Gestão

Publicado 7/2/2021, 1:17:01 PM, última modificação 11/3/2022, 5:39:36 PM
Novo diretor-geral do Campus toma posse e reforça compromisso de consolidar a graduação, a pós-graduação e ampliar parcerias com os segmentos da sociedade

Prof. Dr. GIlson Ditzel Santos, Diretor-Geral da UTFPR, Campus Pato Branco, no momento do seu discurso de Posse.
(Acervo PMPB, por Rodinei Santos)

Na primeira manhã deste mês de julho (01), aconteceu a posse do Diretor-Geral do Campus Pato Branco, professor Gilson Ditzel Santos. A solenidade aconteceu no anfiteatro do Campus, contando com a presença de um número reduzido de autoridades locais e da própria Instituição, devido aos protocolos e às medidas de segurança sanitárias, que incluíram o uso da máscara, aferição de temperatura, álcool em gel e o respeito ao distanciamento social.

Para que a comunidade pudesse acompanhar, ainda que a distância, o evento foi transmitido ao vivo pelo canal do Campus no YouTube e contou com a interpretação em Libras, realizada pela servidora Janaina de Castro Gomes.

A mesa diretiva foi presidida pelo reitor da UTFPR, professor Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho, composta com o diretor-geral do Campus, professor Gilson Ditzel Santos, o prefeito municipal de Pato Branco, Robson Cantu, e o vereador, professor da UTFPR Campus Pato Branco, nesta ocasião representando o presidente da Câmara Municipal de Pato Branco, Marcos Júnior Marini.

   

Prof. Dr. Marcos Júnior Marini (Vereador), Prof. Dr. GIlson Ditzel Santos (Diretor-Geral da UTFPR, Campus Pato Branco), Prof. Dr. Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho (Reitor da UTFPR)  e o Sr. Robson Cantu (Prefeito Municipal de Pato Branco).
Acervo PMPB, por Rodinei Santos.

Estiveram presentes na solenidade o vice-reitor, professor Heron Oliveira dos Santos Lima; o pró-reitor de Graduação e Educação Profissional, professor Jean-Marc Stephane Lafay; o pró-reitor adjunto de Relações Empresariais e Comunitárias, professor José Marcos Marcassi Rodrigues; o diretor de Graduação e Educação Profissional do Câmpus Pato Branco, professor Gustavo Lacerda Dias; o diretor de Pesquisa e Pós-Graduação do Câmpus Pato Branco, professor Emerson Giovani Carati; o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do município de Pato Branco, Giles Balbinotti; o ex diretor-geral do Campus Pato Branco (gestão 2013 a maio de 2021), professor Idemir Citadin; o representante do Sindicato dos Docentes, professor Sérgio Paes de Barros; a representante da Coordenação Geral do Sinditest-PR, servidora Silmara Camargo Wescinski, a presidente do Diretório Central dos Estudantes, Thaislane Lucas Costa; além de outros servidores integrantes da equipe diretiva do campus.

No início da solenidade ocorreu a leitura da Portaria de Nomeação do professor Gilson Ditzel Santos ao cargo de diretor-geral do Campus Pato Branco, para o quadriênio 2021 – 2025 e a assinatura do Termo de Posse. 

   
 Prof. Dr. GIlson Ditzel Santos (Diretor-Geral da UTFPR, Campus Pato Branco) e o Prof. Dr. Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho (Reitor da UTFPR), no momento da assinatura do Termo de Posse.
Acervo PMPB, por Rodinei Santos.

Em homenagem ao ex diretor-geral, professor Idemir Citadin e reconhecimento pelos oito anos de sua dedicação à gestão do Campus Pato Branco (2013-2021), foi lida uma carta do reitor, com mensagem de agradecimento e ocorreu a entrega da mesma, em mãos. 

 Prof. Dr. Idemir Citadin  (Ex Diretor-Geral da UTFPR, Campus Pato Branco) recebendo a
homenagem do  Prof. Dr. Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho (Reitor da UTFPR).
Acervo PMPB, por Rodinei Santos.

O novo diretor-geral, professor Gilson, é natural de Curitiba e compartilhou em seu discurso algumas experiências relacionadas à sua mudança para Pato Branco e resgatou algumas etapas da sua trajetória acadêmica e curricular. Ingressou como professor titular da Instituição em 1994 e destacou as principais fases e desafios vivenciados nessa jornada, atuando na graduação e na pós-graduação. Contextualizou fatores que consolidaram indicadores do Campus, destacando que na pós-graduação stricto sensu o Campus já tem resultados impressionantes, contando com a oferta de oito programas (8 cursos de mestrado e 2 de doutorado). Na graduação, com 12 cursos que formam profissionais em áreas relevantes para a sociedade local e além fronteiras. Eles destacou que nesse tempo “mantivemos a tradição de forte atuação nas relações empresariais e comunitárias, sempre fazendo vínculos fortes, com a prefeitura, com organizações privadas, no terceiro setor e com a comunidade”, elencou.

