Você está aqui: Página Inicial > Defesas > PPGTE (Mestrado): Letícia Rodrigues
conteúdo

PPGTE (Mestrado): Letícia Rodrigues

por vaniagalliciano publicado 13/09/2018 12h11, última modificação 13/09/2018 12h11
Questões de Gênero em Jogos Digitais: uma Coleção de Recursos Educacionais Abertos de apoio à mobilização
Quando
10/02/2017
de 09h00 até 12h00
(America/Sao_Paulo / UTC-200)
Onde
Sede Central: Sala B-205
Pessoa de contato
Participantes
Prof. Luiz Ernesto Merkle, Dr. - Orientador UTFPR
Profª. Marinês Ribeiro dos Santos, Dra - Co-orientadora UTFPR
Banca examinadora:
Prof. Luiz Ernesto Merkle, Dr. - Presidente UTFPR
Profª. Lynn Rosalina Gama Alves, Dra. - UNEB
Prof. Antonio Luiz Martins dos Reis, Dr. - ABGLT/IBDSEX/Grupo Dignidade
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Vários grupos têm reivindicações de participação em jogos digitais o que tem gerado um cenário de transformações nessa comunidade. Parte desse movimento é decorrente da maneira como determinadas pessoas vem sendo marginalizadas e invisibilizadas nesse meio devido à questões de sexo/gênero, raça/etnia entre outras clivagens. Estas pessoas ou grupos têm reivindicado de modo crescente, a partir de diversas estratégias, seu reconhecimento pela indústria e pelas comunidades simpatizantes, e/ou inclusive pelas próprias comunidades nas quais jogam. Este trabalho discorre sobre as questões de gênero no âmbito dos jogos digitais na perspectiva dos estudos de gênero e do feminismo. Procuro refletir sobre a atividade de jogar por meio do conceito de tecnologias de gênero através das quais relações de gênero específicas são muitas vezes reiteradas ou até mesmo forjadas, considerando a maneira como estes jogos são muitas vezes desenvolvidos (divisão de trabalho), divulgados (padrões heteronormativos, eurocêntricos, etc) ou vivenciados (machismo, misoginia, racismo, e outros preconceitos). Através desta pesquisa formulo a prototipação em Zotero de uma coleção aberta que visa facilitar o acesso e circulação de recursos que podem auxiliar na discussão das questões de gênero e suas interseccionalidades. Por meio deste protótipo, é delineada a estrutura de uma futura coleção, em plataforma ainda a determinar. Almejo futuramente um espaço pedagógico que promova o questionamento das normatizações de gênero e da naturalização de práticas excludentes, seja no ensino dos jogos digitais (cursos de graduação, especialização, etc), como algo a ser considerado nos espaços de desenvolvimento de jogos na indústria, nas práticas cotidianas de jogadoras/es, e/ou nas temáticas de pesquisadoras/es da área. Enfatizamos o caráter aberto da coleção no sentido de proporcionar futuras contribuições ao seu acervo, permitindo que ela seja atualizada frente as transformações recorrentes no cenário dos jogos digitais em relação às dimensões sociais, culturais e históricas. Uma tal coleção seria o primeiro passo no reconhecimento de participantes cuja invisibilização é clara na área de jogos digitais.
Palavras-chave: Jogos Digitais, Tecnologias de Gênero, Feminismo, Recursos Educacionais Abertos, Coleção Aberta

Gender Issues in Digital Games: A Collection of Open Educational Resources to Support Mobilization

Abstract: Several groups have claims of participation in digital games which has generated a scenario of transformations in this community. Part of this movement is due to the way in which certain people have been marginalized and invisible in this environment due to issues of sex/gender, race/ethnicity and other cleavages. These individuals or groups have increasingly claimed, from various strategies, their recognition by industry and sympathetic communities, and/or even by the communities in which they play. This paper discusses gender issues within the context of digital games from the perspective of gender studies and feminism. I seek to reflect on the activity of playing through the concept of technologies of gender through which specific gender relations are often reiterated or even forged, considering how these games are often developed (division of labor), disclosed (patterns Heteronormative, Eurocentric, etc.) or experienced (machismo, misogyny, racism, and other prejudices). Through this research I formulate the prototyping in Zotero of an open collection that aims to facilitate the access and circulation of resources that can help in the discussion of gender issues and their intersectionalities. By means of this prototype, the structure of a future collection, in platform yet to be determined, is outlined. I aim that in the future it can be a pedagogical space that promotes the questioning of gender norms and the naturalization of exclusionary practices, whether in the teaching of digital games (undergraduate courses, specialization, etc.), as something to be considered in games development spaces in industry, in the daily practices of players, and/or in the themes of researchers in the area. We emphasize the open character of the collection in the sense of providing future contributions to it, allowing it to be updated in the face of the recurring transformations in the digital games scene in relation to social, cultural and historical dimensions. Such a collection would be the first step in recognizing participants whose invisibility is clear in the area of digital games.
Keywords: Games, Technologies of Gender, Feminism, Open Educational Resources, Open Collection

Lista de publicações:

XI Jornadas Latinoamericanas de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia. Questões de Gênero em Jogos Digitais: uma Coleção de Recursos Educacionais Abertos de apoio à mobilização. 2016. (Congresso).