Projeto de Ensino

Publicado 10/24/2023, 8:04:51 AM, última modificação 10/27/2023, 4:55:10 PM
Trilhas ao Ar Livre Mediadas pela Tecnologia permite que a Matemática seja explorada de forma prática e lúdica, por meio de situações reais

Foto 1 (2021)

O Projeto de Ensino Trilhas ao Ar Livre Mediadas pela Tecnologia:Uma Proposta para Inovar nas Aulas de Matemática, coordenado pela professora Edinéia Zarpelon, do Departamento Acadêmico de Matemática (DAMAT) da UTFPR Campus Pato Branco, em colaboração com os professores Gilberto Souto (DAMAT) e Janecler Aparecida Amorin Colombo (DAMAT), visa capacitar os estudantes do curso de Licenciatura em Matemática a formularem e utilizarem as trilhas matemáticas, apoiadas pelo aplicativo MathCityMap (MCM), como uma estratégia para ensinar e aprender matemática ao ar livre por meio de problemas reais e da interconexão com a cultura digital.

O MCM é um aplicativo gratuito desenvolvido pelo professor e coordenador do projeto MaSCE³ (Math Trails in School, Curriculum and Educational Environments of Europe), Matthias Ludwig, do Instituto de Educação Matemática na Universidade de Goethe, em Frankfurt, na Alemanha, em colaboração com outros pesquisadores, com o intuito de popularizar e contribuir com o ensino de Matemática.

A inspiração para o projeto surgiu após os professores Edinéia e Gilberto terem participado do curso de formação Task Design for Math Trails (Design de Tarefas para Trilhas Matemáticas), oferecido no ano de 2021 pela Universidade de Catânia, na Itália. Além da atuação dos alunos do Curso de Licenciatura em Matemática, as trilhas matemáticas ao ar livre também estão inseridas como uma das frentes do Projeto de Extensão ForMat, do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) e do Programa de Bolsas de Iniciação Científica Junior (PIBIC – EM), desenvolvidos sob a coordenação da professora Janecler Aparecida Amorin Colombo.

O projeto convida todos para percorrer as trilhas matemáticas a qualquer momento. Para tanto, é necessário que os interessados baixem o aplicativo MathCityMap (MCM), tenham conexão de internet e estejam fisicamente no local onde as tarefas/trilhas foram desenvolvidas. Destaca-se que, caso não haja rede de internet disponível no local da trilha, o usuário poderá fazer o download do trajeto previamente, pois através do MCM é possível gerar um arquivo no formato PDF e, assim, executar todas as tarefas sem acesso à rede de internet.

Enquanto ação de extensão, o objetivo do projeto é ampliar o número de trilhas matemáticas na região sudoeste a fim de divulgar a Matemática e permitir que ela possa ser explorada por diferentes públicos de forma prática e lúdica, por meio de situações reais. Em particular, destaca-se que, para fins educacionais, os professores de Matemática poderão fazer uso desse recurso pedagógico para reforçar conceitos e conteúdos matemáticos e/ou para a abordagem de um novo tópico.

Através do projeto, almeja-se também proporcionar a participação ativa e autônoma dos estudantes do curso de Licenciatura em Matemática de modo que esses possam elaborar com criticidade tarefas e trilhas matemáticas, percebendo que existem formas diferenciadas de trabalhar a matemática, para além dos muros das salas de aula.

Enquanto uma das frentes de ação do Projeto ForMat, busca-se articular possíveis parcerias entre discentes e docentes do Curso de Licenciatura em Matemática da UTFPR-PB com estudantes e docentes da rede de Educação Básica, visando popularizar o ensino de matemática ao ar livre. Já no que se refere à pesquisa, pretende-se investigar as percepções dos estudantes que elaboram as tarefas para as trilhas e daqueles que participam percorrendo-as, no sentido de ampliar possibilidades metodológicas para o ensino da matemática.

Ademais, no ano de 2021, o artigo Trilhas Matemáticas Por Meio Do MathCityMap: Apontamentos Iniciais Acerca da Proposta Piloto em Pato Branco foi apresentado no VIII SIPEM – Seminário Internacional de Educação Matemática, o que originou os demais trabalhos que estão sendo desenvolvidos pela equipe.

Em 2022, a equipe publicou o artigo Trilhas Matemáticas e Metodologias Colaborativas: Possíveis Conexões na revista GEPEM, consolidando o interesse em trazer esta proposta pioneira no Brasil para a UTFPR de Pato Branco. Também devido ao Projeto, as professoras Edinéia e Janecler tiveram uma proposta de oficina aceita no IX Encontro Nacional das Licenciaturas (ENALIC), que ocorrerá no mês de dezembro deste ano em Lajeado-RS, conferindo mais uma oportunidade para divulgar as trilhas matemáticas ao ar livre em âmbito nacional.

Participantes dos anos de 2021 e 2023 também compartilharam suas experiências com o projeto, confira alguns depoimentos:

A iniciativa do projeto é muito relevante, pois é uma forma dinâmica e aplicada de ver conteúdos trabalhados em sala, além de uma revisão. Além disso, proporciona interações entre os alunos, cativando-os no aprendizado matemático” (Bruno e Isabela, uma das duplas participantes em 2021).

Adorei trabalhar com o projeto. Tive a experiência positiva de criar/desenvolver problemas matemáticos e aplicá-los. Destaco ainda, como ponto positivo, o bom empenho dos alunos ao fazerem a trilha. É uma atividade dinâmica demais, bem interativa” (Milena Bach – bolsista PIBIC-EM – proponente da trilha 2023).