Você está aqui: Página Inicial > Defesas > PPGTE (Mestrado): Lucas Guilherme Schafhauser
conteúdo

PPGTE (Mestrado): Lucas Guilherme Schafhauser

por vaniagalliciano publicado 21/08/2018 10h00, última modificação 21/08/2018 10h29
Viola Caipira no Brasil: uma história da técnica artesanal e cultura popular
Quando
03/09/2018
de 14h00 até 17h00
(America/Sao_Paulo / UTC-300)
Onde
Sede Central: Sala E-207
Pessoa de contato
Participantes
Profa. Angela Maria Rubel Fanini, Dra. Orientadora - UTFPR
Prof. Thiago Corrêa de Freitas, Dr. Co-orientador - UFPR
Banca examinadora:
Profa. Angela Maria Rubel Fanini, Dra. Presidente - UTFPR
Prof. Ivan Vilela , Dr. - USP
Profa. Adriana Cabral dos Santos, Dra. - UTFPR
Profa. Faimara do Rocio Strauhs, Dra. - UTFPR
Site
Visite o site do evento
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: O presente estudo foca-se na trajetória percorrida pela viola caipira no Brasil, desde sua chegada com os colonizadores portugueses até os dias atuais, concentramo-nos em verificar a afirmação do músico Fernando Deghi: “Este é o século da viola”. Para isso, foram reunidas informações que apontam para o fato de a viola estar ou não em ascensão.  Nossa perspectiva está pautada no viés da Luteria, e na Análise do Discurso (Mikhail Bakhtin e o Círculo). Procedemos ao levantamento do número de festivais que envolveram a viola caipira (busca de cartazes em meios virtuais), das pesquisas acadêmicas sobre e das orquestras de viola caipira, observando se houve um aumento da busca pelo instrumento nos últimos anos. O universo da viola caipira tem sido, até o final do século XX, objeto de pouco estudo. O instrumento chega ao Brasil no século XVI, mas se mantém em cenário não erudito, ganhando cadeira em conservatório de música apenas em 1985. Esse afastamento está mormente ligado ao fato de a viola caipira ter sido predominantemente um instrumento de uso popular, sobremodo das culturas de classe economicamente menos privilegiadas e distantes do modo de vida das cidades grandes sendo, não raras vezes, 
objeto de depreciação, sátira e desqualificação. Em 1930, com as primeiras gravações de músicas de viola e do interesse de emissoras de rádio pela música caipira, houve um primeiro período moderno de apreço ao instrumento. Nos anos 1980, surge um grande interesse na composição e execução de música instrumental para viola, abrindo assim o leque de uso da viola e atraindo novos personagens para essa história. Com o presente 
trabalho, argumentamos que a viola está, sim, em ascensão. Acreditamos ser precipitado afirmar que esse será o “século da viola”, mas podemos asseverar que se a sua presença na sociedade continuar nessa progressão, a viola vai estar sentada na mesma mesa dos instrumentos musicais considerados mais importantes desse século. A trajetória da viola 
se dá em um ambiente musical monológico, abafando a sua voz, mas essa voz tem se fortalecido e talvez venha a se posicionar polifonicamente junto aos outros instrumentos musicais.
Palavras-chave: Cultura Musical. Cultura popular. Polifonia e Monologismo. Viola Caipira. Luteria.