Você está aqui: Página Inicial Pesquisa e Inovação noticias Avaliação do Rio Marmeleiro aponta contaminação, segundo pesquisa

Avaliação do Rio Marmeleiro aponta contaminação, segundo pesquisa

Iniciada em 2011, pesquisa realizada no Câmpus Francisco Beltrão indicou indíces de contaminação fora do desejável nas águas do Rio Marmeleiro. O projeto tem por objetivo avaliar a condição da água e, junto à população, auxiliar na recuperação e preservação desse recurso.

Em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente de Marmeleiro, o projeto buscou coletar informações acerca da bacia do rio a fim de avaliar a qualidade da área. Foram observados alguns problemas ambientais associados ao uso e ocupação do solo, como uso inadequado de práticas de manejo de áreas agrícultáveis, assoreamento, erosão, presença de indústrias e contaminação por esgoto doméstico. O rio Marmeleiro é utilizado para captação de recursos hídricos no município.

O objetivo central das análises é levantar os principais tipos de uso da bacia, diagnosticar a qualidade da água por meio de avaliações dos parâmetros físicos, químicos e biológicos e da atividade citotóxica e mutagênica e determinar a presença de hormônios estrógenos e agroquímicos. Os resultados da primeira fase da pesquisa apontou níveis de contaminação ao longo do rio, além de valores físico-químicos e microbiológicos acima do permitido pela legislação. Quanto à toxicidade, a coleta apresenta dados dentro do normal.

Segundo Ticiane Sauer, coordenadora do projeto e professora do curso de Engenharia Ambiental, o grande diferencial do projeto é o envolvimento de diferentes públicos. “Ele [o projeto] conseguiu juntar os três pilares que regem a Universidade: ensino, pesquisa e extensão, pois envolve as comunidades interna e externa, ou seja, graduandos, professores, inicação científica e setor público”, afirma.

Os resultados da pesquisa foram apresentados para a população em audiência pública no último dia 3, informando sobre a qualidade da água consumida na região e buscando conscientizar os presentes sobre possíveis mudanças que corroborem com a melhoria de sua qualidade de vida. Palestras, seminários, publicação de artigos e participação em congressos também fazem parte da proposta da pesquisa. No meio acadêmico, já participaram dez alunos de iniciação científica, com a produção de dois Trabalhos de Conclusão de Curso.

As próximas etapas do projeto estarão relacionadas aos índices de qualidade da água e determinação da presença de hormônios estrógenos e agroquímicos. Continuação das análises de toxicidade e verificação da influência de alterações na condição da água no desenvolvimento e sobrevivência de anfíbios nativos da região sudoeste também serão parte deste passo.

Atualizado em 12/08/2016

Ações do documento

registrado em: