PESQUISA

Publicado 5/24/2022, 3:02:38 PM, última modificação 1/11/2023, 3:55:45 PM
Professor da UTFPR-DV faz parte de grupo de pesquisas que vai avaliar o impacto das mudanças climáticas no Estado do Paraná

O objetivo geral é desenvolver estudos e projetos de tecnologia e inovação visando avaliar o impacto das mudanças climáticas no Estado do Paraná.

Com financiamento da Fundação Araucária, a UFPR, UTFPR, UEPG, UNICENTRO, UNIOESTE, UEL, UEM, IDR-PR, PUCPR e CIMEPAR, farão parte da uma rede aprovada para trabalhar no NAPI (Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação) de Emergência Climática.

Diante do agravamento dos problemas gerais decorrentes das mudanças climáticas, cientistas passaram a classificar este fenômeno de emergência, pois já são bastante evidentes a aceleração e intensificação de inúmeros problemas relacionados ao clima. Estes eventos vêm causando impactos cada vez mais graves sobre grupos humanos, agricultura, economia e saúde, dentre outros.  De acordo com o relatório mais atual (AR6) do IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change), as projeções climáticas indicam que a temperatura do ar próximo da superfície do planeta continuará a aumentar nas próximas décadas, aumentando também a frequência de eventos extremos de precipitação, estiagens e ondas de frio e calor.

No Paraná a instabilidade climática tem intensificado ondas de calor, enchentes, deslizamentos de encostas, vendavais, granizos, com a região oeste e sudoeste tornando-se rota de tornados nos últimos anos. Esses eventos acarretam severas consequências para população, implicando em pessoas desabrigadas, perda de patrimônio que alcança as atividades urbano-industriais, a agroindústria, o comércio, a agricultura e toda a sociedade paranaense, de forma direta e indiretamente. Aliado a isso, as alterações nas condições climáticas comprometem a segurança alimentar e hídrica, bem como potencializam problemas de saúde pública.

Diante deste cenário, se faz necessário desenvolver pesquisas interdisciplinares, programas de educação e ferramentas tecnológicas e computacionais, capazes de gerar e manter grandes volumes de dados, sobre os eventos climáticos. Para mitigação e adaptação às mudanças climáticas é preciso termos soluções baseadas na natureza, um passo fundamental para o Desenvolvimento Sustentáveldo estado do Paraná. Todo este material deve ser disponibilizado para o desenvolvimento de políticas públicas e privadas efetivas.

Para poder enfrentar estes eventos climáticos extremos, professores e pesquisadores das principais universidades do estado do Paraná, trabalharam durante dois meses para formular a proposta do NAPI Emergência Climática. A convite do Prof. Dr. Francisco Mendonça (UFPR), coordenador geral do NAPI, o Dr. Eloy Fassi Casagrande Junior, professor do DACOC e do PPGTE e coordenador do Escritório Verde, assumiu a responsabilidade de reunir uma equipe de pesquisadores da UTFPR para fazerem parte destas importantes pesquisas. Assim, temos especialistas dos campi de Curitiba, Ponta Grossa, Apucarana, Dois Vizinhos, Campo Mourão e Londrina. Esta diversificação geográfica também será importante para termos dados abrangentes do Paraná. 

O Plano de Trabalho do NAPI foi aprovado para três anos e terá um financiamento de R$3.248.971,20. O objetivo geral é desenvolver estudos e projetos de tecnologia e inovação visando avaliar o impacto das mudanças climáticas no Estado do Paraná, integralizando o inventário da emissão de gases e aerossóis atrelados ao efeito estufa provenientes de atividades urbano-industriais e agropecuárias, bem como a adaptação aos cenários climáticos futuros nos quais os eventos climáticos extremos tendem a se intensificar.

O projeto também prevê a promoção de ações de interação e dialogia social, por meio de estratégias de Educação Ambiental e da Comunicação Ambiental sobre os riscos socioambientais, de forma a estabelecer um amplo processo inovador de “Letramento Climático”. É preciso disseminar o conhecimento científico na área, visando a sensibilização, conscientização, motivação e mobilização dos diversos segmentos da população para o enfrentamento da emergência climática no Estado do Paraná.

 O plano de trabalho do NAPI está dividido em cinco eixos temáticos assim estruturados:

  1. Diagnóstico e particularidades das mudanças climáticas no estado do Paraná;
  2. Impactos das mudanças climáticas na biodiversidade e nas bases ecológicas do território paranaense;
  3. Mitigação das emissões dos gases de efeito estufa e poluentes climáticos de vida curta no estado do Paraná;
  4. Adaptabilidade e resiliência humana às mudanças climáticas: avaliação de riscos e vulnerabilidades;
  5. Ações e perspectivas educacionais no processo de sensibilização e conscientização para o enfrentamento das emergências climáticas no Paraná.

O orçamento para a UTFPR é a segundo maior do projeto, somando R$545.300,00 e os pesquisadores envolvidos sob a coordenação do Prof. Eloy Fassi Casagrande Junior (Campus Curitiba), são a Profa. Tamara Van Kaick (Campus Curitiba), Profa. Yeda de Souza Tadano e Prof. Hugo Valadares Siqueira (Campus Ponta Grossa); Profa. Patricia Krecl (Campus Apucarana), Prof. Alvaro Boson (Campus Dois Vizinhos), Prof. Reginaldo Ré (Campus Campo Mourão), Prof. Admir Créso Targino e Prof. Jorge Alberto Martins (Campus Londrina).