Página Inicial
/
Notícias
/
Últimas notícias
/
Divulgação Científica
/
Professora é selecionada na Iniciativa Amazônia +10

Professora é selecionada na Iniciativa Amazônia +10

Publicado 12/14/2022, 8:52:25 AM, última modificação 12/14/2022, 8:53:52 AM
Projeto entregará sistema de geração de energia elétrica e tratamento de água autossuficiente para atender uma família de quatro pessoas

Professora Samara no laboratório do Campus (Foto: acervo pessoal)

Uma pesquisadora do Campus Dois Vizinhos foi selecionada na primeira chamada de propostas da Iniciativa Amazônia +10. Ao todo, foram escolhidas 39 propostas de 18 estados e do Distrito Federal, dentre os 500 pesquisadores envolvidos e 89 propostas apresentadas.  

O projeto “Amazônia Sustentável - Promovendo a inclusão social pelo acesso à energia elétrica e água de qualidade de comunidades locais amazônicas” é coordenado pela professora do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia do Campus Dois Vizinhos, Samara Silva de Souza, pela professora da Universidade Federal do Pará (UFPA), Samira Carvalho, e pelo professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Oswaldo Hideo Ando Junior. Além disso, conta com a participação de pesquisadores da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA).

O objetivo da equipe é formar um sistema piloto de geração de energia elétrica e tratamento de água autossuficiente para atender uma família de quatro pessoas, e que possa ser replicado e ampliado para outras localidades da região Amazônica. Ele foi denominado de Kit Amazônia.

Segundo os pesquisadores, a dificuldade do acesso à energia elétrica em algumas regiões da Amazônia e a falta de água encanada resultam na utilização de fontes de energia “sujas”, além de acarretar o aumento de doenças relacionadas ao consumo de água de baixa qualidade.

“Nosso projeto entregará um sistema que será acessível, de fácil manuseio, customizável, adaptável ao tipo de captação de água, local e porte, usará materiais locais e de baixo impacto ambiental”, explica a professora da UTFPR.

Durante os estudos, foram identificados problemas relacionados à contaminação da água por poluentes como agrotóxicos, metais pesados, corantes, fármacos, entre outros, e enfatizaram a necessidade de soluções para descontaminação. “Vamos desenvolver metodologias e materiais adsorventes e filtrantes a base de nanocelulose bacteriana, cerâmicas e utilizando a biomassa residual local dos estados envolvidos. Para a população ou comunidade envolvida na utilização direta da unidade, haverá́ uma melhoria na qualidade de vida nos âmbitos social, econômico e ambiental”, completa a pesquisadora Samara de Souza.

A docente da UTFPR já desenvolve, desde 2019, um projeto homologado no Campus: o Desenvolvimento de Plataformas de Nanocelulose Bacteriana (NanoCel), com a participação de outros professores e, em 2022, criou o Grupo de Pesquisa em Nanocompósitos Bioativos e Multifuncionais (NanoBioCell). O grupo já conta com mais de 10 professores e 15 alunos de iniciação científica e mestrado.

O projeto da Iniciativa Amazônia tem previsão para início em 2023 e os recursos totalizam R$ 816 mil, sendo que R$ 416 mil estão destinados ao Campus para aquisição de equipamentos, materiais e duas bolsas de Pós-Doutorado Júnior (PDJ).

Iniciativa Amazônia +10

A Iniciativa Amazônia +10 é um projeto do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e tem como objetivo apoiar a pesquisa e a inovação tecnológica na Amazônia Legal, promovendo a interação natureza-sociedade e o desenvolvimento sustentável e inclusivo da região.

O projeto promoverá ações de Ciência, Tecnologia e Inovação que fortaleçam diretrizes, eixos e propostas do Planejamento Estratégico de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia. O objetivo é superar obstáculos para o reflorestamento de áreas degradadas, desenvolvimento de atividades agrícolas de baixa emissão de gases de efeito estufa, agregação de valor nas cadeiras produtivas da bioeconomia, geração de alimentos, produção de fármacos, geração de energia limpa, e a garantia de acesso a serviços básicos para as populações que habitam na região.

A chamada de propostas foi lançada em junho deste ano e contou com a participação de 20 Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs), totalizando um investimento de R$ 41,9 milhões. Além dos recursos das FAPs, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) anunciou o aporte de R$ 12 milhões em bolsas de pesquisa para os projetos aprovados dos estados que compõem a região da Amazônia Legal. Os projetos selecionados estão orientados em três grandes eixos temáticos: Território, Povos da Amazônia e Fortalecimento de cadeias produtivas sustentáveis.