Você está aqui: Página Inicial > Defesas > PPGTE (Mestrado): Lino Trevisan
conteúdo

PPGTE (Mestrado): Lino Trevisan

por ppgte-ct publicado 30/10/2018 11h52, última modificação 19/11/2018 15h55
Interculturalidade no ambiente empresarial: Relações entre brasileiros e estrangeiros na Volkswagem/Audi de São José dos Pinhais- PR
Quando
26/11/2001
de 14h00 até 17h00
(America/Sao_Paulo / UTC-200)
Onde
Sala C301 do CEFET-PR
Pessoa de contato
Drª. Marília Gomes de Carvalho
Participantes
Drª. Marília Gomes de Carvalho (Orientadora)
Dr. Kazuo Hatakeyama
Dr. Mauricio Serva
Dr. Guilhermo Raul Ruben
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Este trabalho foi motivado pelo interesse de pesquisar as relações interculturais entre trabalhadores brasileiros e estrangeiros numa empresa multinacional do setor automobilístico instalada na região metropolitana de Curitiba. A empresa selecionada para a realização da pesquisa de campo foi a Volkswagen / Audi instalada em São José dos Pinhais. A referida pesquisa teve como objetivo identificar as dificuldades enfrentadas pelos funcionários no relacionamento intercultural e as estratégias utilizadas para superá-las. Sendo uma pesquisa de natureza qualitativa, optou-se pela realização de entrevistas semi-estruturadas para a coleta de dados. Foram entrevistados quinze trabalhadores brasileiros e dez "expatriados" dos setores de produção e de administração. Utilizou-se como referencial teórico os conceitos de cultura, diversidade cultural, interculturalidade e cultura organizacional. Para melhor compreensão das representações dos dois principais grupos de entrevistados – brasileiros e alemães – fez-se também uma breve caracterização da cultura e da cultura organizacional brasileira e alemã. Na apresentação dos resultados da pesquisa, faz-se a exposição das representações dos brasileiros, depois dos expatriados, para em seguida analisá-las à luz do referencial teórico que fundamenta este trabalho, apontando semelhanças e diferenças nas representações dos dois grupos de entrevistados sobre suas relações interculturais na empresa. As representações foram agrupadas em blocos e organizadas em itens, nos quais foram reunidas as características mais reveladoras das opiniões mencionadas pelos entrevistados e que respondem ao objetivo deste trabalho. Portanto, inicia-se com algumas considerações de ordem geral, depois são apresentadas as dificuldades identificadas pelos funcionários no relacionamento intercultural, seguidas das estratégias utilizadas para superá-las. Finalmente apresenta-se as representações recíprocas do “nós” e “eles” manifestadas nas entrevistas pelos funcionários brasileiros e expatriados. A discussão destas representações e tentativa de análise, por sua vez, é uma nova interpretação, feita pelo autor. Em síntese este trabalho é uma interpretação de interpretações.