrande, Dra. - UTFPR
Prof. Sérgio Luis do Nascimento, Dr. - PUCPR
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Este trabalho versa sobre a participação da mulher negra sambista no contexto desta expressão musical afro-brasileira. O texto aqui apresentado é o resultado da reflexão sobre este problema: Haveria uma perspectiva ubuntuística e quilombista nas composições de Leci Brandão? O processo de leituras, análises e sistematizações de resultados ocorreu a partir do seguinte objetivo geral: analisar o ubuntuísmo e o quilombismo em composições de Leci Brandão. Para cumprir esta tarefa maior, foram trabalhados os seguintes objetivos específicos: a) articular os conceitos de ubuntu, da cosmovisão africana, e quilombismo, proposto por Abdias Nascimento, ao samba; b) conhecer Leci Brandão e sua obra musical; c) analisar as perspectivas de ubuntu e quilombismo nas letras de música de Zé do Caroço, Preferência, Deixa Deixa, A Filha da Dona Leci, G.R.E. de Samba da compositora e cantora Leci Brandão. Os procedimentos adotados delimitaram os recursos, por isso, o material examinado consiste das obras escritas, letras de músicas e entrevistas da personagem Leci Brandão, sendo, portanto, a metodologia qualitativa, de caráter analítico-dedutiva, e a coleta de dados de tipo bibliográfica e documental. Os conceitos de ubuntu e de quilombismo foram tomados como critério para a análise de composições de Leci Brandão. Outros conceitos também auxiliaram na construção desse trabalho, tais como afrocentricidade, agência, feminismo negro e interseccionalidade, para conhecer a contribuição de mulheres negras no contexto da música, em especial do samba. Os materiais consultados, assim como o teor da análise, passaram a incorporar os textos, os quais foram distribuídos em quatro capítulos: Introdução; Ubuntu, Quilombismo e Samba; Modos de Ser Ubuntuísta e Quilombista na Música de Leci Brandão e Considerações Finais.
Palavras-chave: Leci Brandão. Mulher Negra. Samba. Ubuntu. Quilombismo.

Ubuntuism and Quilombismo in Leci Brandão’s music

Abstract: This dissertation discuss the participation of the sambist black woman in the context of this afro-brazilian music expression. The text here presented is the result of a reflexion about the following problem: Is there a ubuntu and quilombist perspective in the music compositions of Leci Brandão? The reading, analysis and systematization process of the results started from the following general objective: to analyze ubuntuism and quilombismo in the music compositions of Leci Brandão. The procedures adopted delimited the resources, and becouse of that, the examined material consists in writteng works, music lyrics and interviews of Leci Brandão’s persona, and, as so, the metodology is qualitative, of analytic and deductive character, and the data collect is of the bibliographic and documentary type. The concepts of ubuntu and quilombismo were took as the criterion of analysis for the compositions of Leci Brandão. Another concepts also helped in the construction of this work, such as afrocentricitry, agency, black feminism and intersectionality to know the contribution of black women in the music contexto, especially that of samba. The consulted materials, and the contente of the analysis were incorporated in the texts, those of wich were distributed in four chapters: Introduction; Ubuntu, Quilombismo and Samba; Ubuntuist and Quilombist Ways of Being in Leci Brandão’s Music and Final Considerations.
Keywords: Leci Brandão. Black Women. Samba. Ubuntu. Quilombismo.