PESQUISA

Publicado 4/23/2021, 8:21:52 AM, última modificação 1/11/2023, 3:54:31 PM
UTFPR recebe equipamentos para desenvolvimento de pesquisa utilizando Inteligência Artificial na Análise de Plantas

No último dia 14 de abril estiveram reunidos na UTFPR Câmpus Dois Vizinhos representantes da Empresa Optionline Brasil, Janice e Marcel Grossman, o diretor-geral do Câmpus Everton Lozano e os Professores Sérgio Miguel Mazaro e Lilian Mayer em um ato de entrega de equipamentos para desenvolvimento de pesquisa científica de alto nível que envolve inteligência artificial.

Os equipamentos recebidos via termo de cooperação da Universidade com a empresa Optionline, são denominados Smart - tecnologia NIR - Near Infrared (ou Infravermelho Próximo, em português), trabalha como um espectrofotômetro, mesmo equipamento utilizado para análise de sangue em humanos e avalia a seiva das plantas, como se estivesse avaliando o sangue de humanos ou animais.

Não envolve uso de reagentes e catalizadores, a leitura é feita diretamente na amostra. Com isso evita-se o custo, a periculosidade para o operador e o dano ambiental do manuseio de substâncias tóxicas, ocasionando também um custo bem mais baixo por análise.

Além disso é um método rápido, e uma amostra pode ser analisada no NIR em poucos segundos contra cerca de 1-3 horas nos métodos de referência.

Também pode fazer análises múltiplas, no ambiente do NIR você processa análise quantitativa de múltiplos elementos simultaneamente, como por exemplo em plantas macro e micronutrientes, proteínas, compostos fenólicos, carboidratos e analise de enzimas.  

No método convencional usualmente a determinação dos elementos é feita a partir de amostras de folhas (tecidos) recolhidas no cultivo de interesse, como soja, milho, trigo, etc. Esse processo é utilizado há bastante tempo e é considerado muito confiável. Apesar de confiável, o método é trabalhoso, demorado e oneroso.

O método de análise de seiva analisa os elementos que se encontram solubilizados na seiva e nos vacúolos celulares, que aqui simplesmente chamamos de Método da Seiva, sendo mais real em relação estado que se encontra a planta. 

O professor Sérgio Mazaro, fitopatologista, salienta que esse método veio para revolucionar, e mostra um pouco do avanço tecnológico futurista. Salienta ainda, quando imaginávamos que iriamos fazer análises de seiva de plantas da mesma forma que se faz análise de sangue em humanos e animais. Diz ainda que tal tecnologia já está calibrada para soja, milho, feijão e trigo, e será aplicada a experimentos na Universidade e também pretende prestar esse serviço a consultores e produtores da região. Isso irá otimizar o uso racional de fertilizantes e permitirá aumento de produtividades.

A Professora Lilian Mayer comenta que utilizando esse aparelho, podemos formular dietas e suplementação mineral para os animais de maneira mais rápida e com segurança técnica, sendo mais eficientes e otimizando a produção na propriedade, uma vez que o aparelho vem calibrado para as forrageiras utilizadas para a alimentação animal (pastagens e plantas para silagem).

O diretor-geral do Campus falou da importância das parcerias da Universidade com a iniciativa privada, o que permite estarmos próximos dos principais avanços tecnológicos, ainda agradeceu aos representantes da empresa Optionline Brasil pela confiança, parceria e doação dos equipamentos.