Mesa-redonda

Publicado 10/4/2018, 11:34:42 AM, última modificação 11/3/2022, 5:38:11 PM
Mesa-redonda Centenário de Marx buscou discutir e facilitar compreensão dos estudantes da UTFPR-PB

Com o objetivo de colocar em discussão a importância do pensamento do filósofo alemão Karl Marx (1818-1883) e fomentar a compreensão intelectual deste pensamento mundialmente relevante, no último dia 17 de setembro, o anfiteatro do Câmpus Pato Branco, foi palco da Mesa-redonda “200 anos de MARX - O pensamento marxista no século XXI”. 

Em tempos de divergência partidária, a palestra se concentrou no objetivo de trazer à luz, a compreensão de ideias apartidárias e a certeza de um assunto que atinge todas as classes, religiões e saberes. A mesa-redonda foi totalmente gratuita, e aberta a toda comunidade. Estiveram presentes alunos dos mais variados cursos e interessados pelo assunto. 

A palestra procurou por meio do diálogo e da informação, mostrar como a obra de Marx faz uma ponte com todos os segmentos das áreas humanas: cinema, literatura, psicologia, linguística e filosofia. A Mesa-redonda contou com os professores doutores e debatedores da UTFPR, Edival Sebastião Teixeira, Glademir Alves Trindade, Marcos Hidemi de Lima,  Susiele Machry da Silva e Wellington Ricardo Fioruci. 

A professora Susiely abordou o marxismo sobre o viés da linguagem. Uma linguagem que expressa o pensamento e as ideologias. A necessidade de estudarmos a língua sobre o caráter social, a evolução do homem nos mostra que o marxismo na linguagem, expressa a ideologia nas ações. A linguística surge de uma análise história social, com uma necessidade de entender a natureza social do indivíduo. 

Com uma abordagem no que tange à psicologia, o professor Edival, explicou que a universidade é local de pluralidade de pensamentos e afirmação das convicções. De certa forma, a educação escolar, tem por finalidade o rompimento da consciência. As visões políticas não se deslocam da educação, pois o marxismo vê como se desenvolve a produção do ser humano em seu contexto social. 

Em sua fala, o professor Hidemi permeou sua visão, baseada no contexto da literatura, no contexto social e a evolução política, que mostra grandes mudanças e configurações na literatura brasileira. “A ideia socialista de Marx, trás nas entrelinhas ou escancaradamente na literatura, como por exemplo, na literatura brasileira são os escritos de Machado de Assis, Graciliano Ramos e tantos outros”, relatou. 

Um dos grandes momentos da mesa redonda, foi o ciclo de perguntas aberto ao público, onde tiveram a oportunidade de tirarem suas dúvidas e fazerem questionamentos quanto ao assunto debatido. 

Segundo o professor Glademir “a obra de Marx não é uma ficção, mas é baseada totalmente na realidade, baseada na contradição, entre classe trabalhadora e classe capitalista.”

Ficou claro que Marx deve ser contextualizado com suas próprias obras e compreender o ser social que é criado pelo sistema. Uma transformação que apenas existirá, se houver conhecimento e cada vez mais, locais que se abram para discussão dos saberes. 

O evento foi coordenado pelo Curso de Licenciatura em Letras Português-Inglês, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL), o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR), o Departamento de Humanas (DAHUM) e o Departamento Acadêmico de Letras (DALET), do Câmpus.

Reportar erro