Home
/
Notícias
/
Pato Branco
/
Autorregulação da aprendizagem

Autorregulação da aprendizagem

Publicado 3/11/2024, 3:34:57 PM, última modificação 3/12/2024, 3:10:24 PM
Minicurso é ofertado aos docentes do projeto Mentoria e da Comunidade de Prática (CoPEA)

No dia 8 de fevereiro, como parte da programação do Mês de Planejamento/Capacitação do primeiro semestre de 2024, a Diretoria de Graduação e Educação Profissional (DIRGRAD), em parceria com o Núcleo de Acompanhamento Psicopedagógico e Assistência Estudantil (NUAPE), ofertou o minicurso Autorregulação da Aprendizagem aos docentes do projeto Mentoria, da Comunidade de Prática e aos servidores dos NUAPEs do núcleo Sudoeste.

O intuito dessa capacitação, ministrada pela professora doutora da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) Célia Artemisa Rodrigues Miranda, foi apresentar os aspectos teóricos e práticos da autorregulação da aprendizagem para explorar as diferentes estratégias que promovam uma aprendizagem mais efetiva.

Durante a manhã, os participantes foram introduzidos aos aspectos teóricos, incluindo as diferentes dimensões envolvidas nesse processo e o modelo cíclico da autorregulação. À tarde, os participantes se envolveram em atividades práticas que abordaram como autorregular a aprendizagem no contexto do ensino superior.

Os conteúdos trabalhados durante o minicurso subsidiarão os docentes com novos métodos de trabalho que objetivam aprimorar o acompanhamento aos estudantes com instrumentos que poderão auxiliá-los em aspectos comportamentais, motivacionais, cognitivos e ambientais.

Em resposta ao questionamento sobre a importância da discussão dessa temática no âmbito universitário, a professora Célia A. R. Miranda, destaca que “quando chegam na universidade, os estudantes deparam-se com inúmeras dificuldades de cunho motivacional, de adaptação e da própria aprendizagem. Muitas vezes, eles não conhecem e não dominam os processos que os permitem aprender. E, quando se saem mal nas avaliações, acreditam que seja porque não estudaram o suficiente ou não dominam a matéria, dentre outros motivos. Ou seja, voltam-se apenas para um problema da dimensão cognitiva. Só que, muitas vezes, não é!”

De acordo com Celia, isso demonstra que, “no ensino superior, poucos estudantes sabem gerenciar a sua aprendizagem de modo que compreendam que o aprender depende do modo como lidam com a sua motivação, seus pensamentos, suas emoções, das estratégias que usam ou de como direcionam seus esforços para alcançar seus objetivos.”

Nesse contexto, “a autorregulação da aprendizagem é um campo de pesquisa que busca auxiliar os estudantes a gerenciar essas diversas dimensões que regem a sua aprendizagem como o comportamento, o ambiente físico e social, a motivação, a emoção e a metacognição, usando estratégias adequadas para cada momento, para que atinjam uma aprendizagem efetiva.”