Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Pato Branco > UTFPR, 112 ANOS!
conteúdo

Notícias

UTFPR, 112 ANOS!

Trajetória centenária da “tecnológica” é comemorada com toda a comunidade
publicado: 22/09/2021 17h35 última modificação: 22/09/2021 17h35

Aniversariar é, sempre, muito especial e celebrar 112 anos de história é um momento ímpar. A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) tem uma trajetória centenária e sua história marcada de transformações. Desde a fundação como Escola de Aprendizes Artífices, em 1909, é uma Instituição que soube se adaptar às necessidades de cada momento histórico. Sempre com os olhos voltados ao futuro, buscando novas oportunidades de inovação nas demandas da sociedade. Com 13 campi no Estado, é um agente de transformação em cada localidade onde está inserida, contribuindo na geração do desenvolvimento e bem-estar social para as populações locais.

No Sudoeste paranaense, o primeiro campus da UTFPR se instalou em Pato Branco, ainda na época do então Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (Cefet-PR), em 1993. A presença de uma universidade pública se configurou como um importante passo para a transformação de Pato Branco em um dos principais polos de desenvolvimento tecnológico do Paraná.

O Cefet-PR chegou à cidade já com a casa montada, porque contou com a incorporação da Fundação de Ensino Superior de Pato Branco (Funesp), uma instituição mantida pela Prefeitura Municipal e que ofertava os cursos de Administração, Agronomia, Ciências Contábeis, Letras, Matemática e Tecnologia em Processamento de Dados. Assim, já no seu início, a cidade passou a contar com a oferta de cursos de nível técnico integrado ao ensino médio e graduações. Pouco tempo depois, em 1998, uma imposição legal proibiu a oferta dos cursos técnicos na modalidade integrada. Adaptando-se rapidamente à nova realidade, Pato Branco começou a oferecer turmas para o ensino médio. Ampliou ainda o portfólio de graduações com a oferta de novos cursos de tecnologia, Voltando-se aos processos de transferência e inovação tecnológica, em 1999, foi criado o Hotel Tecnológico, com o objetivo de apoiar o desenvolvimento de projetos de estudantes, egressos, servidores e pesquisadores empreendedores. Ao longo dos anos, esse processo se constituiu em um importante indutor para o surgimento de novos empreendimentos tecnológicos para Pato Branco e região. Em 2005, com a transformação do Cefet-PR em Universidade, Pato Branco passa a ter um campus universitário da UTFPR. Os anos seguintes foram de verdadeiro crescimento por conta da Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

Atualmente, com 28 anos de presença em Pato Branco, o Campus tem uma realidade bastante diferente de quando o foco da instituição estava centrado nos cursos técnicos. Como Universidade, atua no tripé ensino, pesquisa e extensão.

Se consolidou na última década, também como uma instituição de pesquisa e Pós-Graduação, com mais de uma centena de pesquisadores doutores, que desenvolveram projetos em diversas áreas do conhecimento, com aplicações em vários ramos da sociedade.

A pós-graduação é certamente o grande impulsionador da pesquisa, mas esta nasce já com alunos de graduação desenvolvendo projetos de iniciação científica. Este processo é fortemente incentivado no Campus Pato Branco, em que dezenas de alunos de praticamente todos os cursos de graduação desenvolvem atividades de pesquisa, apoiados por bolsas de iniciação científica fornecidas  pelo CNPq, Fundação Araucária e UTFPR.

Na pós-graduação, a UTFPR Pato Branco se estabeleceu como uma instituição de destaque em toda região Sul, Sudoeste e Oeste do estado do Paraná, tendo formado centenas de mestres e dezenas de doutores  ao longo dos últimos anos. Hoje conta com oito cursos de mestrado nas áreas de Agronomia, Desenvolvimento Regional, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção, Letras, Processos Químicos e Bioquímicos e Matemática, além dos cursos de doutorado nas duas primeiras.

