Página Inicial
/
Notícias
/
Curitiba
/
Curso de Radiologia da UTFPR promove atividade de Primeiros Socorros

Curso de Radiologia da UTFPR promove atividade de Primeiros Socorros

Publicado 12/21/2022, 2:07:19 PM, última modificação 12/22/2022, 3:29:56 PM
Os participantes aprenderam RCP, reanimação cardiopulmonar, técnicas de imobilização de membros lesionados e confecção de macas improvisadas

A ação desenvolveu simulações de atendimento real às vítimas de acidentes. (Foto: Arquivo)

O curso de Tecnologia em Radiologia do campus Curitiba realizou a atividade de extensão universitária “Primeiros Socorros em Áreas Remotas" neste sábado (10/12), nas instalações do 5º Batalhão Logístico. A atividade tem por finalidade apresentar a modalidade de Primeiros Socorros. No total, 19 instruendos participaram, entre eles, estudantes e servidores da UTFPR, além de membros da comunidade externa.

A ação desenvolveu simulações de atendimento real às vítimas de acidentes em área de mata no batalhão, situada no bairro Pinheirinho. Os participantes foram recepcionados pela equipe militar de instrução e por Rony Neitzke, Tenente Coronel e comandante da unidade. A atividade contou com a participação de Silmara Alessi Roherig, Anna Sílvia Penteado e o servidor técnico-administrativo Rodrigo Ricetti, todos do Departamento Acadêmico de Física (DAFIS-CT) e integrantes do corpo de instruendos, além da equipe militar composta pelos Sargentos: Jaíne Gonzatto, Luiz Felipe Leite e Rafaela Moreira; por Cabo Maycon Pinheiro, e pelo Soldado André Stofela. A ação foi supervisionada pelo oficial médico Tenente Leonardo Cunha.

Os cursos envolvem atividades ao ar livre, tais como Educação Física e Engenharia Florestal que são público-alvo do projeto. Para Neitzke, ex-aluno do curso de Eletrotécnica do antigo CEFET-PR, “é uma grande satisfação saber que profissionais da UTFPR vêm se envolvendo e propondo atividades em conjunto com o batalhão”.

Conforme Rodrigo, do DAFIS-CT, “ao longo dos anos, fiz vários cursos de Busca e Salvamento, Combate à Incêndio Florestal, e mesmo Primeiros Socorros em Áreas Remotas, de modo que surgiu a ideia de apresentar aos alunos essa modalidade de atendimento”.

Programação

No primeiro momento, foi simulada uma situação de “Busca e Salvamento”, na qual os voluntários se apresentaram para receberem instruções de primeiros socorros e partirem para uma busca em área de mata. Após a apresentação do vídeo institucional do 5º B Log, os instruendos participaram de uma rápida instrução no auditório do batalhão. Foram apresentados os princípios gerais de busca e salvamento em áreas remotas e rápida instrução teórica de primeiros socorros. 

Todos os participantes foram equipados com capacete, óculos, cantil e outros itens de equipamento, simulando as condições da chamada “Área de Espera”, que é o ambiente operacional em que os voluntários e forças de intervenção se apresentam em caso de sinistros e acidentes. Entre as instruções, eles aprenderam RCP (reanimação cardiopulmonar, técnicas de imobilização de membros lesionados, técnicas de hemostasia, confecção de macas improvisadas, etc). 

O Capitão Leopoldo Krauspenhar, oficial de logística do batalhão, responsável pela distribuição dos equipamentos utilizados pelos alunos do curso e também Matheus Camargo, Soldado e responsável pelo apoio aos meios multimídia utilizados, foram fundamentais para a realização do exercício. Participaram também: Marcelo Lopez, engenheiro civil e integrante do grupo “Jaguatirica”, coordenado por Rodrigo Ricetti.

Atividade de Extensão

A execução da atividade acontece por meio de uma disciplina extensionista vinculada ao curso de Tecnologia em Radiologia do campus Curitiba, ministrada pela professora Kátia Pinho, do DAFIS-CT, o projeto também contou com o auxílio de Rodrigo Ricetti e Anna Sílvia, ambos do DAFIS-CT e idealizadores do projeto.

A parceria partiu de um acordo de Cooperação Técnica firmado entre a UTFPR e a 5a Região Militar. O trabalho foi concebido para analisar a viabilidade da implementação de um projeto de extensão em que este tipo de capacitação fosse oferecido de maneira continuada, qualificando membros da comunidade acadêmica, militares e integrantes da comunidade em geral.