Curso de Extensão

Câmpus oferecerá Capacitação em Línguas de Sinais – Libras Módulo I, aos servidores, alunos e comunidade em geral

Compreender o desenvolvimento histórico e cultural da comunidade surda brasileira, bem como apresentar as características fundamentais da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS à comunidade são os principais objetivos da “Capacitação em Língua de Sinais – LIBRAS, Módulo I”, que será realizado a partir do dia 25 de fevereiro e transcorrerá até 29 de abril, na UTFPR – Câmpus Pato Branco.

O curso é gratuito, e tem como público-alvo a comunidade interna (servidores em geral, professores e técnicos-administrativos), alunos e comunidade externa. As inscrições serão realizadas no período de 14 a 20/02/2013 e deverão ser feitas através da ficha de inscrição, junto ao Núcleo de Acompanhamento Psicopedagógico e Assistência Estudantil - NUAPE (ao lado da Secretaria/DERAC).

Ao todo, estão sendo ofertadas 50 vagas: 25 vagas para servidores em geral, e 25 vagas para alunos e comunidade externa. As aulas serão ministradas pela professora intérprete de Libras da UTFPR, Mirélia Flausino Vogel, e pela professora, surda, Aline Brancalioni. O horário das aulas para alunos e comunidade externa será das 18h30min às 19h30min, às terças-feiras; e para os servidores em geral, das 17h30min às 18h30min, às segundas-feiras, na sala de treinamento.

O objetivo do curso é ensinar as pessoas a utilizarem a Língua de Sinais, a compreender os sinais que os surdos utilizam, contribuindo para a acessibilidade dos mesmos, fazendo com que os participantes aprendam a Libras e possam se comunicar com pessoas surdas.

A língua brasileira de sinas – LIBRAS, foi reconhecida como meio legal de comunicação e expressão no ano de 2002, pela Lei de Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Essa lei veio não só favorecer a inclusão social dos surdos, como também contribuir para a garantia de seus direitos como cidadão brasileiro.

“A importância de capacitar pessoas para se comunicar através da Libras justifica-se pelo fato de contribuir para a inclusão social dos surdos, além de colaborar para que a comunidade universitária e a sociedade se modifiquem e se tornem solidárias com esta minoria linguística”, comenta a Profª. Intérprete de Libras, Mirélia Flausino Vogel, da UTFPR.

Ações do documento