Aviso: O site da UTFPR está sendo reestruturado. Você está visitando a nossa página antiga.

Neste momento de transição, algumas atualizações estão sendo realizadas na nova versão, disponível aqui

Você está aqui: Página Inicial patobranco Estrutura do Câmpus Assessorias Assessoria de Comunicação Comunicação e Imprensa Notícias 2010 Cine Debate abordou “O futuro da agricultura e da saúde pública numa sociedade livre do tabagismo”

Cine Debate abordou “O futuro da agricultura e da saúde pública numa sociedade livre do tabagismo”

A UTFPR - Campus Pato Branco, juntamente com o Sesc Paraná e o Instituto Nacional de Câncer - INCA promoveram no dia 21 de setembro, o Cine Debate “O futuro da agricultura e da saúde pública numa sociedade livre do tabagismo”, no Auditório do Sesc.

O evento abordou os impactos da redução do tabagismo sobre o futuro da saúde pública e da agricultura brasileira e explicitou os necessários esforços que devem ser realizados pela sociedade na busca por alternativas economicamente sustentáveis ao cultivo do fumo, para com 200 mil pequenos agricultores integrados na cadeia produtiva do tabaco.

Foram apresentadas ainda as ações que o Ministério da Saúde e o Ministério do Desenvolvimento Agrário em convênio com a UTFPR têm construído para consolidar a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde cujo tratado o Brasil é signatário desde 2005.

O público presente pode apreciar a apresentação do documentário “Fumando Espero”, da cineasta Adriana Dutra. A coordenadora da Política Nacional de Controle ao Tabaco, Tânia Cavalcante, do Instituto Nacional de Câncer/INCA/MS, falou sobre Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco no Brasil (CQCT). O Prof. Dr. Miguel Angelo Perondi, da UTFPR - Campus Pato Branco, explanou sobre o “Resultado das pesquisas por alternativas economicamente sustentáveis à cultura do fumo: um esforço para implementar os artigos 17 & 18 da CQCT”.

Na avaliação de um dos organizadores, “o evento foi muito bom e contou com a participação de mais de 80 pessoas entre estudantes universitários e profissionais ligados ao setor da saúde”, declarou o professor Miguel Angelo Perondi.

Ações do documento