Home
/
Notícias
/
Pato Branco
/
Horta da Amizade

Horta da Amizade

Publicado 6/2/2023, 4:29:29 PM, última modificação 6/6/2023, 10:19:00 AM
UTFPR-PB e Rotaract Club Amizade/UTFPR-PB participam do projeto da Horta da Amizade, inaugurada no dia 30/05 no bairro Sudoeste

Horta da Amizade

Na terça-feira, 30/05, inaugurou a Horta da Amizade, projeto de iniciativa do Céu das Artes e dos Esportes em parceria com diversas entidades: o Rotaract Club de Pato Branco-Amizade/UTFPR, que financiou o projeto com recursos do Distrito 4640; a Prefeitura Municipal de Pato Branco, que doou as mudas para o plantio; a UTFPR-PB; e o IFPR de Palmas.

A Horta comunitária fica no bairro Sudoeste, em terreno cedido pela Associação dos Moradores do bairro, e tem como objetivo oferecer uma opção de alimentação saudável para os idosos e para a comunidade local.

Os cuidados com a horta ficarão a cargo da população que usufruir das hortaliças e também contará com a ajuda de professores da UTFPR-PB.

Essa parceria com a UTFPR - Campus Pato Branco e o IFPR de Palmas vem desde quando o diretor do CEU das Artes e dos Esportes, Natan Bertol, procurou os cursos de Agronomia dessas instituições para auxiliarem no projeto.

O professor Idalmir Santos, do Departamento Acadêmico de Agronomia (DAGRO), explica que a participação da UTFPR será na parte do manejo para evitar a aplicação de produtos químicos e que seja um cultivo orgânico e saudável: o que aplicar, quais cultivares usar, que tipo de irrigação fazer. Essas orientações vão desde o manejo até o aspecto educativo, buscando viabilizar um cultivo orgânico e educativo.

Nesse sentido, a ideia é poder receber escolas para aprender, as pessoas do bairro podem implantar em suas casas, realizar aulas práticas da disciplina de fitopatologia, por exemplo, para envolvimento dos acadêmicos. Vai ser uma vitrine para que possa sem implementado em outros terrenos, outros bairros, escolas.

Na UTFPR-PB, será retomado um projeto de extensão sobre manejo que também tem entre seus objetivos o auxílio de olericultores que queiram tentar transformar seu cultivo em orgânico ou pelo menos reduzir o número de aplicações. Dessa forma, há toda uma cadeia de trabalho, projetos e construção de conhecimento para todos, para a comunidade, para as escolas, para a universidade e, assim, todos colaboram em termos de sociedade.