Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Curitiba > Três professores são citados no Ranking Mundial dos Cientistas
conteúdo

Notícias

Três professores são citados no Ranking Mundial dos Cientistas

Ranking Internacional

Três professores-pesquisadores do campus Curitiba da UTFPR estão presentes na lista de impacto do pesquisador
publicado: 21/12/2020 00h00 última modificação: 25/03/2021 20h39

O artigo “Updated science-wide author databases of standardized citation indicators”, de John Ioannidis, da Universidade de Stanford, dos Estados Unidos da América, foi publicado pela revista Plos Biology no dia 16 de outubro de 2020 e elencou os 100 mil cientistas de maior relevância até 2019, dividindo-os em dois rankings: o primeiro, levando em consideração o impacto do pesquisador ao longo de sua carreira; e o segundo, o impacto do pesquisador em um único ano, no caso, 2019.

O campus Curitiba da UTFPR teve três professores-pesquisadores presentes na lista de impacto do pesquisador em um único ano, são eles: Eduardo Leite Krüger, professor do Departamento Acadêmico de Construção Civil (DACOC), Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC) e Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade Ambiental Urbana (PPGSAU), Roger Gules, professor do Departamento Acadêmico de Eletrotécnica (DAELT) e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial (CPGEI) e José Domingos Fontana, professor visitante do Departamento Acadêmico de Química e Biologia (DAQBi) e do Programa de Pós-Graduação de Ciência e Tecnologia Ambiental (PPGCTA).

Os professores contam sobre suas pesquisas e o que os levou a estar no ranking.

Krüger trabalha em assuntos relacionados à área de sustentabilidade na construção: “tenho tratado de temas tanto no contexto urbano como da edificação com ênfase no conforto e bem estar do usuário, além da avaliação de sistemas de condicionamento natural de edificações com foco no desempenho térmico e luminoso.” Ele continua: “são  vários trabalhos de pesquisa dentro dessa temática geral. O que destaca esses trabalhos é o fato de tratarem de temas inovadores na área, uma vez que me mantenho permanentemente atualizado.”

Gules trabalha com desenvolvimento de conversores que são utilizados na transformação da energia elétrica, com a utilização da eletrônica: “fontes renováveis, para conexão de painéis fotovoltaicos, energia eólica e praticamente todo equipamento eletrônico que tem conversão de energia para poder funcionar.” Roger conta mais sobre o estudo: “fiz um trabalho que iniciou uma área, por ser um trabalho precursor e que se desenvolveu muito, o trabalho acabou sendo muito citado.”

Os pesquisadores também relatam sobre suas experiências pessoais e a importância do trabalho que vêm fazendo na UTFPR.

Eduardo vê como uma experiência gratificante: “a possibilidade de conhecer sempre novos pesquisadores e iniciar importantes colaborações de pesquisa é gratificante.” Sobre a importância, ele diz: “para a universidade, são três aspectos relevantes: o ganho na qualidade da pesquisa; vantagens para os estudantes, que acabam recebendo um ensino atualizado sobre o estado da arte naqueles assuntos que detalhei; e, a divulgação do nome da instituição e de seus programas de pós-graduação em publicações, redes de pesquisa e rankings como este.”

Para Roger foi um reconhecimento de seu trabalho, mas lembra que há outras pesquisas sendo feitas na UTFPR: “eu fiquei feliz, faço meu trabalho sempre procurando ser o melhor possível. Independentemente de estar no ranking ou não, a universidade tem vários pesquisadores excelentes, inúmeras pesquisas relevantes e que ao longo do tempo terão seus resultados e impactos positivos.” Ele também comenta sobre a importância: “é importante para a universidade porque dá visibilidade. Todo mundo está olhando esses resultados para mostrar que suas universidades têm qualidade, que a pesquisa que está sendo feita é relevante, e esse resultado não é só individual do pesquisador, a universidade tem sua contribuição, na infraestrutura e nas condições de trabalho.”

José Domingos, atualmente professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), conta sobre sua trajetória e conquistas: “O reconhecimento nacional e internacional para determinada reputação acadêmica requer muitos anos de dedicação à pesquisa, temperada com 5% de inspiração e 95% de sudorese. Muito devo à UFPR, onde colhi a Medalha de Ouro Dr. Nilo Cairo na graduação e durante mais de 30 anos percorri a escadaria docente de Auxiliar de Ensino, Assistente, Adjunto e Titular, na Bioquímica do setor das Biológicas, seguidos de mais 10 anos como Visitante na Farmácia das Ciências da Saúde, de 1972 a 2011. Na UFPR, fui distinguido como 11º Prêmio Paranaense em Ciência e Tecnologia em 1996, com a Comenda Nacional de Mérito Farmacêutico do Conselho Federal de Farmácia (CFF) em 2001, com a Medalha de Cientista do Ano da Câmara de Vereadores de Curitiba em 2002 e Luminar na Pesquisa de Ciências da Saúde da UFPR em 2012.” Ele continua: “Dois papers desta época alcançaram projeção internacional: a pele artificial humana e temporária para a terapia de queimaduras (segundo o Publons, com mais de 250 citações por terceiros) e a tecnologia de desconstrução de bagaço de cana com ácido fosfórico diluído e termopressurizado para separação de xilose, lignina e celulose facilmente hidrolisada por enzimas, ou seja, o objetivo do bioetanol de moda. Tecnologia publicada em 1984, mas intensamente utilizada pela Novozymes no período de 2011 a 2013.”

Domingos comenta sobre o que considera ter sido essencial para ser citado na lista: “acredito ter sido arrolado dentre os 600 ilustres pares brasileiros por conta de algumas particularidades, como: (a) Três cartas de patentes concedidas pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) em 2018 e mais duas agora em 2020, uma delas em parceria com Pedro Ramos da Costa Neto, professor do DAQBi; (b) o impacto que vem sendo alcançados por dois capítulos na maior Editora de OABooks (Open Access) do mundo, a Intechopen: “Phosphoric Acid, a gentle proton donor” com mil downloads e “Sugar Versatility” com 500 downloads, este em parceria com Gustavo Henrique Couto, professor do DAQBi; (c) paper em Algal Research (fator de impacto 4) em parceria com Marcelo Real Prado, professor do Departamento Acadêmico de Alimentos (DALIM) do campus Campo Mourão da UTFPR; (d) paper em compósitos de celulose bacteriana em parceria com Charles Windson Isidoro Haminiuk, professor do DAQBi, em Polymer Engineering and Science.”

José também relembra o tempo em que esteve como professor visitante na UTFPR: “Permanentemente mergulhado na linha de Pesquisas em Quimio e Biotecnologia de Biomassas, graças a uma bolsa quadrienal do Programa Professor Visitante Nacional Sênior (PVNS) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), me transferi para o DAQBI e PPGCTA. Alí permaneci no quadriênio de 2012 a 2015 e ainda mais um biênio até o final de 2018, então como Sênior. Além do legado material antes mencionado, deixei em favor do PPGCTA duas quotas de Bolsas de Pós-Doutorado e orientei cinco dissertações de mestrado.”

John Ioannidis, autor do artigo, usou a base de dados Scopus para ter acesso às citações feitas no mundo.

Matéria atualizada após sua publicação com o depoimento do professor José Domingos Fontana.

Reportagem escrita em coautoria com João Guilherme Hessel.