Home
/
Notícias
/
Apucarana
/
I Hackathon do Vestuário

I Hackathon do Vestuário

Publicado 12/10/2019, 4:29:38 PM, última modificação 6/1/2020, 9:33:01 PM
A cidade de Apucarana realizou das 18 horas do dia 17.10.19 as 18 horas do dia 18.10.19 2019 o I Hackathon do vestuário.

A cidade de Apucarana realizou das 18 horas do dia 17.10.19 as 18 horas do dia 18.10.19 2019 o I Hackathon do vestuário. O Hackathon se configura como uma maratona, na qual os inscritos se dividem em equipes e recebem um desafio, tendo então, 24 horas consecutivas para propor uma solução inovadoras e aplicáveis ao problema proposto.

O tema desafio para o Hackathon Apucarana foi “Redução e transformação dos Resíduos das Indústrias do Vestuário”, tema este escolhido pelo Arranjo Produtivo do Boné e Vestuário de Apucarana (APL), tendo como referência os problemas enfrentados pelos empresários locais.

Na cidade de Apucarana, estima-se que seja gerado, anualmente, em torno de 500 toneladas de resíduos do vestuário, os quais são destinados ao aterro industrial da cidade.

No estado do Paraná existe apenas 2 aterros industriais, instalados nas cidades de Apucarana e Curitiba, os quais cobram em média para a destinação dos resíduos perigosos, R$ 450,00/ton (não incluso o valor de transporte do resíduo, devendo este ser realizado por empresa licenciada que irá determinar seu preço de acordo com a densidade do material, periculosidade e quilometragem rodada até a destinação final). Esses aterros têm um processo de implantação demorado e caro, devendo apresentar inúmeras licenças e estudos de impactos ambientais e, além disso, apresenta tempo de vida útil limitado, em torno de 20 anos.  Após a finalização do aterro, esse deve ser continuamente monitorado e nunca deverá ser construído ou cultivado nada nesse espaço.

Apesar da destinação dos resíduos no aterro industrial ser considerada a forma correta e prevista em lei, o gerador desse resíduo terá sempre a responsabilidade pelo seu passivo ambiental, ficando então responsável, caso o seu resíduo venha a provocar impactos no ambiente.

Dessa forma, a reciclagem ou reutilização desses resíduos é muito importante uma vez que poderá aumentar a vida útil do aterro, evitar a poluição do ambiente pelo descarte inadequado ou pela extração de nova matéria-prima que irão gerar impactos no ar, solo e água, colocando em risco a saúde e qualidade de vida da sociedade.

Para minimizar a problemática dos resíduos do vestuário, os 45 inscritos (estudantes de universidades, colégios, empresários e funcionários de empresas do ramo do vestuário), se dividiram em 7 equipes e ficaram por 24 horas pensando em uma proposta viável para apresentar a banca julgadora e concorrerem aos prêmios de R$ 5.000,00 (primeiro lugar), R$ 3.000,00 (segundo lugar) e R$ 2.000,00 (terceiro lugar).

 Dentre os inscritos, 25 são alunos ou egressos da UTFPR- Apucarana, dos cursos de Engenharia Têxtil, Design de Moda e Engenharia Civil. Alguns desses alunos já foram para o desafio com as equipes montadas e outros formaram a equipe na hora da maratona, sendo integradas por estudantes e profissionais de diversas áreas.

Os participantes da maratona tiveram a oportunidade de participarem de oficinas e workshops que contextualizava a problemática dos resíduos e também os preparava para a elaboração da proposta de solução.

O primeiro lugar ficou com a equipe que apresentou a proposta para reaproveitamento de resíduos da confecção em papel de parede com isolamento acústico. Essa equipe formada no início da maratona e tinha 2 alunos do curso da engenharia civil da UTFPR (Mateus Pedroso, Victor Matos), os quais já tinham um projeto pensado. Os demais integrantes eram alunos de outras instituições de ensino e também profissionais do ramo têxteil.

A segunda colocada foi composta por 7 alunas do curso de Engenharia Têxtil da UTFPR-AP (Alana Dias, Ana Clara Alcântara Santos, Ana Isabela Zavilenski, Beatriz Gomes, Isabelle Balestra, Luana Godoy Bueno e Rafaela Gabardo). A proposta dessa equipe envolveu a reutilização dos resíduos de confecção na fabricação de vigas estruturais para estofados.

A terceira equipe, também formada por alunos da UTFPR-AP (Luana Dumas Coutinho, Isabela Rufino, Jéssica Opolski, Larissa Yumi e Gabriel Pryjma) dos cursos de Engenharia Têxtil, Engenharia Civil e Design de Moda. A proposta dessa equipe foi na reutilização dos resíduos na fabricação de lâminas para revestimento de móveis.

Todas as equipes inscritas tiveram o apoio de um time de mentores para auxiliá-los na elaboração da proposta e no esclarecimento de dúvidas. As professoras Fábia Regina Gomes Ribeiro, Isabel Cristina Moretti, Márcia Alves, Valquíria A. S. Ribeiro e o professor Ronie Galeano, foram os mentores representantes da UTFPR.

 A coordenação de engenharia têxtil agradece a todos os participantes e orgulha-se do desempenho dos alunos da UTFPR-AP