Para o novo diretor-geral, o momento é especial, somado ao claro entendimento da responsabilidade que lhe incumbe a função. “Estamos hoje aqui, com o compromisso assumido, com o apoio de colegas servidores e dos estudantes para construirmos, a partir disto, que já construímos juntos. Esta oportunidade que tivemos de uma consulta paritária proporcionou, a todas as categorias, igual oportunidade de decidirmos os caminhos do nosso campus. O nosso reitor, professor Schiefler, é signatário da confiança da comunidade da UTFPR para a condução de mudanças necessárias a esta Instituição. E começou por oferecer à comunidade com o apoio e suporte do Conselho Universitário (Couni), essa oportunidade de redesenharmos e intensificarmos nossa natureza democrática”, declarou Gilson.

Ao olhar para o futuro, Gilson mencionou os principais desafios que são, na sua análise, “complexos”. “Temos de consolidar a graduação, melhorando as atividades dos nossos cursos e melhorando a experiência daqueles estudantes que escolheram viver parte das suas vidas conosco, buscando empoderá-los, para que possam transformar os contextos em que atuarão. Isso requer sensibilidade, de cada um de nós, para condução sábia nos processos de reestruturação dos cursos de graduação”. Além disso, ele citou “o desafio de consolidar também os programas e pós-graduação, buscando a nota 4 e a possibilidade de abrir mais cursos de doutorado e buscar a nota 5 para os programas de Desenvolvimento Regional (PPGDR) e Agronomia (PPGAG)”. Na sua visão, o caminho inclui a pesquisa. “É preciso aprofundar nossas pesquisas e torná-las relevantes, nacional e internacionalmente. O que requer atrairmos alunos dispostos a essas experiências, o que requer recursos para a pesquisa e para as publicações, para as parcerias internacionais”, salientou Gilson.

Grandes temas permeiam o futuro da Instituição e na visão do diretor-geral envolvem toda a comunidade acadêmica e parcerias com os diversos setores e segmentos da sociedade. “Temos talvez o maior desafio, o de transformarmos os contextos locais e regionais em que atuamos, a partir da aplicação da nossa pesquisa e da nossa extensão. Para isso, precisamos nos aproximar mais dos agentes sociais da Prefeitura de Pato Branco e dos municípios vizinhos, das organizações do terceiro setor, das mais variadas naturezas, do setor privado, das empresas e das comunidades e grupos específicos. Precisamos nos dedicar muito, aperfeiçoar as nossas práticas e extensão social e tecnológica. E isso faremos todos juntos, estudantes, técnico-administrativos, professores e a comunidade de Pato Branco e região, da qual muitos de nossos ingressos fazem parte e devem ser um elo de ligação com a Universidade”, conclamou o diretor-geral.

Por fim, o diretor-geral agradeceu à comunidade e externou sua intenção de “servir”. “É com grande amor que eu comecei a trabalhar neste campus e com grande amor trabalho todos os dias”, concluiu Gilson.

Prof. Dr. GIlson Ditzel Santos (Diretor-Geral da UTFPR, Campus Pato Branco) no momento do seu discurso.
Acervo PMPB, por Rodinei Santos.

No pronunciamento do professor e vereador Marini, representante do presidente da câmara legislativa de Pato Branco, Joecir Bernardi, ele externou sua satisfação pela familiaridade com a Instituição e afinidade profissional com o diretor-geral. Ele elencou algumas experiências acadêmicas que realizaram em parceria, a exemplo de quando trabalharam juntos no curso Técnico de Eletrônica, enquanto CEFET-PR; pesquisas conjuntas, no curso de mestrado e doutorado em Desenvolvimento Regional, sobre conceitos de rede, cooperação, construção conjunta, cidades inteligentes e sustentáveis; e em uma disciplina, em parceria, trabalharam a questão da política pública.

Marini classificou essa proximidade e alinhamento de visões com positividade, por ambos estarem representando a comunidade “no sentido de criar pontes, criar momentos sinérgicos, para construir uma Pato Branco cada vez melhor”. Acrescentou que há muitas possibilidades de ampliar as iniciativas. “Temos muito potencial para abrir caminhos para que a nossa universidade esteja de fato cada vez mais inserida na sociedade pato-branquense e no Sudoeste do Paraná”, considerou Marini.