Os resultados das pesquisas desenvolvidas pelos programas de pós-graduação da UTFPR Pato Branco, além de contribuir para a produção científica nacional e internacional, são sentidos diretamente na sociedade, em áreas como o agronegócio, o setor de energia renovável, saneamento, a indústria alimentícia, indústria de transformação, os setores de educação e de saúde, a indústria de software, entre diversos outros ramos da economia de Pato Branco e região. São centenas de projetos que colaboram com o desenvolvimento do comércio, do setor de serviços, de indústrias, das prefeituras, da formação dos indivíduos e contribuem de forma significativa para o desenvolvimento de Pato Branco como “cidade inteligente”. Atributo que, recentemente, foi elevado de 5ª para 3ª cidade mais inteligente do Brasil entre os municípios com porte de 50 a 100 mil habitantes, segundo Ranking Connected Smart Cities 2021. Já no Paraná e na região Sul do país, o município ficou em 1º lugar dentro da categoria de até 100 mil habitantes. 

Na graduação, o campus Pato Branco oferta 12 cursos, com excelentes conceitos no ENADE, sendo 8 bacharelados (Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Computação, Agronomia, Administração, Ciências Contábeis, Química), duas Licenciaturas (Matemática e Letras – Português e Inglês), além de duas tecnologias (Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Manutenção Industrial). A discussão em torno das matrizes curriculares, das novas necessidades do mundo do trabalho e de metodologias de ensino mais adequadas para os dias atuais é praticamente uma constante no campus Pato Branco. Prova disto é que os primeiros cursos da UTFPR a reformularem seus projetos pedagógicos, Administração e Ciências Contábeis, para os modernos conceitos de ensino por competência são deste campus.

Como forma de garantir formação diferenciada e de qualidade, outra aposta do campus foram os programas de Dupla Diplomação e de Mobilidade Nacional e Internacional. Atualmente todos os cursos do campus possuem alguma forma de mobilidade disponíveis para seus estudantes. Um dos primeiros programas desta natureza foi o MARCA, sistema de mobilidade que existe entre os cursos ditos “acreditados” e que envolve universidades do Mercosul. O curso de Agronomia do campus Pato Branco é acreditado, e faz parte do programa desde 2012. Através deste programa o curso envia e também recebe, semestralmente, estudantes de outras instituições do Mercosul.

Nos últimos anos, os alunos têm tido a oportunidade de participar de programas de intercâmbio em diversos países. Foram firmados acordos de Dupla Diplomação com instituições de ensino em Portugal e França. Nesta modalidade, os alunos obtêm diploma tanto da UTFPR como da instituição europeia. Programas mais específicos, como o MEI – Mobilidade Estudantil Internacional – oferecem vagas de mobilidade acadêmica para que os alunos possam estudar por um ou dois semestres em universidades espalhadas em todo o globo, com destaque para Portugal, Espanha, Alemanha, França, Japão e Suécia.

Já na oferta das ADNPs (Atividades Didáticas não Presenciais) que não eram obrigatórias, o campus conseguiu ofertar mais de 70% de suas disciplinas tornando evidente o esforço dos professores e técnico-administrativos no sentido de procurarem soluções que permitissem aos estudantes dar sequência às suas formações. Esse esforço, mais tarde reformulado no formato APNPs (Atividades Pedagógicas não Presenciais) tem permitido que muitos dos graduandos e pós-graduandos do campus Pato Branco consigam completar sua formação e ingressem no mundo do trabalho num momento tão importante e delicado para a região e para o pais.

Um dos principais diferenciais do campus Pato Branco é o número de professores titulados. Atualmente mais de 67% dos professores possuem título de doutor, muitos dos quais realizaram seus programas de doutoramento já como professores da UTFPR, e, portanto, obtiveram seus títulos em áreas de conhecimento que atendem as necessidades específicas dos cursos em que atuam, seja na graduação ou na pós-graduação. Esse indicador eleva a qualidade do ensino ofertado no campus, pois muitos dos trabalhos de ensino, pesquisa e extensão realizados por estes professores, em conjunto com os estudantes, resolvem demandas específicas da região sudoeste do Paraná, mas utilizando soluções de ponta, que estão presentes em grandes centros de desenvolvimento tecnológico e científico.

