Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Ponta Grossa > Produção de Máscaras
conteúdo

Notícias

Produção de Máscaras

Projeto voluntário da universidade objetiva a produção de 1000 máscaras para proteção individual de profissionais da saúde
publicado: 30/03/2020 10h04 última modificação: 08/04/2020 11h06

Uma ação que começou no estado do Rio de Janeiro e alcançou o país todo, tem recebido a colaboração de docentes e estudantes das universidades públicas com sede na cidade de Ponta Grossa: a produção de máscaras / protetores faciais utilizados como equipamentos de proteção individual para profissionais da saúde. No último dia 27 de março, mais 20 delas foram entregues para o Hospital Universitário dos Campos Gerais - diariamente pelo menos essa quantia será entregue às instituições de saúde.

As máscaras estão sendo produzidas em impressoras 3D, com viseiras de acetato. A expectativa é que mais de mil unidades sejam fabricadas, garantindo o equipamento básico de segurança para profissionais da saúde que atuam na região de Ponta Grossa e também pequena parte do interior do estado de São Paulo.

Esta ação chegou até a UTFPR Ponta Grossa através da alguns empresários voluntários da região, que iniciaram uma parceria com a UEPG e com a UTFPR. O organizador institucional da atividade é o docente Rui Yoshino, que ressalta a importância da rede de colaboradores neste momento, “O vírus trouxe a necessidade de colaboração, não podemos esquecer que estamos isolados em casa e não dos problemas e das oportunidades”, reforça o professor que já tem mais de dez parceiros trabalhando com ele na produção de protetores faciais.

Como a Universidade Tecnológica possui também impressoras de corte a laser, sua primeira atitude foi oferecer apoio para a impressão de suportes e se disponibilizar a cortar as viseiras. Aos poucos os integrantes assumiram as funções de distribuição e entrega do que era produzido também e a rede de colaboração foi sendo aumentada.

As primeiras doações de insumos para a produção dos protetores faciais foram feitas por docentes das instituições envolvidas e também pelo Rotary Clube da cidade. As universidades envolvidas estão engajadas em conseguir a compra de mais insumos para que a produção continue até que a demanda emergencial seja suprida; enquanto isso tem trabalhado também com várias fontes de doação.

Os modelos destes protetores faciais, que iniciaram sua produção no país através de uma iniciativa da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), em Ponta Grossa foram enviados para avaliação da Direção do Hospital Universitário da UEPG, que se reuniu para avaliar os equipamentos produzidos, garantindo que os profissionais da saúde recebam materiais adequados para sua segurança.

O coordenador das ações na UTFPR ainda lembra que “quanto mais pessoas colaborando, antes sairemos desta pandemia; podemos sair dessa muito melhores como pessoas, pois nos sentimos ótimos em poder fazer o bem”. A ação conta com o apoio dos professores Frederic Conrad Janzen, Marcelo Vasconcelos, Maurício Kaster, Romeu, Carlos, Max Mauro Dias Santos; da funcionária do Hospital Bom Jesus, Janaína; da Maira Holleben, que faz parte da Guarda Municipal; dos parceiros do Clube da Robótica - Evandro Kafka e Wagner Weiber; Bruna e Carlos da empresa Floriano Doceria e Café; da Bárbara, empresária de Castro, bem como do aluno do Mestrado em Eletrônica, Alison Chaicoski, que está encarregado de operar as máquinas.