Home
/
Notícias
/
Últimas notícias
/
Divulgação Científica
/
Carboidratos de plantas porta-enxertos aumentam a produção

Carboidratos de plantas porta-enxertos aumentam a produção

Publicado 12/19/2022, 11:37:34 AM, última modificação 12/20/2022, 10:45:52 AM
Proposta foi selecionada no Programa de Apoio à Fixação de Jovens Doutores

Um projeto de pesquisa realizado no Campus Pato Branco vem contribuindo para a melhoria da qualidade de frutas, como o pêssego, por exemplo. Os professores Idemir Citadin e Gener Augusto Penso implantaram o projeto de pesquisa “Atividade de enzimas do metabolismo de carboidratos atuantes na relação fonte e dreno de pessegueiros sob diferentes porta-enxertos clonais em condições de inverno ameno”.

As atividades começaram em 2014, através de um projeto em rede, coordenado pela Embrapa Clima Temperado. Os estudos usam plantas utilizadas apenas como raiz, as chamadas porta-enxertos. Sobre elas são inseridas as plantas produtoras de interesse, uma vez que o foco produtivo se encontra na copa, de onde serão colhidos os frutos. A busca e escolha por porta-enxertos geralmente ocorre por sua resistência a fatores bióticos (como patógenos provenientes do solo) ou abióticos (como resistência a seca, toxicidade ou deficiência de nutrientes). Outra vantagem apontada pelos pesquisadores é com relação ao controle e vigor da copa, pois plantas de menor tamanho facilitam o manejo e resultam em menor custo para o produtor.

No projeto realizado pelo Campus, as pesquisas se concentraram no pessegueiro, espécie de clima temperado que normalmente entra em dormência no período frio, adquirindo resistência às baixas temperaturas. Durante a fase de dormência, a planta cresce menos, perde folhas e protege suas gemas (meristemas) por meio do aparecimento de escamas. Os pesquisadores relatam que, na medida em que as condições ambientais se tornam favoráveis, a planta retoma o processo de crescimento, floração e brotação.

“Até que ela adquira uma formação foliar adequada para a realização de fotossíntese, a planta se utiliza de reservas de proteínas e carboidratos, principalmente, acumuladas durante o ciclo anterior. Compreendendo a importância destes processos para a produção frutífera, o projeto proposto pelos pesquisadores concentra na mobilização de reservas de carboidratos nos porta-enxertos, servindo, assim, de padrão para a seleção de outros porta-enxertos clonais”.

O projeto foi contemplado com apoio financeiro pelo edital do Programa Institucional de Apoio à Fixação de Jovens Doutores, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg). Na chamada, sete propostas foram selecionadas. Cada projeto poderá solicitar recursos financeiros destinados ao custeio e capital de até R$ 50 mil.