Home
/
Destaques
/
Alunos de Eng. Eletrônica em 1º e 2º Lugar no Hackathon NASA em Maringá

Alunos de Eng. Eletrônica em 1º e 2º Lugar no Hackathon NASA em Maringá

Publicado 10/5/2018, 4:19:14 PM, última modificação 10/29/2019, 10:55:53 AM
Quando
Onde

Bloco B, UTFPR - Câmpus Campo Mourão

Pela terceira vez o Hachathon NASA Space Apps Challenge 2019 foi realizado em Maringá na Unicesumar. Nesta edição, realizada nos dias 19 e 20 de Outubro, as equipes classificadas em 1º e 2º Lugar foram compostas por alunos de Engenharia Eletrônica da UTFPR/CM.

Em Primeiro Lugar ficou a equipe EMPIREO com o lema "Connecting People Around The World" e proposta "The Challenge: Internet On The Ocean". Composta por Anna Caroline de Souza (Engenharia Têxtil da UTFPR/AP), Luana Aparecida Santos da Silva,  João Marcos Periçaro Lopes, Allan Vinicius Trento e  Luiz Gabriel Canton Loch, todos da Engenharia Eletrônica UTFPR/CM.

Em Segundo Lugar ficou a equipe The Visionaries com a proposta "Air IoT - Warming Planet, Cool Ideas". A equipe foi formada pelos alunos Gabriele Takano, Ezequiel de Carvalho Luz e Carlos Vinicius de Engenharia Eletrônica, Eduarda Martins de Ciências da Computação e o Professor Paulo Sabo do Departamento de Ciências da Computação, todos da UTFPR/CM.

Confira o Resumo das Ideias desenvolvidas e classificadas:

Equipe EMPIREO: "A internet não é facilmente acessível em muitas áreas do mundo, como nos oceanos da terra. Pescadores, marinheiros e outros tem conexão de dados limitada com o resto do mundo, embora a internet via satélite esteja amplamente disponível, é muito cara para um usuário implementar. Em base dessas informações e a partir de algumas pesquisas descobrimos um protocolo desenvolvido pela Nasa chamado DTN, utilizada para comunicações interplanetárias, a partir destas informações nos questionamos “Se podemos nos comunicar com outros planetas, porque não com os Oceanos? “. Implementamos esse protocolo em nossa solução utilizando boias de sinalização já existente no mar como nossos pontos de ‘’nos’’ alimentando-as com painéis solares e como método inovador inserimos uma fibra de carbono que ao aplicar movimento ela gera energia, assim os custos do projeto cairiam exponencialmente, já que o mar ficaria responsável por exercer este movimento".

Equipe The Visionaries: "Nas últimas décadas o aquecimento global vem se agravando e um dos principais motivos é o aumento da emissão de gases poluentes na atmosfera. Assim, desenvolvemos o projeto Air IoT  que fará o sensoriamento dos gasses poluentes emitidos no local, sobretudo do CO2 um dos principais causadores. Os dados coletados serão interpolados com dados do satélite da NASA, e disponibilizadas em um site para a visualização das regiões mais afetadas. A ideia dessa implementação é promover ações que gerem a diminuição dos níveis de gases na atmosfera, principalmente nas regiões mais afetadas, com ações simples no dia a dia de cada um que farão a diferença para nós e para todo o planeta".