Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cornélio Procópio > Medicamentos de baixo custo podem ser usados na nova cepa da Covid-19
conteúdo

Notícias

Medicamentos de baixo custo podem ser usados na nova cepa da Covid-19

COVID-19

Derivados de nitro de quinolina e N-óxido de quinolina mostraram ser opções de tratamento
publicado: 24/03/2021 17h13 última modificação: 24/03/2021 17h14

Um estudo liderado pelo pesquisador do Câmpus Londrina, Felipe de Almeida La Porta, e publicado na revista Nature Scientific Reports, identifica moléculas de derivados de nitro de quinolina e N-óxido de quinolina como opções de tratamento de infecções induzidas pela nova cepa do SARS-CoV-2, na sua forma mais contagiosa.

A partir de simulações computacionais (in silico) no nível da Teoria Funcional da Densidade (DFT), foram realizados estudos de acoplamento e métodos de dinâmica molecular para identificar as propriedades físico-químicas fundamentais e funções moleculares de uma diversidade de compostos, possibilitando a descoberta de novos medicamentos. Os resultados mostram que isômeros baseados nos derivados nitro de quinolina e N-óxido de quinolina (compostos biologicamente ativos), podem ser alternativas de baixo custo para o tratamento de infecções induzidas por SARS-CoV-2.

Além disso, os estudos demonstraram que os derivados do N-óxido de quinolina são melhores inibidores do que os equivalentes a quinolina.

Segundo o pesquisador, a síntese destes compostos é bem simples de ser realizada, sendo possível a produção em larga escala dos medicamentos e sem que sejam feitos muitos investimentos, tornando-os uma opção promissora contra a infecção causada pelo SARS-CoV-2. Eles indicam agora que sejam feitos experimentos in vitro e in vivo, com urgência para investigar mais profundamente os derivados, uma vez que ainda não existe um tratamento eficaz para esta doença. 

A pesquisa foi realizada em colaboração com pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Letícia Cristina Assis, Teodorico de Castro Ramalho e Alexandre Alves de Castro; da University of Hradec Kralove (UHK - República Tcheca), Eugenie Nepovimova e Kamil Kuca; e do mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais (PPGCEM) do Câmpus Londrina, João Paulo Almirão de Jesus.