Aviso: O site da UTFPR está sendo reestruturado. Você está visitando a nossa página antiga.

Neste momento de transição, algumas atualizações estão sendo realizadas na nova versão, disponível aqui

Honraria

Lançado Selo Comemorativo dos 60 anos da Revolta dos Posseiros e professora aposentada recebe homenagem

Em sessão solene realizada no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores, na noite da última quinta-feira (10), a professora aposentada do Câmpus Pato Branco e atual presidente da Academia de Letras e Artes de Pato Branco, Neri França Fornari Bocchese, recebeu na Medalha de Honra ao Mérito, de inciativa do vereador Vilmar Maccari.

A honraria foi atribuída à professora pela sua trajetória na educação, marcada por sua bem sucedida liderança, tem participação ativa integrando entidades da sociedade civil organizada onde procura disseminar conhecimento e fomenta a importância do processo voluntariado. É autora de várias obras, projetos e participações em eventos, que somados resultaram em merecidas premiações.

 “Como parlamentar, devo agradecer dizendo a todos os amigos, amigas e familiares da nossa homenageada, que esta homenagem à Neri é motivo de alegria e honra para todos nós. À ela, presto minha sincera admiração e meus parabéns”, ressaltou Maccari.

Em pronunciamento, a professora e autora Neri, resgatou aspectos da sua atuação docente e externou sua satisfação com a deferência. “Essa medalha não é pra mim, ela é pra Pato Branco, porque os meus livros hoje estão em todos os lugares do mundo. E assim, na arte de escrever, na arte de poetar, a gente conta história, não a deixa morrer, ela fica presente, e eleva a alma, eleva o nome de Pato Branco e o nome de todas essas entidades que representamos”.

 Foto 12Foto 8

 

        Foto 5Foto 6Foto 7

Na ocasião, sob proposição da Academia de Letras de Pato Branco (ALAP), também ocorreu o lançamento do Selo Comemorativo aos 60 anos da Revolta dos Posseiros, que se completa em outubro de 2107.

O lançamento foi feito pelo superintende estadual dos Correios do Paraná, Paulo Cezar Kremer dos Santos e a peça filatélica contempla os dizeres “Academia de Letras e Artes de Pato Branco-Revolta dos Posseiros-1957-2017 e da imagem estilizada representando uma família de posseiros da época”.

O selo comemorativo dos Correios, que passa a circular nas correspondências de todo o país dissemina o marco histórico que o movimento de lutas pelas terras do sudoeste em 1957 representa a todo o Município e região sul. Naquela época, a região foi palco de intenso conflito, envolvendo posseiros, companhias colonizadoras e o poder público. Os posseiros saíram vitoriosos e tiveram suas posses regularizadas e tituladas a partir de 1962, pelo presidente João Goulart.

Para o superintendente do Correios, Paulo Cezar, “por meio dos selos é possível registrar uma boa parte da história e eternizar momentos na vida da população, que merecem ser valorizados”.

A solenidade contou com a presença de familiares, amigos da homenageada, servidores da UTFPR, vereadores, vice-prefeito Robson Cantu, lideranças comunitárias e políticas e integrantes do Movimento há 60 anos, como Jácomo Trento (popular Porto Alegre), Pedro Cordeiro (integrante da junta governativa de Pato Branco em 1957), Frei Policarpo Berri e Genésio Spíndola, que naquele tempo residia em Santo Antonio do Sudoetse, onde seu pai era oficial de justiça e moinheiro.

Neri, que presidiu a Sessão, encerrou lendo uma poesia sobre o tema de sua autoria e fez um pedido às autoridades: “que essa história da Revolta dos Posseiros seja compartilhada nas escolas, repassada às nossas crianças. Nossos jovens, não sabem sobre a Revolta dos Posseiros, e foi um movimento único, a reforma agrária aconteceu, o Sudoeste surgiu depois da Revolta, então nós precisamos com urgência tornar pública essa história que é nossa”, concluiu a homenageada.

Foto 2Foto 3
Foto 4 Foto 9
Foto 11 Foto 10

Síntese da trajetória da homenageada

Neri França Fornari Bocchese nasceu no Município de Arvorezinha, no Vale do Taquari, Estado do Rio Grande do Sul. Com sete anos de idade mudou-se para o Estado de Santa Catarina. Em 1960, transferiu-se para Pato Branco.

No ano de 1967, começou a lecionar em uma escola que era localizada no Bairro Industrial. Em seguida prestou concurso para o Estado e foi aprovada. Iniciou lecionando na Escola Professor Augustinho Pereira, onde atuou durante 26 anos e também em escolas para o Centro Federal de Educação Tecnológica. Trabalhou em escolas particulares, como o Colégio Nossa Senhora das Graças e na Funesp lecionando para o Ensino Médio. Trabalhou no Núcleo Regional de Educação, na coordenação de Geografia e Ensino Religioso, no Centro Estadual de Educação Básica para jovens e adultos.

Na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, lecionou nos cursos de Engenharia, na área de Ciências Humanas e doutrina, também para pós-graduação em Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica, na Modalidade de Educação Jovens e Adultos, Educação para Jovens e Adultos e Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica.

É formada em Geografia pela Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências, Letras União da Vitória, tem quatro cursos de especialização: Pedagogia Religiosa; Educação Especial; Educação Tecnológica e Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas.

Detalhes da resolução

A Medalha de Honra ao Mérito Pato-branquense é atribuída a qualquer cidadão que tenha sido, ou seja, protagonista de relevantes serviços à comunidade pato-branquense. Os relevantes serviços são aqueles realizados além do cumprimento do dever, que revelem desprendimento e relevantes conquistas sociais à sociedade. A medalha de Honra ao Mérito Pato-branquense é cunhada em ouro, contendo o brasão do município, a legenda República Federativa do Brasil, Município de Pato Branco, Estado do Paraná, e no verso, a gravação da expressão “Honra ao Mérito”.

 

Atualizado em 17/08/2017

Assessoria de Comunicação, com informações da Assessoria da Câmara Municipal

Acompanhe as notícias do Câmpus Pato Branco também no Facebook

Ações do documento