Home
/
Notícias
/
Curitiba
/
Startup incubada na UTFPR Curitiba aponta inovação aberta como destaque no programa BRDE Labs

Startup incubada na UTFPR Curitiba aponta inovação aberta como destaque no programa BRDE Labs

Publicado 2/1/2022, 3:45:37 PM, última modificação 11/3/2022, 1:23:59 PM
A Specrux foi uma das 177 startups que se inscreveram no programa do BRDE em 2021 com foco na indústria

Membros da equipe da Specrux (da esq. para a dir.): Natan Schieck Reginaldo, Dalton Bertoldi e Eduardo Nunes dos Santos.(Divulgação)

A startup da área de monitoramento e processamento de dados, incubada no campus Curitiba da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), ganhou destaque no programa Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), na última edição de 2021. O BRDE, que une empresas e startups com o objetivo de acelerar o desenvolvimento do Paraná, teve como destaque um modelo de gestão voltado para a inovação aberta. 

A cada ano o programa tem um tema central que guia a escolha das empresas e, consequentemente, das startups. Em 2021 o foco foi a indústria do Paraná. A Specrux foi uma das inscritas que apresentaram propostas para nove empresas âncoras e testaram as soluções dentro do próprio sistema. Composta por quatro sócios: Conrado Chiarello, Dalton Bertoldi, Eduardo Nunes dos Santos e Natan Schieck Reginaldo, a equipe trabalhou em conjunto com a empresa âncora Enaex, líder em produção de explosivos e serviços de fragmentação de rocha. As duas apontam a valorização da inovação aberta como ponto forte do programa.

Antoine Moreau, Líder de Inovação na Enaex Brasil, acredita que o BRDE cumpre o papel como apoiador da inovação no Paraná e no Brasil ao ter programas que unem empresas e startups, além de ajudar a identificar problemas e encontrar soluções que viabilizam financeiramente projetos inovadores. “Nesse caso, empresas como BRDE são fundamentais. São agentes do ecossistema que, sem eles, o país conseguiria rodar um conjunto muito menor de projetos estratégicos. “A lógica do BRDE Labs é uma lógica vencedora”, resumiu. .

Segundo Eduardo dos Santos, um dos sócios da Specrux, o foco a ser passado é este ambiente que a universidade proporcionou junto com o Núcleo de Escoamento Multifásico (NUEM): o conhecimento científico em conjunto com o espaço de informação. O intuito foi fazer com que a ideia não ficasse parada em artigos, mas levasse o que foi desenvolvido em laboratório para ser aplicado no mercado.

Foram 177 startups inscritas; 18 delas passaram pela fase de pré-aceleração e nove, pela de aceleração. O objetivo central do programa é estimular a inovação, com isso, o BRDE Labs do Paraná também atuou na formação de profissionais. Os participantes destacaram a mudança de paradigma que essa experiência em inovação aberta provocou para as empresas. Até o momento, dois contratos foram assinados e sete estão em fase de negociação. Em 2022, o tema será ESG – Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em português).

O Projeto apresentado pela Specrux

O Sistema é composto por um módulo de energia elétrica, baseado em captação de energia fotovoltaica. A energia elétrica é direcionada para alimentação do sensor instalado em uma área de tanques estacionários. 

O projeto está em fase de contratação de um MVP (Minimum Viable Product = Produto Mínimo Viável), um modelo com o projeto detalhado e padronizado para instalar a tecnologia nas 50 unidades. As quatro primeiras serão instaladas até o final de junho de 2022. 

A empresa Specrux

Fundada em 2018, a Specrux é uma empresa de engenharia que oferece soluções inovadoras apoiadas por muitos anos de experiência em pesquisa e desenvolvimento. O objetivo é contribuir com a sociedade por meio de ampla atuação nas áreas de medição, controle e informação. 

A equipe é uma combinação de habilidades e experiências essenciais para o desenvolvimento da inovação - tecnologia, vendas e marketing, gestão da inovação. 

A Startup está sediada em Curitiba-PR, e tem uma estreita colaboração com o Núcleo de Escoamento Multifásico (NUEM) da UTFPR Curitiba. O centro possui ampla experiência no desenvolvimento de pesquisas fundamentais e aplicadas, teóricas e experimentais, envolvendo escoamento multifásico em dutos e equipamentos.

O programa do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE)

O BRDE Labs 2021 foi desenvolvido em parceria com a Hotmilk, aceleradora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Trabalhar com ideias embrionárias, que buscam solucionar problemas, necessidades e desejos das pessoas e de outras empresas é o foco de uma aceleradora. 

“O objetivo desse modelo é promover a colaboração com pessoas e organizações externas à empresa, expandindo os horizontes dos negócios, assim como propõe o BRDE Labs”, explicou o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

Reportar erro