Home
/
Notícias
/
Últimas notícias
/
Divulgação Científica
/
Container é referência em pesquisa sobre produção agrícola

Container é referência em pesquisa sobre produção agrícola

Publicado 11/16/2022, 9:45:10 AM, última modificação 11/22/2022, 2:46:42 PM
Instalado no Campus Santa Helena, projeto já garantiu recursos de fomento e foi um dos finalistas do Programa Prime

Foto: montagem Decom

Um container instalado no Campus Santa Helena se transformou em uma plataforma de produção agrícola inteligente e autônoma, com iluminação artificial e autoaprendizagem para o manejo de hortaliças, plantas e bioativos: o Sítio Urbano 5.0. A iniciativa vem rendendo financiamentos de pesquisa para o projeto, que foi um dos finalistas do programa Prime deste ano, desenvolvido pela Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) em parceria com a Fundação Araucária e o Sebrae/PR. O projeto conta com o apoio do Centelha, programa da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), e também do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Na última semana, o projeto foi contemplado na chamada do CNPq 54/2022 com apoio financeiro de cerca de R$ 500 mil.

A ideia teve início após o desenvolvimento de uma outra ação durante a pandemia da Covid-19. Em 2020, o pesquisador do Campus Santa Helena, Glauco Miranda, em parceria com o professor do Campus Medianeira, Pedro de Paula Filho, desenvolveram o projeto Sistema Aeropônico, Autônomo e Inteligente da produção de novas olerícolas para o cenário da pandemia da Covid-19 (SISNE19).

Esta foi a alternativa encontrada pelos pesquisadores para atender ao consumidor que passou a preferir alimentos mais seguros, chamados food security, ou já sanitizados.

O sistema aeropônico produz alimentos sem solo, somente com pulverização de água nas raízes e eles ficam armazenados em uma câmara escura. Esta técnica resulta no dobro de produtividade da hidroponia (cultivo sem solo mas com filme de água), por exemplo.

Na técnica in natura, as hortícolas são produzidas sem garantia de qualidade nutricional e sanitária, sem estratégias comerciais e sustentáveis e com grandes perdas na propriedade, nas Ceasas e nos varejistas. Além disso, o excesso de manipulação de produtos durante a produção e pós-colheita proporcionam riscos sanitários.

O projeto SISNE19 havia sido contemplado no edital de Interação da UTFPR com o setor produtivo paranaense, realizado pela Pró-Reitoria de Relações Empresariais e Comunitárias (Prorec).

Como resultado e novos investimentos deste projeto, o professor Glauco Miranda criou então o Sítio Urbano 5.0.  O container reúne um conjunto de plataformas físicas e inovadoras, que utiliza inteligência artificial (IA) e Internet das coisas (IoT) para a prática de agricultura urbana.

“Temos produzido um pé de alface em 15 dias. Pelos métodos tradicionais, esse tempo seria de 30 dias”, explica o professor Glauco Miranda.

Sítio Urbano e Programa Prime

O Sítio Urbano 5.0 é uma produção altamente controlada do ambiente e da planta para otimizar a produção de hortaliças e bioativos para plantas medicinais e fitoterápicos, nutracêuticos, fragrâncias, entre outros.

Ele produz autonomamente alimentos seguros e saudáveis, além de orgânico, sem agrotóxicos e de maneira sustentável, já que usa água da chuva e energia solar. Outras vantagens estão ainda no fato de que, com a técnica, não haverão perdas de alimentos causados pelo clima, falta de mão de obra e falta de diversidade de produtos.

A ideia é que a inovação esteja no mercado até maio do ano que vem. Segundo o pesquisador, o Sítio seria como um produtor rural experiente ou empreendedor urbano sem origem no agro, com uma equipe sem erros e à disposição 24 horas, solucionando problemas não conhecidos.

O professor Glauco acrescentou ainda que o projeto está “aberto para parcerias e outras contribuições em modelo de inovação aberta para as diferentes linhas de pesquisa interessadas em compartilhar conhecimento”.

A cerimônia de premiação do Prime será realizada no dia 30, no Campus Curitiba. Entre os cinco finalistas, a UTFPR teve dois pesquisadores: Glauco Miranda e o professor do Campus Pato Branco Péricles Inácio Khalaf.

Polo de Desenvolvimento

Outra conquista das pesquisas de inovação para o agronegócio foi a contemplação da proposta para o desenvolvimento de projetos para o futuro Polo Estratégico de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Agronegócio, no edital PEDTI da UTFPR. Composta pelos campi Medianeira e Santa Helena, o edital visa o fomento de projetos para atuarem junto às empresas e indústrias na criação de Polos em Rede, além de maior interação entre a Universidade e a iniciativa privada, por meio da execução de projetos de pesquisa aplicada, consultorias e prestação de serviços. 

O projeto trará tecnologias computacionais e de inteligência artificial na geração de produtos que serão transferidos para o mercado e indústria. São proponentes do projeto, além do professor Glauco Miranda, os pesquisadores Thiago França Naves, do curso de Ciência da Computação, e Claudio Leones Bazzi, do Campus Medianeira e coordenador da proposta.

"O edital vem ao encontro da política de inovação da UTFPR e das ações do Ecossistema Regional de Inovação facilitando a execução de projetos em conjunto com a iniciativa privada e promovendo o desenvolvimento tecnológico regional com a retenção do capital humano e riquezas na região", explica Glauco.

As duas propostas melhores colocadas neste edital receberão apoio financeiro de até R$ 100 mil cada para desenvolvimento do Polo.