Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Pato Branco > Língua Inglesa - Internacionalização
conteúdo

Notícias

Língua Inglesa - Internacionalização

Projeto de IEES paranaenses recebe financiamento de Embaixada dos EUA
publicado: 02/09/2020 18h05 última modificação: 02/09/2020 18h12

O projeto Content and Language Integrated Learning (CLIL) and Technologies for teachers in Paraná  foi contemplado com financiamento do Relo Office – Escritório Regional de programas de Língua Inglesa, da Embaixada dos EUA no Brasil, para a formação de professores de inglês. O projeto é uma parceria entre três universidades do estado, a Universidade Estadual de Londrina (UEL), a Universidade Estadual de Maringá(UEM) e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Câmpus Pato Branco. 

Pela UEL, o projeto é coordenado pela professora Michele Salles El Kadri, do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas (LEM) e coordenadora do Mestrado Profissional em Letras Estrangeiras Modernas (MEPLEM), do Centro de  Letras e Ciências Humanas (CCH). Ela explica que o financiamento consiste na contratação  de professor norte-americano para as aulas, por meio do Virtual English Language Specialist Program. “O Programa prevê a parceria de professores americanos em propostas colaborativas voltadas ao ensino de tópicos pertinentes ao ensino de língua inglesa”, explica Michele ElKadri.

Conforme aponta a professora, os professores norte-americanos são profissionais doutores com experiência em TESOL, ensino de inglês para falantes de outras línguas, que são selecionados pelo Relo Office. “A contribuição desses profissionais é a participação online em conferências, aulas, projetos, workshops ou colaboração no desenvolvimento de currículo”. As aulas serão realizadas durante cinco semanas nos meses de setembro e outubro, com carga horária de 20 horas.

A UTFPR-PB integra essa parceria, a convite da professora Michele El Kadri à professora do departamento acadêmico de Letras (DALET), Taisa Pinetti Passoni, docente da graduação e do mestrado em Letras em Pato Branco. Ela explica que “tendo em vista o contexto da Pandemia do COVID-19, no mês de agosto, o RELO abriu esta chamada para projetos de universidades públicas brasileiras visando ser um mecanismo rápido de conexão entre professores, estudantes e pesquisadores dos dois países. O RELO aprovou nossa proposta e indicou especialistas em língua inglesa que pudessem atuar nela. Fizemos entrevistas com estes especialistas e selecionamos a professora Maria”, informou Taisa.

Professores – O público-alvo da proposta são professores em formação inicial do curso de Letras, com habilitação em língua inglesa das três universidades parceiras e professores em serviço. “Nesta proposta, as três instituições trabalharão com a professora Maria Dantas Whitney, coordenadora do Bilingual Teachers Scholars Program da Western Oregon University (USA)”, comenta a professora Taisa. A proposta tem apoio da Assessoria de Relações Internacionais (ARI) da UEL e do Escritório de Cooperação Internacional da UEM. 

Michele El Kadri destaca a abordagem do curso, integra a aprendizagem de língua com conteúdo, uma realidade que muitos professores vão encontrar na sua atuação profissional e que é adotada por muitas escolas bilíngues. “Essa proposta é bem relevante para nós do curso de Letras da UEL, porque além de propiciar momentos de aprendizagem linguística entre professores de outras instituições, colabora para a formação de uma comunidade de prática”.

A professora Taisa Passoni, da UTFPR, afirma que a iniciativa é muito importante e cita duas dimensões. “Pensando o processo de internacionalização das universidades e, também, pensando na criação de redes, porque a gente está criando parcerias institucionais”, afirma. “Além de ser um espaço bacana para os próprios alunos interagirem. Teremos alunos das três instituições fazendo esses cursos, criando uma comunidade de professores de língua inglesa do estado do Paraná”.

A assessora do Escritório de Cooperação Internacional da UEM, a professora Sandra Schiavi, enfatiza o papel desse projeto na perspectiva da internacionalização da Universidade, aspecto necessário para a projeção do cenário universitário brasileiro em todo o mundo. “Embora pareça uma coisa pontual, [de ensino] de língua, é uma ação que tem uma importância institucional muito grande”.

ARI – O professor Fábio Pitta, assessor de Relações Internacionais da UEL, afirma que o projeto Content and Language Integrated Learning (CLIL) and Technologies for teachers in Paraná tem apoio da ARI, por ser uma proposta muito interessante. “O ensino e a compreensão de outra língua são um dos pilares da internacionalização. O financiamento da Embaixada americana e o caráter multicêntrico do projeto  confirmam a importância dessa iniciativa, fundamental para a diminuição das barreiras na internalização do estudo”.

Desenvolvimento do projeto  As Instituições parceiras estão efetuando inscrições formulando convite a estudantes de Licenciatura em Letras – Inglês e a professores que já atuam em escolas públicas e privadas nas três cidades do estado (Pato Branco, Maringá e Londrina). As vagas são limitadas e, portanto, não serão abertas ao público em geral.

O projeto de extensão será realizado entre setembro e outubro. Mas, a partir dele, haverá desdobramentos, conforme informações da professora Taisa. “Já estamos viabilizando um projeto de pesquisa que envolve as quatro instituições para que possamos investigar e divulgar os resultados da iniciativa nos próximos dois anos”.

A realização desse curso tem uma relevância na atualidade, importante a ser destacada: “vem atender a duas demandas bem pontuais para professores de inglês: o uso das tecnologias que foi potencializado no contexto da pandemia e a demanda pela língua inglesa principalmente com o crescimento de escolas bilíngues e internacionais no Brasil”, afirma Taisa.

As atividades ocorrerão na modalidade online, com 5 encontros semanais síncronos de 1 hora, mas os participantes terão carga horária semanal de mais 2 horas para leituras e atividades. Ao final, será solicitado aos participantes que produzam materiais didáticos, planos de aulas a partir dos conhecimentos adquiridos no curso. 

Profa. Maria Dantas Whitney, coordenadora do Bilingual Teachers Scholars Program, da Western Oregon University (USA).

Assessoria de Comunicação (ASCOM-PB), com informações da Agência UEL