Pesquisa

Publicado 12/20/2023, 4:10:32 PM, última modificação 12/20/2023, 4:29:08 PM
Projeto que visa desenvolver tecnologias inovadoras para manter a limpeza da superfície dos painéis solares é desenvolvido com bolsistas do Programa de Mestrado e Doutorado Acadêmico para Inovação – MAI/DAI

Imagens apenas ilustrativas

O projeto de pesquisa Desenvolvimento de suspensão inorgânica estabilizada contendo nanopartículas de TiO2 para ser utilizada como revestimento autolimpante em painéis fotovoltaicos é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), no âmbito da Chamada Pública CNPQ 68/2022- Programa de Mestrado e Doutorado para Inovação (MAI/DAI), por meio da concessão de bolsas de mestrado e de Iniciação Científica, e conta com a colaboração da empresa Platus Energia Solar Ltda, que atua na instalação, manutenção e limpeza de usinas fotovoltaicas.

Sob coordenação do professor Rodrigo Brackmann, do Departamento de Química (DAQUI) da UTFPR-PB, o projeto teve duas candidatas selecionadas para bolsistas através do Programa MAI/DAI: a aluna do curso de Bacharelado em Química, Julia Carla Zamboni Griz, bolsista de Iniciação Científica (IC); e a aluna do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos (PPGTP), Maria Eduarda Morais, selecionada como bolsista de mestrado do projeto, sendo coorientada pela professora do DAQUI, Mariana de Souza Sikora.

O projeto visa desenvolver tecnologias inovadoras para manter a limpeza da superfície dos painéis solares, visando a redução da perda anual de energia, que pode chegar a 50% devido à sujeira na superfície. Os diferentes tipos de “sujidades” estão relacionados à poeira de solo, resíduos de poluição causada por automóveis, resíduos de agricultura e, em alguns casos, resíduos de gordura em painéis de restaurantes que ficam próximos aos exaustores.

Essas tecnologias são também conhecidas como autolimpantes ou selfcleaning e, para desenvolvê-las, o projeto realiza diferentes formulações líquidas contendo nanopartículas de TiO2 para obtenção de um revestimento nanoestruturado inorgânico que possa se ligar quimicamente ao substrato. A formulação líquida a ser depositada na superfície dos painéis deverá ser uma suspensão estabilizada de nanopartículas.

A importância desse projeto, que ainda se encontra em fase inicial, vai além do ambiente acadêmico, uma vez que busca impactar diretamente a sociedade e o setor de energia fotovoltaica em ascensão no Brasil. Caso bem-sucedido, o desenvolvimento dessa formulação trará benefícios não apenas para a empresa parceira, mas para todo o setor, possibilitando a manutenção da eficiência energética das usinas fotovoltaicas e, consequentemente, contribuindo para a expansão do uso de energia solar no país.

Platus Energia Solar Ltda

A empresa é responsável pela instalação de mais de 14 mil painéis fotovoltaicos, com mais de 7 MW de potência instalada. As usinas instaladas pela empresa produzem anualmente 8,2 GWh proporcionando um retorno econômico aos clientes em torno de R$ 4.100.000,00.