Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Pato Branco > Letras
conteúdo

Notícias

Letras

PPGL e GELCON participam da organização de “Seminário João do Rio no século XXI: das ruas, das letras e das artes”
publicado: 07/10/2021 11h54 última modificação: 03/11/2022 17h40
Imagem: Arte divulgação do evento no YouTube

Imagem: Arte divulgação do evento no YouTube

Em virtude da celebração do centenário da morte do escritor João do Rio e visando promover conferências de pesquisadores de todo o país sobre o autor, foi realizado, nos dias 28, 29, 30 de setembro e 01 de outubro, o evento online “Seminário João do Rio no século XXI: das ruas, das letras e das artes”.

A inciativa foi promovida em parceria, entre o Laboratório de Estudos de Literatura e Cultura da "Belle Époque" (LABELLE), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); Universidade Federal do Paraná (UFPR); e o Programa de Pós-graduação em Letras (PPGL) e Grupo de Estudos de literatura contemporânea: comparatismo, tradução e interartes (GELCON), da UTFPR, Campus Pato Branco.

O público-alvo do evento foram professores, pesquisadores e interessados das humanidades no tema (Letras, História, Antropologia, Jornalismo).

Foram quatro tardes com diversas lives de apresentações de pesquisadores de todo o país focando na obra do escritor João do Rio. Na avaliação do professor do PPGL e coordenador do GELCON, Wellington Fiorucci, “foi de grande relevância para divulgar os trabalhos de pesquisadores destas instituições, além de fortalecer o vínculo interinstitucional entre os grupos de pesquisa destas universidades”.

Os trabalhos apresentados no evento serão publicados em forma de livro e os conteúdos e produções compartilhadas nas lives estão disponibilizadas no canal do LABELLE-UERJ, no YouTube.

Quem foi João do Rio?

João do Rio é o pseudônimo de João Paulo Coelho Barreto, ou Paulo Barreto, jornalista, cronista, romancista, contista e dramaturgo. Em sua produção, o autor carioca fundiu reportagem e crônica, inovação que criou um gênero que o distinguia em sua época. A cidade do Rio de Janeiro, então capital federal, que passava por transformações modernizantes no começo do século XX, assim como seus redutos marginalizados, foram protagonistas de suas crônicas, contos e livros, como "A Alma Encantadora das Ruas" e "Dentro da Noite".