Você está aqui: Página Inicial > Sobre > Mediações e Cultura
conteúdo

Mediações e Cultura

por dbortolotti — publicado 19/04/2017 12h00, última modificação 03/09/2019 23h32
Coordenação: Prof. Dra. Marilda Lopes Pinheiro Queluz

A linha de pesquisa Mediações e Culturas integra o Programa de Pós-Graduação em Tecnologia (PPGTE), da Universidade Tecnológica do Paraná – Câmpus Curitiba. A área de concentração do programa é em Tecnologia e Sociedade e, em função desta concentração, é avaliado pela Coordenação de Área Interdisciplinar da CAPES, em particular pela Câmara Temática II – Sociais & Humanidades.

Um dos pressupostos do Programa é fomentar a compreensão crítica e cidadã de tecnologia. A linha de Tecnologia e Interação surgiu em 1999, após a reformulação do Programa, que até então tinha áreas de concentração em Educação e Inovação Tecnológica. Com a mudança, assumiu estreita correlação entre as tecnologias e as atividades humanas.

Entretanto, ao longo de uma década, percebeu-se que os termos tecnologia e interação eram muitas vezes entendidos instrumentalmente apenas como ações realizadas por meio de ferramentas, meios ou artefatos. Além disso, parece redundante o uso da palavra interação, já que se trata de um processo que é próprio de todo o programa, abrangendo as três linhas de pesquisa atuais.

A mudança, em 2011, para Mediações e Culturas visou aumentar as possibilidades de entendimento de tecnologia. A escolha por Mediações também teve por objetivo realçar as abordagens plurais fomentadas na linha e no programa. Tecnologias, nesta acepção, não se restringiram aos artefatos e instrumentos, embora estes as permeiem. Assume-se que o ser humano se faz coletivamente pelas relações sociais, nas mediações (materiais ou simbólicas). Nesta perspectiva, tecnologias são sempre mediações sociais (materiais ou simbólicas), situadas e circunstanciadas axiológica, cultural e historicamente.

Por Culturas, compreendem-se os conjuntos articulados de ações e restrições, interações e influências, relações e técnicas, tendências e desvios, motivações e direcionamentos, recursos e possibilidades presentes em uma sociedade em determinado momento e espaço. Neste sentido, culturas incluem tecnologias, condicionando e transformando-as dialética e dialogicamente.

Tratar os termos no plural reforça o fato de que mediações e culturas são indissociáveis e também múltiplas. Estas podem ser pesquisadas em uma miríade de perspectivas, ainda que com contradições, e exigem equidade e respeito pelas particularidades e diferenças.

O interesse da linha é pelo conhecimento e pela circulação de técnicas, processos, práticas, artefatos, meios, ambientes e outras mediações. As relações sociais são permeadas de memórias, valores e interesses, que perpassam e matizam, por exemplo, as mídias impressas e interativas, os espaços institucionais e os domésticos, públicos e privados, os processos de aprendizagem e de formação docente, formais e não formais, as relações culturais e interculturais, a construção de subjetividades e suas transformações, dentre outros.

A partir desses pressupostos, a linha Mediações e Culturas desenvolve projetos interdisciplinares nas dimensões histórico culturais das tecnologias como mediações sociais, situadas e circunscritas em diversas culturas e contextos.

Busca também discutir as implicações das tecnologias na intermediação de atividades e valores humanos. Constitui, portanto, objetos-chave desta linha de pesquisa a arte, o design, a educação e as mídias.

 

A linha de pesquisa é formada pelos seguintes pesquisadores:

Dr. Herivelto Moreira - educação tecnológica, prática pedagógica, formação continuada, formação de professores e metodologia da pesquisa.

Dr. Leonelo Dell Anhol Almeida - acessibilidade e inclusão digital, interação humano-computador e design de interação, sistemas colaborativos e design participativo.

Drª. Luciana Martha Silveira - cor, arte, tecnologia.

Dr. Luiz Ernesto Merkle - relações entre Informática e Sociedade, em particular nas tecnologias e culturas livres, no design de interação, sempre direcionadas a uma educação para a liberdade.

Drª. Marilda Lopes Pinheiro Queluz – design e cultura material, tecnologia e cultura, história da arte brasileira, história das artes gráficas e humor gráfico (caricatura e quadrinhos)

Drª. Marília Amaral - Interação Humano Computador, design de interação, informática na educação, com foco em uma computação aberta e democrática.

Drª. Marinês Ribeiro dos Santos - Estudos em Design, com ênfase na cultura material e suas interfaces com o espaço doméstico e com as relações de gênero.

Dr. Nestor Cortez Saavedra Filho: Tecnologias de Informação e Comunicação no Ensino de Ciências.  Concepção, Elaboração e Avaliação de Objetos Educacionais mediados por teorias de ensino-aprendizagem. Recursos Educacionais Abertos (REA) e o seu uso em ambiente educacional. Mobilidade Urbana e o Ensino de Ciências.

Dr. Ronaldo Oliveira Corrêa - cultura material, design, gênero, tecnologia, artesanato, patrimônio cultural.