Home
/
Notícias
/
Curitiba
/
Áurea Niada, professora, pesquisadora e gestora

Áurea Niada, professora, pesquisadora e gestora

Publicado 9/6/2023, 4:23:48 PM, última modificação 9/6/2023, 4:29:50 PM
Docente fala sobre sua trajetória na universidade pública

No oitavo dia de cada mês, desde de março de 2023, o campus Curitiba da UTFPR tem destacado mulheres da universidade, divulgando suas participações no ensino, na ciência, na extensão e na universidade pública. As entrevistadas compartilham suas histórias, suas contribuições e mostram que a universidade é também espaço da mulher. 

A voz de setembro é Aurea Cristina Magalhães Niada, professora adjunta na UTFPR Curitiba. Ela leciona disciplinas de Marketing em cursos de graduação e especialização. É mestre e doutora em Administração, na linha de pesquisa em Estratégia de Marketing e Comportamento do Consumidor. Atuou na gestão como coordenadora do curso de bacharelado em Administração, diretora de Graduação no campus Curitiba e diretora de Graduação da UTFPR. A pesquisa desenvolvida por ela destaca as Estratégias de Marketing, Comportamento do Consumidor e Marketing Digital.

Qual foi a sua trajetória até chegar na universidade? O que te motivou a escolher os cursos que fez?

Entrei na graduação “tarde”, quando comparada à maioria, com 24 anos. Escolhi Administração porque não tinha opção do que eu realmente gostaria de fazer (algo na área de comunicação ou marketing), além disso, era um curso amplo que possibilita uma visão sistêmica de uma organização.

(...) Trabalhei com turismo por um período, até me formar. Me formei em 2003 (o curso de Administração era de cinco anos). Em 2004, fiz processo seletivo para ser professora substituta na Unioeste, no mesmo curso que me formei – essa experiência marcou o início da minha profissão enquanto docente e me marcou como pessoa. Eu não fazia a menor ideia de por onde começar e, na época, não existia tanta informação disponível de maneira fácil como há hoje. Senti medo, fui bastante criticada, afinal, nunca tinha dado aula numa universidade e era para meus calouros. Mas, no final, fui reconhecida pela turma, que me acolheu como professora e me homenageou na formatura – isso tudo foi bem significativo para mim. 

Depois de dois anos na Unioeste, lecionei em universidades particulares de Foz, até que me dei conta de que precisava fazer um mestrado. Na minha graduação, não tive o menor acesso à pesquisa científica, fui aprender e entender isso ao me tornar professora do ensino superior. Tentei mestrado em Administração na Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Universidade Federal do Paraná (UFPR), passei em ambas, mas escolhi a UFPR. Foram dois anos só estudando. Depois de 14 anos trabalhando direto, parar só para estudar foi muito bom. 

No final do mestrado, decidi que queria continuar nessa terra linda, Curitiba. Comecei a lecionar na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC) e passei no Doutorado em Administração da UTFPR. Minha área de atuação sempre foi Marketing. Fiz uma especialização Lato Sensu na área e daí em diante sempre trabalhei com disciplinas vinculadas à área.  

No mestrado e doutorado, a linha de pesquisa foi Comportamento do consumidor e estratégia de marketing. Entrei na UTFPR em 2013, no curso de Administração, para lecionar marketing. 

O que te motivou a continuar estudando?

Eu sempre gostei de estudar, desde criança. Escolhi ser professora principalmente por demandar esse estudo constante. Sou bastante curiosa e preciso cuidar para não abrir muitas frentes de estudo. 

Quais foram os maiores desafios que você enfrentou como aluna? Eles impactam a sua forma de lecionar?

Sou o tipo de aluna que prefere estudar sozinha. Não fui exemplo de assiduidade, faltava bastante, mas estudava muito por conta. Na universidade, considero fundamental desenvolver a autonomia e proatividade. Eu nunca fiquei esperando o professor dizer o que tem de ser feito. Se ele não tivesse tempo eu ia atrás e fazia. Hoje eu gosto de trabalhar minhas aulas alternando metodologias, a cada semestre eu altero algo com base no aprendizado anterior. 

Quais dos seus projetos é o seu favorito? O que você mais gosta de fazer?

Eu amo a graduação, tanto que trabalhei na gestão em cargos vinculados à graduação por seis anos, desde a coordenação do curso de Administração até a direção de graduação na reitoria. Foi uma experiência rica e de muitos aprendizados, para vida pessoal e profissional. Atualmente, estou bastante animada com a responsabilidade de ser professora responsável pela extensão. Muitas ideias para colocar em prática e contribuir com o desenvolvimento dos nossos estudantes e se aproximar da comunidade, levando a universidade até ela. Também estou mentorando uma startup na incubadora, o que está sendo bem desafiador. 

Qual dica você daria para meninas que querem seguir os seus passos?

Coragem. Se der medo, coloca ele de lado, dê um sorriso para ele, e vai com medo mesmo. 

Quais autores mais te influenciam? 

Tenho um gosto bastante eclético para leitura. Amo a psicologia, então acabo lendo muito conteúdo da área. Adoro Rubem Alves, Nelson Rodrigues e Machado de Assis. Não tem como deixar de citar Carla Madeira, especialmente no livro Tudo é Rio, sensacional. Milan Kundera, em a Insustentável Leveza do ser. Também gosto muito dos autores russos, Tolstoi, Dostoievski. Há outros também, mas é difícil citar todo mundo.

Qual é a sua autora favorita? 

Gosto muito da Carla Madeira, crônicas da Martha Medeiros e Eliane Brum.

Reportar erro