Aviso: Você está visitando a nossa página antiga, por isso algumas informações podem estar desatualizadas.

Para saber mais sobre a Instituição, acesse o novo Portal da UTFPR

Você está aqui: Página Inicial Medianeira Estrutura do Câmpus Assessorias Assessoria de Comunicação OCUPAÇÃO: Nota de esclarecimento à sociedade

OCUPAÇÃO: Nota de esclarecimento à sociedade

A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) esclarece que, desde o início do movimento de ocupação, procurou manter conversações com o grupo de manifestantes no sentido de garantir um processo pacífico e ordeiro de retirada, buscando assegurar a integridade física das pessoas, a preservação do patrimônio público e a reputação da imagem da Instituição.

A ocupação foi realizada no final da noite de sexta-feira (18) e, logo no início da manhã de sábado (19), um grupo de estudantes contrários ao movimento também entrou na instituição para exigir a desocupação das instalações da Instituição por parte dos manifestantes. Houve início de confronto entre os grupos antagônicos e várias outras tentativas de embate, sempre amenizadas por representantes da Reitoria, da Direção e de servidores.

Em função do acirramento das posições e considerando que a presença de força policial se daria somente com ordem judicial, a instituição optou por solicitar judicialmente a reintegração de posse, de forma a garantir a integridade física das pessoas envolvidas no conflito.

Na primeira rodada de negociação, na tarde de sábado, representantes da instituição, em comissão, reuniram-se com os manifestantes, na presença de servidores da UTFPR, da UFPR e membros do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UTFPR, quando o movimento de ocupação informou que só sairia do local mediante o recebimento da notificação de reintegração de posse.

Com a informação dos ocupantes de que somente sairiam após receberem o documento de reintegração de posse e que o mesmo já havia sido solicitado, o movimento contrário à ocupação deixou voluntariamente o local. Como efeito, o ambiente de confronto instalado até então dentro do Câmpus foi minimizado.

No início da noite de sábado, o movimento recebeu a primeira notificação de reintegração de posse emitida pela 4ª Vara Federal de Curitiba.

Mesmo havendo a decisão judicial determinando a desocupação, a Comissão de Negociação da UTFPR atendeu à solicitação dos manifestantes para participar de uma segunda jornada de discussões. Neste momento, representantes do movimento apresentaram novas reivindicações. Após ajustes, com consenso entre as partes e com a presença dos advogados dos manifestantes, de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e de professores da UTFPR, elaborou-se um documento a ser assinado por dirigentes da universidade e do movimento. Essa minuta foi levada à assembleia dos participantes da ocupação para ser discutida com a finalidade de deixarem o Câmpus sem o aparato de reintegração de posse.

Decorridas algumas horas, o movimento declinou do acordo proposto, informando que faria um novo posicionamento no dia seguinte. A comissão da UTFPR informou, então, que as negociações estavam suspensas naquele momento (madrugada) e que aguardaria novo posicionamento do movimento no dia seguinte.

Durante todo o dia de domingo (20), a Comissão de Negociação da Instituição tentou contato com os manifestantes e, em torno das 18h30min, os participantes da ocupação informaram aos dirigentes da Instituição, também na presença de professores da Universidade Tecnológica e advogados do movimento, que eles só deixariam o local com o efetivo cumprimento da reintegração de posse.

Ao serem indagados sobre novas reivindicações, o movimento informou que se tratava de uma pauta nacional, sem solicitações locais, confirmando que só deixariam o local com o cumprimento de reintegração de posse.

Na manhã desta terça-feira, dia 22, oficiais da Justiça Federal entregaram uma nova intimação para desocupação imediata do Câmpus Curitiba, sob pena de multa de R$ 10 mil por dia por participante, com a necessária identificação dos participantes para a efetiva aplicação da penalidade e verificação de possível existência de menores de idade no episódio.

A Reitoria da UTFPR e a Direção do Câmpus Curitiba ressaltam seu posicionamento contrário a qualquer tipo de violência e lamentam profundamente esta situação. Enfatizam ainda que permanecem abertas ao diálogo e com o firme propósito de envidar todos os esforços para o retorno em breve à normalidade das atividades institucionais.

Ações do documento