Aviso: Você está visitando a nossa página antiga, por isso algumas informações podem estar desatualizadas.

Para saber mais sobre a Instituição, acesse o novo Portal da UTFPR

Sicite 2016

Francisco Beltrão sediou Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica e premiou melhores trabalhos

Teve início na quarta-feira (09) o XXI Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica (Sicite) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Neste ano o câmpus de Francisco Beltrão sediou o evento que contou com mais de 800 trabalhos inscritos. Durante toda a tarde ocorreram apresentações orais e em formato de pôster dos trabalhos desenvolvidos por alunos de Iniciação Científica e Tecnológica da instituição. A abertura oficial aconteceu no Espaço da Arte, às 19h e contou com a presença de autoridades, alunos, apresentações artísticas e com a palestra do diretor científico da Fundação Araucária, Nilceu Jacob Deitos. O Sicite seguiu até a sexta-feira (11).

A estudante de Campo Mourão, Gabriela Roberta Nardom Meira, destacou que a iniciação científica a ajudou a colocar em prática a teoria, a escrever melhor cumprindo as exigências de artigos para a publicação. “Houve um engajamento maior com a carreira acadêmica já que a iniciação ajuda a entrar em contato até mesmo com programas de mestrado”.

Já Ana Carolina Monteiro, da Engenharia Ambiental de Campo Mourão, salientou a importância do Sicite. “Apresentar nosso trabalho, conhecer as pesquisas que estão acontecendo em outros câmpus e ouvir a sugestão dos julgadores e colegas em nosso trabalho pode auxiliar a dar continuidade na pesquisa ou ter novas ideias”.

Abertura

A cerimônia de abertura do Seminário contou com a apresentação da orquestra e do teatro do câmpus. Logo após houve a formação da mesa diretiva da solenidade com o reitor da UTFPR, Luiz Alberto Pilatti, o diretor-geral de Francisco Beltrão, Alexandre Alfaro, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Valdir Fernandes, o diretor de Pesquisa e Pós-Graduação de Francisco Beltrão, Fernando Manosso e o presidente da Comissão Organizadora, Rodrigo Lingnau.

O tom dos discursos foi de agradecimento e sobre a importância da Iniciação Científica (IC). O presidente da Comissão Organizadora agradeceu pela confiança em seu trabalho e pela ajuda dos servidores e alunos. “Estamos trabalhando juntos há vários meses para que o Sicite seja um sucesso, esta é a primeira vez que ele acontece em um dos câmpus novos e esse foi um grande desafio”, argumentou o professor que fez um resgate da história do câmpus e do crescimento, em termos científicos, da universidade.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós Graduação, Valdir Fernandes, falou sobre o crescimento da produção do conhecimento no Brasil e a importância da IC destacando a produção dos mestrandos e doutorandos que passaram por esta fase. “É a iniciação que nos mostra que podemos ser criativos, inovar, reformular algo já criado, estudando, lendo o que os outros produziram para dar uma contribuição. A IC pode mudar a vida do estudante”, afirmou.

Ao fazer uso da palavra o diretor-geral do câmpus Beltrão enfatizou que o câmpus se preparou para sediar o Seminário há algum tempo. “Desde que assumimos a direção em 2013 nos dispomos a ser a sede e desde então viemos incentivando ainda mais a pesquisa e a iniciação científica. Criamos um Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação que nos permitiu ter uma experiência maior para recebermos um evento do tamanho do Sicite”, destacou.

Por fim o reitor Luiz Alberto Pilatti afirmou que o Sicite é o evento mais importante da instituição já que nele se encontra parte significativa da formação dos alunos e dos resultados das pesquisas. “Agradeço ao câmpus Francisco Beltrão por se dispor em sediar e a cada um dos servidores e alunos que fizeram com que o Seminário acontecesse”, finalizou o reitor lançando um desafio “já atingimos uma maturidade neste evento e está na hora de avançar, trabalho completos, institucionalizar, inserir trabalhos nos portais, fica um desafio e o registro que esse é o evento institucional mais importante da universidade”.

Palestra

O diretor científico da Fundação Araucária, Nilceu Jacob Deitos enfatizou que a universidade com qualidade é a condição primordial para a iniciação científica. “A  relação universidade e pesquisa é um paradigma fundamental da pós-modernidade é exatamente fomentar cada vez mais a educação científica que é a produção conhecimento ultrapassando a característica tradicional de apenas de transmissão de conhecimento”, argumentou.

O SICITE

A partir de 2009 o evento passou a ser itinerante, anteriormente era realizado apenas em Curitiba. O primeiro itinerante foi em Pato Branco, em 2010 em Cornélio Procópio, em 2011 em Ponta Grossa. Já no ano de 2012 o Seminário foi realizado em Curitiba, passando por Dois Vizinhos em 2013, por Medianeira em 2014, por Campo Mourão em 2015 e neste ano será em Francisco Beltrão.

De acordo com o presidente da comissão organizadora do evento, o professor Rodrigo Lingnau, “até pouco antes de 2008 o SICITE era um evento muito pequeno, com algumas dezenas de alunos participando. Com a criação da UTFPR, e a enorme expansão da pesquisa e pós-graduação, ocorreu esse crescimento do evento, em decorrência também do crescimento no número de bolsas de iniciação científica e tecnológica”.

A Iniciação Científica

Na UTFPR são desenvolvidos diferentes programas, sejam eles com bolsa ou de forma voluntária:

PIBIC-EM - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - ensino Médio;

 IC-Jr - Iniciação Científica Júnior;

PIBIC - O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica;

PIBIC-Af -  Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica nas Ações Afirmativas dirigido aos estudantes que ingressaram no Ensino Superior por ação afirmativa;

PIBITI - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação.

Veja mais fotos no página do evento no Facebook.

Confira os trabalhos premiados: Oral e Painel.

Atualizado em 18/11/2016

Ações do documento