Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Curitiba > Projeto Estímulo abre inscrições
conteúdo

Notícias

Projeto Estímulo abre inscrições

EXTENSÃO

Projeto de extensão voltando a realizar ações e atividades educativas ao combate da Doença de Parkinson está com inscrições abertas para voluntários e extensionistas
publicado: 25/03/2022 16h42 última modificação: 25/03/2022 18h09

A universidade pública deve servir à comunidade, e um dos exemplos desse princípio é o Projeto Estímulo, uma atividade de extensão desenvolvida em conjunto pelas docentes do campus Curitiba, Kátia Prus (coordenadora), do Departamento Acadêmicos de Física (DAFIS) e Elisângela Lobo (vice-coordenadora), do Departamento Acadêmico de Desenho Industrial (DADIN). O objetivo do projeto é realizar ações de extensão educativas e de conscientização com pacientes diagnosticados com a doença de Parkinson, familiares, acadêmicos e profissionais que frequentam as instituições relacionadas em todo território nacional, além do ambiente universitário. O Projeto visa também desmistificar a Doença de Parkinson e promover inovações na área, melhorando a qualidade de vida dos pacientes e trazendo inclusão, aumento da funcionalidade e maior independência para este público. "A extensão deve abrir as portas da universidade, sair para a comunidade" - explica Kátia Prus, professora do DAFIS e coordenadora do projeto

Também participam do Projeto Estímulo, o Núcleo de Design de Animação, outro projeto do DADIN, 
que envolve servidores administrativos e professores de outros departamentos. Além disso, há parcerias com as organizações Parkinson Paraná e Viva Parkinson de Blumenau-SC. 

"Temos várias ações, atividades diversificadas de ampla participação. Os professores, técnico-administrativos e acadêmicos da UTF, de todos os cursos, como comunidade interna, podem participar, e também a comunidade externa" - explica Kátia. "A atividade de extensão é registrada e homologada, o que nos exige produção de um relatório, e, no final, permite entregar declaração para quem participou como ouvinte, palestrante ou como equipe organizadora - não precisa estar fixado no projeto. Você pode ministrar uma oficina de uma área que domina, como fotografia, etc", detalha. A docente ainda observa que atualmente muitas empresas dão valor à participação em atividades voluntárias, bem como bolsas de mestrado. "Queremos que a pessoa venha nos ajudar, que participe e cresça, porque voluntariado também é isso", conclui.

Diversidade de ações

"A declaração é importante, é uma prova física da participação, mas a vivência, as experiências interpessoais transformam-se em aprendizado, de modo que a declaração não é apenas um papel. Além da parte acadêmica, tem a parte humana", conta Ana Carvalho, que foi bolsista do projeto em 2021. "Se você é aluno de computação, pode desenvolver um joguinho para mostrar o funcionamento do cérebro; se você é do Design, pode fazer um desenho para representação visual da doença; se da Comunicação, pode fazer um texto que seja mais acessível ao público, pois tem palavras muito complicadas... você pode aprender muito justamente encontrando pessoas que vêm de uma área diferenciada da sua", explica a estudante. E também é possível desenvolver o voluntariado no Estímulo em atividades não tão especializadas, como na administração, trato com os pacientes, etc.

Há reuniões síncronas da equipe terça, sim, terça, não, das 19h às 20h. Estima-se que sejam necessárias de 3 a 4 horas de dedicação semanal. O voluntário recebe uma declaração de participação no final do semestre, e existe controle de frequência sobre a participação nas atividades. É possível conhecer os dez eixos de atividades do projeto, neste vídeo  para interessados em ingressar.

Doença de Parkinson e história do estímulo

A incidência da Doença de Parkinson na população mundial está crescendo devido ao aumento da expectativa de vida. O Parkinson causa prejuízo à produção do neurotransmissor dopamina, o que produz tremores e outros problemas motores, mas também outros sintomas, como bradicinesia ("travamento"), perda de memória, etc. 

A decisão da professora Kátia Prus em criar o Estímulo, passa pela experiência pessoal, pois sua mãe é paciente da doença. As atividades do grupo começaram em 2018, quando Kátia iniciou um projeto piloto junto à Associação Parkinson Paraná, propondo aos alunos calouros do Curso de Radiologia, do qual é docente, uma visita à Associação para realizar doações e fazer um lanche com os pacientes. Em 2019, ampliando as atividades, os estudantes do curso realizaram palestras e aulas com os portadores da doença. Em 2020, devido à pandemia, as atividades foram remodeladas e iniciou-se um novo formato, on line, com lives, elaboração de materiais, postagem e divulgação nas redes sociais, entre outros, atraindo e solicitando voluntários para o projeto, que contou então com 10 participantes. Esse número aumentou para 24 em 2021 e agora o Projeto também tem um bolsista pelo edital Prorec. 

Para mais informações, o interessado pode enviar mensagens por Instagram ou para o e-mail projeto.estimulo@gmail.com

O Projeto Estímulo também mantém uma página no Facebook  e Canal no YouTube, com diversas palestras, depoimentos e orientações interessantes e relevantes para os pacientes de Parkinson e seus familiares.

Evento "A Força da Mulher e a Doença de Parkinson"

No dia 28 de março, às 17h acontecerá a primeira Live do Chá das Cinco do ano de 2022. Trazendo quatro convidadas, que irão conversar um pouquinho sobre: "A Força da Mulher e a Doença de Parkinson". Haverá declaração para aqueles que participarem ao vivo. O evento será transmitido pelo link: https://youtu.be/SnNoloDwM6U

Venha inovar em saúde e inclusão! Voluntariado faz bem pra quem faz e pra quem recebe (e conta pontos em carga horária!)