Alimentos

Projeto da UTFPR recebe prêmio de experiência bem sucedida na área de higiene de alimentos

Um projeto de extensão desenvolvido desde 2014 pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), câmpus de Francisco Beltrão, vêm capacitando merendeiras e auxiliares de serviços gerais do município em vários aspectos que envolvem a higiene de alimentos e a segurança alimentar. A qualidade e relevância do trabalho foram reconhecidos e premiados como uma Experiência Bem Sucedida na Área de Higiene de Alimentos durante o VIII Congresso Latinoamericano de Higienistas de Alimentos em Fortaleza, no Ceará.

O primeiro lugar foi conquistado com o trabalho que é de prática social, inovador, relacionado a alimentação e saúde pública, com enfoque na temática do congresso e que está implantado e traz benefícios para a sociedade com reflexo na qualidade de vida.

Para a professora Andréa Cátia Leal Badaró, idealizadora do projeto, mais importante que a premiação recebida e a vantagem em apresentar o projeto como uma das “Experiências Bem Sucedidas” neste importante evento da área de Segurança dos Alimentos, é a divulgação do trabalho. “O reconhecimento, a valorização em relação à melhora da qualidade dos alimentos fornecidos pela alimentação escolar do município e consequentemente a contribuição com a qualidade de vida da população é o que nos motiva", destacou Andréa.

O projeto de extensão é desenvolvido pela UTFPR em parceria com a Unioeste e Prefeitura Municipal. Participam ainda a acadêmica de Tecnologia em Alimentos, Cristina Dalmora Zavaschi e de Engenharia de Alimentos, Thayná Oliveira. As servidoras da Prefeitura, Andréa Nesi Wessler e Joelen Raiana Favaro Ries e o professor da Unioeste, Anilton Nunes dos Reis.

Para a universitária Thayná o prêmio é um reconhecimento do trabalho de todos que algum dia já fizeram parte do projeto. “É gratificante saber que todo nosso trabalho fora reconhecido e premiado como o melhor apresentado no congresso. Vale ressaltar que grande parcela desse trabalho provém da dedicação da orientadora professora Andréa que sempre demonstrou muita paixão pelo o que faz”, destacou.

Já a egressa Cristina Dalmora Zavaschi conta que o trabalho de extensão teve papel muito importante para sua formação. “Foram novos conhecimentos onde se integrou a teoria e prática com a sociedade. Foi uma experiência ótima pois me ajudou a entender um pouco mais do curso e contribuiu para ter a certeza que fiz a escolha certa para minha graduação, com oportunidade de levar comigo os resultados obtidos para a vida como tecnóloga em alimentos no ramo de segurança alimentar”, ressaltou Cristina.

O projeto

A alimentação na infância é um dos principais fatores de promoção do crescimento e desenvolvimento do indivíduo e com isto, dentre outros, a qualidade do que se fornece nas escolas é importante. Foi pensando nisso que o grupo desenvolveu três diferentes projetos para contemplar esta questão.

Em um deles foi trabalhado diretamente com os produtores familiares de laticínios, produtos cárneos, panificados e hortifrutigranjeiros, já que eles são responsáveis por 83% da matéria-prima fornecida. Em outro viés são promovidos seminários com as merendeiras e auxiliares de serviços gerais, abordando os mais diferentes temas relacionados à qualidade dos alimentos como higiene e sanitização do ambiente, higiene e sanitização de frutas e hortaliças, microbiologia de alimentos, qualidade da matéria-prima, do processamento e do produto final, elaboração de alimentos com redução de sódio, gorduras e açúcares, elaboração de alimentos alternativos à base de leguminosas, em especial o feijão.

O grupo fez ainda com um diagnóstico das condições higiênico-sanitárias de todas cozinhas das creches e escolas do município, com a elaboração e aplicação de Manuais de Boas Práticas e Procedimentos Operacionais Padrão e a realização de Curso de Boas Práticas de Fabricação para todas agentes de alimentação escolar.

 

Atualizado em: 10/05/17

Ações do documento