Primers Talks

Publicado 6/6/2023, 1:23:44 PM, última modificação 6/6/2023, 1:29:42 PM
Evento reuniu convidados renomados e abordou os avanços mais recentes no campo da biologia sintética e biotecnologia.

Evento contou com convidados renomados no meio científico.

Na última sexta-feira (2) de junho de 2023, o Auditório do Bloco C da UTFPR foi o palco da 1º Edição do Primers Talks: Explorando os Limites da Engenharia da Vida. O evento, que reuniu diversos convidados renomados no meio científico, abordou os avanços mais recentes no campo da biologia sintética e biotecnologia, com o objetivo principal de divulgar os estudos realizados nesse campo.

Um dos temas tratados foi a manipulação de organismos vivos para resolver problemas complexos. Gustavo Paduano, Capitão da Equipe UTPrimers, explica que o tema está atrelado aos estudos da biologia sintética e permite aplicações em inúmeras áreas. Ele destaca a importância de saber como esse campo do conhecimento pode ser cientificamente explorado. “É uma área nova, é um campo que você pode fazer aplicações diversas. Tem aplicação na agricultura, pode ter aplicação na indústria, são muitas as possibilidades”, comenta.  

Entre os convidados uma das falas mais aguardadas foi da embaixadora para a América Latina do iGEM, a maior competição de biologia sintética do mundo, Luiza Hesketh, que além da palestra sobre a competição que representa, trouxe para os presentes um pouco do seu trabalho sobre o Use Phyton para desenhar com fungos e bactérias.

 A palestrante explica que Biologia sintética é uma área muito complicada e que, nos seus 30 anos de vida, essa área quase não foi explorada, nem academicamente, nem industrialmente. Hesketh conta que existe um intervalo, chamado vale da morte, entre o conhecimento produzido na academia e a chegada desse conhecimento nas aplicações industriais e destaca que o iGEM surgiu exatamente para fomentar a criação de equipes de pesquisas nas universidades, buscando que os estudantes primeiro se interessem pelo tema e depois produzam pesquisas que ajudem o mundo. “O diferencial do iGEM é que ele não quer que você desenvolva o conhecimento pelo conhecimento, ele quer que você produza o conhecimento aplicado para que o mundo seja melhor de alguma forma”, afirma.  

O professor do Departamento Acadêmico de Ensino (DAENS-PG) Márcio Silva, que atua na UTFPR-PG na área de Ciências Biológicas, conduziu a palestra sobre a Produção recombinante de enzimas. Ele destacou o protagonismo dos alunos ao organizar o evento, enfatizando a importância de espaços como esse para o debate científico.  

 O Capitão da Equipe UTPrimers  falou sobre a importância da abertura desses espaços para o debate científico, e destacou que muitas vezes esse conhecimento fica restrito,  mesmo dentro do meio acadêmico. “A gente está na universidade, mas, às vezes, a realidade científica fica um pouco distante, por isso faz falta trazer pessoas que tenham experiência, algo para falar, para contribuir (...) para os estudantes poderem abrir seus horizontes, conhecerem as oportunidades e saberem com o que podem trabalhar”, argumenta.

 Segundo os organizadores o evento reuniu 240 estudantes de diversas instituições de ensino, contando com a participação de alunos do Ensino Médio e representantes do ensino superior, entre os quais acadêmicos da própria UTFPR e da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Considerando o sucesso dessa primeira edição os organizadores, já pensam em trabalhar para ampliar o evento em edições futuras.