Órgãos de fomento

Publicado 3/11/2021, 10:21:57 AM, última modificação 3/8/2024, 2:20:43 PM
O PPGBIOTEC conta com apoio de órgãos de fomento como CAPES, Fundação Araucária (FA), FUNTEF, FINEP e CNPq.

A UTFPR conta com apoio de órgãos de fomento como CAPES, Fundação Araucária (FA), FUNTEF, FINEP e CNPq. Entre 2006 e 2012, docentes da Instituição aprovaram mais de dez milhões de reais  em editais  como: FINEP-CT Infra 01/2006, MCT/FINEP/CT-Infra Campi regionais 2007 e 2010, Pró-equipamentos CAPES 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012 e MCT/FINEP/CT-infra PROINFRA – 2011 e 2012. Entre 2013 e 2014, os docentes da UTFPR obtiveram R$ 12.827.715,46 em recursos oriundos de editais Pró-equipamentos e projetos individuais junto à FA e CNPq, demonstrando, o envolvimento na ampliação da estrutura, bem como a capacidade dos pesquisadores em captar recursos nas supracitadas agências de fomento. 

O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBIOTEC) da UTFPR, conta com recursos financeiros repassados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), através de verbas do Programa de Apoio à Pós-Graduação (PROAP).

O PPGBIOTEC também busca garantir bolsas de estudo para os alunos dos cursos de mestrado emediante quotas institucionais, anualmente concedidas pela CAPES, por Editais do CNPQ e pela Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FA).

No corpo docente, a professora  Luciana Porto de Souza Vandenberghe possui bolsa de produtividade em pesquisa concedida pelo CNPQ, e vários outros recebem recursos financeiros advindos de editais e chamadas públicas de agências de fomento. Na sequência estão destacados alguns dos fomentos externos aprovados e vigentes dos docentes do PPGBIOTEC.

MCTIC/FINEP/CT-INFRA

O prof. Cleverson Busso integra o projeto “Consolidação da Pesquisa e Inovação Tecnológica na UTFPR - Câmpus Toledo”, aprovado em 2019 (vigência de 24 meses) com R$ 712,9 mil (custeio e capital) na Chamada 02/2018.

CHAMADA UNIVERSAL MCTIC/CNPq

A profa. Nédia de Castilhos Ghisi coordena o projeto “Avaliação múltipla dos efeitos tóxicos do herbicida 2,4-D sobre a espécie nativa Rhamdia quelen” aprovado na chamada Universal 01/2016 no valor de R$ 22.000,00 em custeio e capital e R$ 14.000,00 em bolsa de longa duração. Este projeto envolve ainda o prof. Cleverson Busso.

A profa. Andréia Anschau coordena o projeto “Cultivo heterotrófico de Chlorella vulgaris tolerante a herbicidas para obtenção de biofertilizante”, aprovado com financiamento na Chamada Universal 01/2018 (vigência 36 meses) no valor de R$ 29.900,0 (custeio e capital). Participa do projeto ainda a profa. Paula Fernandes Montanher.

MCTIC/CNPq

Os docentes Eduardo Bittencourt Sydney e Alessandra Cristine Novak Sydney participam do projeto “Inventários de Ciclo de Vida de leite bovino e biogás proveniente de dejetos de bovinocultura de leite”, aprovado no Edital 40/2018 com R$ 50.000,00 (12 meses, custeio e capital). 

CNPq/ MCTIC/BRICS

O projeto “BRICS-BEST ” foi aprovado na chamada N º 29/2017, no valor global de R$ 125.000,00 reais para missões de pesquisadores brasileiros nos países do Bloco BRICS, e conta com a participação de outras quatro instituições da Rússia, Índia, China e África do Sul. A rede compreende 39 pesquisadores dos 5 países, do qual participa a profa. Luciana Porto de Souza Vandenberghe.

CAPES - PROCAD

            A profa. Luciana Porto de Souza Vandenberghe é coordenadora local do projeto “Rede Integrada de Programas de Pós-Graduação em Biotecnologia para o Desenvolvimento Científico, Tecnológico, de Inovação e Formação de Recursos Humanos na Cadeia Produtiva do Cacau-BIOCAU”. Este projeto tem vigência até 2020 e foi aprovado no EDITAL PROCAD 2013 no valor de R$ 747.900,00 (custeio).

CAPES-PRINT

A profa. Luciana Porto de Souza Vandenberghe participa do sub-projeto projeto BioAdd, no valor de 3,2 milhões de reais (7% do valor da proposta institucional). O projeto desenvolve ações de consolidação da internacionalização dos três programas de pós-graduação de nível 7 da UFPR, além de contribuir para o desenvolvimento de outros PPGs associados.

FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA

            A profa. Nédia de Castilhos Ghisi coordena o projeto “DNA barcoding, diversidade genética, reprodução, dieta e parasitologia do peixe ameaçado Astyanax gymnogenys no Rio Iguaçu”, aprovado no Edital 11/2016 (36 meses), no valor de R$ 24.835,00 (capital). Participa do projeto também a profa. Paula Fernandes Montanher.

UNIDO (United Nations Industrial Development Organization)

Os docentes Eduardo Bittencourt Sydney e Alessandra Cristine Novak Sydney participam do projeto “Methodologies for Project Evaluation and Clustering for Value Generation in the Biogas Chain” financiado em U$ 134 mil dólares da UNIDO (custeio e capital, vigência de 12 meses).