O vereador mencionou, também, os impactos econômicos e sociais positivos gerados no município pela presença da UTFPR e agora reduzidos pelo contexto da pandemia e a suspensão das atividades presenciais. A atratividade de estudantes e servidores precisa ser assegurada. “O desafio é darmos condições para gerar emprego e renda para nosso município, possibilitando, a partir de start-ups, parque tecnológico, incubadoras, a partir de empresas que aqui se instalem, que possamos agregar esse capital humano de alta qualidade formada pelos nossos colegas da UTFPR e que eles aqui se instalem, que permaneçam, construam suas famílias, construam o futuro para o progresso da nossa cidade. Temos a certeza que todo esse potencial humano fará a grande transformação como vem fazendo há quase 30 anos”. Ele foi além, destacando  que “nós temos um potencial muito grande para pesquisa, desenvolvimento, inovação, cooperação, para redes, para que possamos transformar a cidade, o estado e o país”, completou o vereador.

Por fim, o vereador reiterou suas afirmações e se incluiu declarando que “precisamos construir essas sinergias para que cada vez mais a Universidade esteja presente na sociedade, derrubando as barreiras e conseguindo atuar e utilizar da melhor forma todo esse capital humano que Pato Branco tem a partir da nossa universidade. Vamos seguir em frente para que a cidade seja um pólo na área tecnológica, que conseguiu a partir da instalação da UTFPR em 1993, e os primeiros projetos de incubação em 1997, no qual o Gilson participou ativamente, conseguiu transformar essa cidade”.

O prefeito Cantu, ao se pronunciar, deu as boas-vindas ao novo diretor e afirmou, também, sobre o desafio que representa o cargo assumido por Gilson. “Não é fácil assumir algo, mas eu tenho certeza que você está assumindo não por uma posição, mas por uma missão. E quando alguém assume algo por uma missão, é completamente diferente. E eu sei o amor e a vontade que você tem de transformar a UTFPR Pato Branco numa das melhores do Brasil. Pode ter certeza que faremos juntos isso”, declarou.

Cantu falou que tem projetos os quais almeja executar frente a gestão municipal e a expectativa que possui em contar com a UTFPR. “Eu quero transformar Pato Branco na primeira cidade com pelo menos 50% de energia limpa e você tem muito a nos ajudar. Quando eu convidei o Giles a ser secretário eu falei a ele: “a UTFPR, antigo CEFET, é um filho pato-branquense que deu certo”. É uma pedra preciosa que temos em nossa cidade e temos que cuidar muito bem”, declarou o Prefeito. Disse, ainda, que há desafios mútuos para promover o desenvolvimento do município e muito a ser feito. ”Uma cidade que tem,  aproximadamente, 200 doutores tem muito a fazer. Nós temos que derrubar todas as cercas e criar pontes para trazer a sociedade pato-branquense para dentro do polo da UTFPR”, concluiu Cantu, colocando a Prefeitura como aliada nessa missão de “ajudar  Pato Branco a ser a grande cidade que nós sonhamos”, finalizou.

O reitor Schiefler, iniciou seu discurso reiterando agradecimentos ao ex diretor-geral, Idemir Citadin, extensivo a toda a equipe, pelos oito anos de gestão e salientou que “o Campus Pato Branco é um dos mais pujantes, sendo especial pela liderança em todo o Sistema”.

Schiefler mencionou o momento difícil que muitas instituições federais de ensino estão enfrentando. “A UTFPR tem uma gestão planejada e por isso conseguimos tocar as atividades, estamos com as contas em dia, planejando um retorno presencial ou híbrido dos nossos alunos, mas essa retomada só vai acontecer quando tivermos segurança e, com certeza, vamos precisar de investimento em procedimentos”, destacou o reitor.

Continuou sua fala, afirmando que estar a frente da UTFPR é uma grande responsabilidade, pois são quase 40 mil pessoas. “Temos vidas que colocam em nós a possibilidade de realizar sonhos e não podemos frustrá-los, sejam servidores ou estudantes, temos de mostrar otimismo, um papel importantíssimo. Então acredito que o nosso novo diretor enfrentará uma experiência difícil e adversa devido a pandemia que vivemos”, finalizou Schiefler.

   
Prof. Dr. Marcos Júnior Marini (Vereador), Sr. Robson Cantu (Prefeito Municipal de Pato Branco) e o Prof. Dr. Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho (Reitor da UTFPR) no momento dos respectivos discursos.
Acervo PMPB, por Rodinei Santos.

Ao longo da quinta-feira, em comitiva, com a presença do reitor, membros da equipe da reitoria e da equipe diretiva do Campus, foram realizadas visitas em ambientes que encontram-se em fase de obras ou demandam de reformas, bem como realizadas reuniões com representantes do Campus e entidades parceiras da UTFPR. 

   
Reuniões da Direção-Geral com  a presença do Reitor e de representantes de Instituições parceiras.
   

Visitas da comitiva da Reitoria e da Direção-Geral aos ambientes e às obras em andamento no Campus Pato Branco.
Imagens acervo UTFPR - por ASCOM-PB.