Home
/
Notícias
/
Ponta Grossa
/
Nariz eletrônico

Nariz eletrônico

Publicado 6/17/2020, 3:51:23 PM, última modificação 11/7/2022, 11:25:48 AM
Equipamento desenvolvido por professores das universidades de Ponta Grossa determina tempo ideal para a colheita de frutos

Um “nariz eletrônico” ganhou destaque nas últimas semanas, após a publicação de artigo científico no IEEE Sensors Journal. O produto foi criado por professores da UTFPR Câmpus Ponta Grossa e da UEPG (Mestrado em Computação Aplicado à Agricultura - PPGCA), com o objetivo de definir o ponto exato para a colheita de pêssegos; no estudo publicado, o equipamento obteve 98% de precisão.

Ao maturar, os pêssegos possuem um aroma particular. Especialistas afirmam que no período adequado para colheita eles exalam uma combinação única de álcoois, ésteres, cetonas e aldeídos, que poucos agricultores com treinamento podem detectar com perfeição.  O sistema criado pelos docentes, com sensores de gás sensíveis a compostos orgânicos voláteis específicos, faz medições que são digitalizadas e pré-processadas por um microcontrolador.

Com o novo sistema desenvolvido nas universidades de Ponta Grossa, o algoritmo de reconhecimento classifica os frutos em imatura, madura e super maduro, e com a transmissão via Bluetooth ou USB para um computador analisar, oportuniza ao agricultor a possibilidade de acompanhar a evolução da sua cultura até mesmo on-line. 

O pesquisador Sergio Luiz Stevan Jr., um dos professores responsáveis pelo estudo, explica que esta é uma das alternativas que o produtor possui, ressaltando vantagens, como “o fato de estar on-line, realizar análises contínuas em tempo real em um ambiente aberto e não requer o manuseio direto da fruta”. Ainda, considerando microclimas dentro de grandes plantações, quando distribuídos ao longo do pomar, os sensores podem determinar diferenças no tempo de maturação das árvores, tendo em vista ventilação, chuva ou solo diferentes de uma árvore para outra.

O estudo sobre o sistema de nariz eletrônico, publicado em 4 de junho, pode ser acessado na íntegra no IEEE Sensors Journal (link).