DIREXT - Diretoria de Extensão


Segundo o Fórum Nacional de pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras (1987) “a extensão universitária é definida como um processo educativo, cultural e científico que articula o ensino e a pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre a Universidade e a Sociedade”.

Portanto, Extensão Universitária não é: assistencialismo, intervenção pontual com relação aos problemas sociais, balcão de negócios nem atividade acadêmica no interior da Universidade sem a comunidade externa.

E sim, um canal de interlocução entre a Sociedade e a Universidade, trazendo as demandas da população e os desafios colocados para o desenvolvimento do país para o centro da Pesquisa e desta para a sociedade.

Desta forma, Comunidade e Universidade trocam saberes e ampliam seus conhecimentos, havendo a promoção da interdisciplinaridade nos problemas sociais.

Assim, compreende-se que o Programa de Extensão Social (PROES) na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) é o meio de transformar o Ensino através de uma prática direcionada à realidade e comprometida com a resolução dos problemas sociais ampliando o capital cultural da população, especialmente dos setores que não têm acesso ao Ensino Superior. A partir dessas premissas reúne projetos isolados em programas integrados de extensão social, trazendo as demandas da população e seus desafios para o centro de Pesquisa, levando os resultados da Pesquisa para a sociedade.

A Extensão Social assume, segundo Pereira, apud Degennszajh (2000) como parâmetro para a definição das áreas temáticas, as políticas públicas entendidas como: “linha de ação coletiva que concretiza direitos sociais declarados e garantidos em lei. É mediante as políticas públicas que são distribuídas ou redistribuídos bens e serviços sociais, em resposta às demandas da sociedade. Por isso o direito que as fundamenta é um direito coletivo e não individual.”      O Fórum Nacional de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras, delineou diretrizes gerais para as ações de Extensão capazes de organizar o conjunto das atividades e a definição de seus rumos. São elas:

Interdisciplinaridade : as ações de Extensão propiciam a realização de atividades acadêmicas de caráter interdisciplinar, a integração de áreas distintas do conhecimento e a possibilidade de construção de uma nova forma de fazer ciência.

Articulação entre as atividades de Extensão, Ensino e Pesquisa: o princípio da interdisciplinaridade caminha para a perspectiva da interlocução e integração das atividades de ensino, pesquisa e Extensão no fazer acadêmico. A relação entre o ensino e a Extensão conduz a mudanças no processo pedagógico numa relação em que alunos e professores se constituem em sujeitos do ato de aprender. Por outro lado, a Extensão possibilita a democratização do saber científico, num movimento de mão dupla de difusão do que é produzido sistematicamente e a sua retomada por meio da re-significação e reelaboração desenvolvida pelos atores sociais. Essa relação entre a pesquisa, o ensino, a produção científica e a Extensão é  dinâmica e contribui para a transformação da sociedade num processo de incorporação de novos modos de vida e de uso de tecnologias, capazes de operacionalizar efetivamente a relação entre teoria e prática.

Relação dialógica entre universidade e sociedade: a interação entre teoria e prática potencializa a articulação entre os saberes sistematizados, acadêmicos e populares. Essa interação abre canais para a produção de novos conhecimentos resultantes do encontro da universidade com o cotidiano das comunidades e pela efetiva participação dos setores sociais no reconhecimento e na compreensão do desafio da produção acadêmica.

Relação social de impacto: as atividades de Extensão conferem relevância às ações voltadas para os interesses e necessidades da maioria da população, aliada aos movimentos de superação de desigualdades e de exclusão social. Nesse contexto, busca-se articular programas capazes de focalizar o desenvolvimento regional e o fortalecimento de políticas públicas de amplo espectro. Nesse sentido, as ações são realizadas em conjunto com a sociedade, rejeitando uma prática assistencialista em que as ações são ofertadas às pessoas, sem uma análise efetiva de suas demandas e necessidades.

 

CONTATOS

Nome: Laíze Márcia Porto Alegre
Função: Diretora de Extensão
E-mail: laizepa@utfpr.edu.br
Telefone: 41 3310-4961

Nome: Diego Estevam Teleginski
Função: Coordenador de Extensão
E-mail: diegoteleginski@utfpr.edu.br
Telefone: 41 3310-4961

Nome: Adriana Maria Wan Stadnik
Função: Assessora de Cultura e Comunicação
E-mail: stadnik@utfpr.edu.br
Telefone: 41 3310-4961

Nome: Tamara Simone van Kaick
Função: Assessora de Saúde e Meio Ambiente
E-mail: tamara@utfpr.edu.br
Telefone: 41 3310-4846

Nome: Kátia Prus Pinho
Função: Coordenadora Geral do Programa CIMCO
E-mail: katiaprus@utfpr.edu.br
Telefone: 3310-4846

Nome: Alessandro Feitosa Machado
Função: Coordenador Geral do Projeto RONDON
E-mail: feitosa2704@gmail.com
Telefone: 41 3279-4555

 

 

Ações do documento