Home
/
Notícias
/
Pato Branco
/
Projeto de extensão MEDS-G2P

Projeto de extensão MEDS-G2P

Publicado 5/4/2023, 5:04:19 PM, última modificação 5/5/2023, 9:08:12 AM
Projeto de Extensão Modelo de Desenvolvimento de Software a partir de Métricas Adequadas para a Gestão de Processos e Projetos (MEDS-G2P) apresenta resultados parciais positivos da sua ação inicial no suporte de gestão à Incubadora Tecnológica de Pato Branco (ITEC-PB)

O projeto de extensão intitulado Modelo de Desenvolvimento de Software a partir de Métricas Adequadas para a Gestão de Processos e Projetos (MEDS-G2P) – Uma Proposta Para o Ecossistema do Sudoeste do Paraná, surgiu de uma demanda comum de empresas de desenvolvimento de software e incubadoras tecnológicas de coletar e aplicar métricas e indicadores a fim de favorecer as atividades de gestão. A primeira ação do projeto já apresentou resultados parciais positivos no suporte de gestão à Incubadora Tecnológica de Pato Branco (ITEC-PB), os quais foram recebidos com muito entusiasmo pelos gestores da ITEC-PB.

O projeto, que iniciou em agosto de 2021 e tem previsão de término em julho de 2024, está sendo desenvolvido por um grupo de professores e alunos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Pato Branco, em parceria com uma professora da Universidade Mater Dei (Unimater). A coordenadora do projeto é Professora Eliane Maria De Bortoli Fávero, do Departamento Acadêmico de Informática (DAINF), e as vice-coordenadoras são as professoras Viviane Dalmolin, doDAINF, e professora Ivânia Ramos dos Santos, da  Unimater. Também participam do projeto alguns professores colaboradores e alunos dos cursos de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Engenharia de Computação.

Para chegar a esses resultados parciais positivos, o projeto teve o seguinte andamento: a partir do diagnóstico realizado junto às empresas de software filiadas ao NTI, e com as startups incubadas na ITEC-PB, realizou-se, primeiramente, uma classificação das empresas com relação ao seu nível de maturidade em relação à gestão de projetos e processos e o uso adequado de métricas e indicadores.

Com isso, foi possível definir um grupo prioritário, ou seja, aquele que demandou maior atenção com relação aos objetivos do projeto. Dessa forma, o projeto passou a focar na ITEC-PB, incluindo startups incubadas e a própria incubadora.

Na sequência, foram feitas entrevistas com cada uma das empresas e com a gestão da incubadora, buscando detectar qual seria o modelo de gestão e as métricas e indicadores mais adequados para cada caso.

A ITEC-PB tem efetuado ações de implementação da metodologia CERNE, iniciando pelo primeiro nível (CERNE 1), o qual foi responsável por embasar a definição das métricas aplicadas ao dashboard da incubadora.

A metodologia intitulada CERNE foi desenvolvida pela parceria entre o SEBRAE e Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (ANPROTEC). Essa metodologia tem o objetivo de criar uma plataforma de soluções, a fim de ampliar a capacidade de incubadoras em gerar empreendimentos inovadores e bem-sucedidos (ANPROTEC, 2018).

Trata-se de um modelo inspirado no modelo de apoio às micro e pequenas empresas existentes nos Estados Unidos, o Small Business Development Centers (SBDCs), que se refere a um programa de geracão de oportunidades para pequenas empresas. Sendo assim, o objetivo principal do CERNE é oferecer uma ferramenta para que incubadoras, de diferentes áreas e tamanhos, possam utilizar elementos básicos para garantir o sucesso das empresas para as quais oferecem suporte.

Nesse contexto, o trabalho iniciou pela implementação de um conjunto de dashboards para dar suporte à gestão da ITEC-PB. Fazendo uso de dados já existentes na incubadora, registrados em planilhas de cálculo, foi realizado um pré-processamento desses dados, de forma a torná-los estruturados e adequados para a implementação de um dashboard. Para a incubadora, o dashboard objetiva apresentar indicadores relacionados às demandas das empresas incubadas, ao nível de crescimento das empresas, entre outros.

O resultado dessa etapa foi recebido com muito entusiasmo pelos atuais gestores da ITEC-PB, Silvia Scariotto e Aline Sasso, assim como pelo então secretário de Ciência e Tecnologia Giles Balbinotti. Eles destacaram que a ferramenta vem sendo usada com muito sucesso pela incubadora.

De acordo com Silvia e Aline, “a ferramenta tem agilizado e facilitado processos de gestão interna e acompanhamento dos incubados”. Elas citaram o uso da ferramenta em atividades de planejamento estratégico e também em reuniões com a diretoria para a tomada de decisões, destacando, ainda, que os painéis de dados facilitaram o monitoramento de cada incubada, acelerando diagnósticos e ações.

Importante ressaltar que a ferramenta poderá ser aplicada por outras incubadoras apoiadas pelo SEBRAE-PR e que fazem uso da metodologia CERNE para gestão de incubadoras.

Objetivos do projeto

O projeto MEDS-G2P busca a conscientização de gestores e colaboradores de empresas do setor de TI, sobre a importância de uma gestão de projetos eficaz; investigar o contexto de empresas de software da região Sudoeste do Paraná com relação a aplicação de métricas de processos e projetos; e propor e aplicar um modelo de gestão de processos e projetos (MEDS-G2P) alinhado às necessidades das empresas investigadas.

Além disso, procura realizar a integração entre a universidade e empresas de desenvolvimento de software, por meio dos cursos correlatos (Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Bacharelado em Sistemas de Informação e Engenharia de Computação), visando transformações benéficas para ambas as partes; e valorizar a área de Engenharia de Software e suas subáreas, a partir da socialização e aplicação do seu corpo de conhecimentos, obtido via universidade.

Por fim, visa possibilitar a integração do ensino, pesquisa e extensão nos cursos envolvidos; proporcionar meios para que ocorra a interdisciplinaridade nos cursos e entre os cursos envolvidos no projeto; e oferecer oportunidades para que os servidores da UTFPR possam realizar a extensão universitária, motivando os estudantes de graduação a atuarem precocemente em sua área profissional, conhecendo a realidade do mercado e aplicando os conhecimentos obtidos na academia.

Parceiros

São parceiros nesse projeto a Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, OCAM Engenharia (Empresa Júnior dos cursos de Engenharia de Computação e Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UTFPR - Campus Pato Branco), Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), Empresas de desenvolvimento de software de Pato Branco e região, Parque Tecnológico de Pato Branco e Incubadora Tecnológica de Pato Branco (ITEC-PB), Universidade Mater Dei (Unimater) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).