Outro diferencial da UTFPR que também é repetido no campus Pato Branco é o número de vagas destinadas aos estudantes cotistas. Definida por meio de lei federal, a ocupação das vagas sempre respeita a regra de 50% de reserva para estudantes oriundos da escola pública, de forma cumulada com condição de renda e autodeclaração racial e/ou ser pessoa portadora de deficiência. O diferencial no campus Pato Branco é que a permanência dos estudantes que ingressam nas cotas é muito elevada em comparação com estudos de outras universidades. Mais de 80% dos estudantes cotistas concluem seus estudos na UTFPR campus Pato Branco, enquanto dados de outras instituições públicas mostram índices de permanência em torno de 60% e com elevada rotatividade entre os cursos.

Os alunos, ao longo do curso, também têm a oportunidade de participar de diversas atividades de ensino, pesquisa e extensão, trabalhando como bolsistas e produzindo conhecimento. Também podem participar de equipes de competição, tais como Pato a Jato, Tubarão Branco, Pato Baja, PatoBots, em que os alunos desenvolvem protótipos e participam de competições nacionais e internacionais. A equipe Pato a Jato, por exemplo, já participou de edições da Shell Eco-Marathon Americas 2018, nos Estados Unidos, e sagrou-se a campeã, na categoria etanol, além de ser tricampeã na competição Shell Eco-Marathon Brasil 2019 e dona do novo record da américa latina.

Atualmente, o campus possui 3597 alunos de graduação, tendo formado, nos últimos dez anos, 2581 alunos oriundos de 18 estados da federação, com destaque para alunos do Paraná (42,9%), São Paulo (24,4%) e Santa Catarina (15,9%).

Na interação com a comunidade, nos últimos 4 anos, foram 816 projetos e eventos de extensão realizados, coordenados por mais de 100 servidores e inúmeros alunos. Destes, 104 projetos contemplados com bolsa de extensão, revertidos a estudantes na forma de bolsa-auxílio para desenvolverem os projetos em prol da comunidade pato-branquense, sendo, ainda, 71 destes projetos, de cunho social de variados gêneros e com inúmeras instituições parceiras.

Dentre as iniciativas, destaca-se o projeto de extensão “Pato Branco - Cidade Amiga do Idoso”, desenvolvido por uma equipe interdisciplinar e interinstitucional, composta por cerca de 75 pessoas, sendo professores, técnico-administrativos, alunos de graduação e de pós-graduação do Campus Pato Branco, professores e alunos dos Cursos de Fisioterapia, Enfermagem, Psicologia e Pedagogia, da Faculdade de Pato Branco (FADEP) – atual UNIDEP  – além de participantes da Comissão Rotária de Pato Branco, Interact Club, Pastoral da Pessoa Idosa, Sebrae e Prefeitura Municipal de Pato Branco.

Em virtude do projeto, o Município de Pato Branco recebeu, por intermédio da deputada federal, Leandre Dal Ponte, a certificação de Cidade Amiga do Idoso, título entregue pela Organização Panamericana da Saúde (OPAS) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Outra grande parceria é mantida com a Prefeitura Municipal de Pato Branco, participando e executando diversos projetos e eventos na comunidade, como as Feiras de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pato Branco, atividades do sistema de incubação de empresas, prestação de serviços tecnológicos, Feiras de Profissões, TECSUL, entre outros.

Ainda, o Câmpus Pato Branco também é parceiro do Projeto Rondon, realizado pelo Ministério da Defesa. Já participou de quatro operações e se prepara para a próxima, a ser realizada no Amapá, em fevereiro de 2022.

Da mesma maneira, em 2020, com a chegada do COVID-19 no Paraná, o Campus Pato Branco realizou 30 ações e projetos em combate à pandemia.

Estas e outras características e iniciativas consolidam a UTFPR e, ser a única tecnológica no Brasil a faz, necessariamente, referência nacional e na América Latina. É algo que está longe de ser simples, trivial, para uma jovem Universidade. Assim, devemos criar um lastro muito firme nos propósitos que nos criaram e manter esta constância do projeto. E, sim, somos uma Universidade preparada para os desafios deste novo tempo porque temos estudantes e servidores que sonham e fazem diferente. Com as construções coletivas, de forma contínua e inexorável, estamos ganhando a condição de protagonistas no cenário educacional brasileiro. Queremos, podemos e sonharemos ainda mais... Vida longa e próspera à nossa UTFPR!!!!

PARABÉNS a todos que a tornam uma Universidade singular!!!