Extensão

Publicado 5/10/2018, 2:42:31 PM, última modificação 11/3/2022, 5:37:55 PM
UTFPR socializará com instituições parceiras ações relacionadas ao “Projeto Pato Branco - Cidade Amiga do Idoso: primeiro diagnóstico para o envelhecimento ativo de seus cidadãos”

A partir desta quinta-feira, 10 de maio, serão socializadas pela equipe da UTFPR – Câmpus Pato Branco, as ações a serem desenvolvidas relacionadas ao “Projeto Pato Branco - Cidade Amiga do Idoso: primeiro diagnóstico para o envelhecimento ativo de seus cidadãos”. O projeto faz parte de uma série de ações da Prefeitura Municipal de Pato Branco, mediante o envolvimento de suas 16 secretarias, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Assistência Social, delineadas e cumpridas em várias fases, em parceria com o Rotary Club e a UTFPR - Câmpus Pato Branco, para a obtenção de certificação de Pato Branco como Cidade Amiga do Idoso, junto à OMS. 

Na primeira fase, ocorrida no segundo semestre de 2017, foram desenvolvidas várias ações coordenadas por essa Secretaria, como reuniões com a comunidade e sociedade civil organizada, criação do Plano Municipal da Pessoa Idosa do Município de Pato Branco (2018-20121), dentre outras, apoiados pela Organização Panamericana (OPAS/OMS), Rotary Club e Universidade Tecnológica Federal do Paraná. 

A segunda fase, já cumprida pela Prefeitura Municipal de Pato Branco, em fevereiro de 2018, consistiu no cadastramento deste Plano em Plataforma da OMS, específica para este fim. 

A terceira fase, coordenada pela UTFPR, por intermédio da Diretoria de Relações Comunitárias e Empresariais, contempla a realização de diagnóstico com a população idosa do município, bem como com os envolvidos com esta população. Para isso, com base no Guia Global Cidade Amiga do Idoso (OMS/2018), elaborou-se o “Projeto Pato Branco - Cidade Amiga do Idoso: primeiro diagnóstico para o envelhecimento ativo de seus cidadãos”, cujo objetivo consiste em realizar um diagnóstico sobre necessidades e condições materiais de vida da população idosa do município de Pato Branco-PR, em relação a: espaços abertos e prédios; transporte; moradia; participação social; respeito e inclusão social; participação cívica e emprego; comunicação e informação; apoio comunitário e serviços de saúde; e educação continuada. 

Esta ação ocorrerá de maio até dezembro de 2018, e será desenvolvida por uma equipe interdisciplinar e interinstitucional, composta por cerca de 75 pessoas, sendo professores, técnico-administrativos, alunos de graduação (Departamento de Humanas, Cursos de Administração, Ciências Contábeis, Licenciatura em Letras e Química) e de pós-graduação (Programas de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) e em Engenharia de Produção (PPGPS). 

A programação inicia na tarde desta quinta-feira, às 17h15min, na sala de treinamento do Câmpus, com a Socialização  do Projeto entre a Equipe de Pesquisadores. Na sexta-feira, 11 de maio, será ministrada pelo professor doutor Angelo Gonçalves Bos, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul  (PUC-POA), a Oficina Preparatória  para a Coleta de Dados Quantitativos. A oficina será das 8h às 12h e das 14h  às 16h, na Sala Q 006. Na mesma data, às 13h30min, na sala de reuniões do Câmpus, ocorrerá a Apresentação oficial do Projeto para os parceiros (UTFPR, Prefeitura e Rotary). No sábado, 12 de maio, às 8h30min, no Bloco V, sala V001, a mestranda do PPGEPS em Exame de Qualificação, Suelyn Maria Longhi Oliveira, sob a orientação do professor doutor Sérgio Luiz Ribas Pessa, apresentará os dados de seu projeto intitulado "Ergonomia dos Espaços Públicos Urbanos: Adequação do Município de Pato Branco à População Idosa”. 

Na avaliação da professora do PPGDR e coordenadora da equipe no âmbito da Instituição, doutora Maria de Lourdes Bernartt, “o referido projeto tem capacidade de geração de produto e potencial inovador, pois consistirá em uma ferramenta para subsidiar os gestores municipais na avaliação de adequações a serem realizadas no município para a melhoria da qualidade de vida, fornecendo elementos essenciais a serem considerados para adaptar ações e políticas direcionadas à população idosa”.

Reportar erro