Home
/
Campus
/
Campus Ponta Grossa
/
Candidatos à Reitor visitam o Campus

Candidatos à Reitor visitam o Campus

Publicado 5/22/2024, 3:24:11 PM, última modificação 5/22/2024, 3:36:06 PM
Consulta informal deverá ser realizada no dia 12 de junho por meio de sistema de votação eletrônica

Três candidatos disputam as eleições para Reitoria da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). As candidaturas homologadas foram as dos servidores docentes Everton Ricardi Lozano da Silva, Heron Oliveira dos Santos Lima e Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho.

O cronograma divulgado pela Comissão Eleitoral Paritária (CEP), definiu que a votação da consulta informal deverá ser realizada no dia 12 de junho, das 8h às 21h, por meio de sistema de votação eletrônica. A apuração terá início no mesmo dia, logo após o encerramento do horário de votação.

A publicação do edital das candidaturas inscritas marcou a autorização do início das campanhas, que são realizadas sob a responsabilidade de cada candidatura. De acordo com o regulamento da CEP as campanhas deverão se pautar em princípios da liberdade de expressão, da defesa do patrimônio público e da igualdade de oportunidade.

Na segunda-feira, (6), de maio o Professor Heron, que já atuou como Diretor-Geral do Campus Campo Mourão e foi Vice-Reitor da UTFPR, fez a primeira visita ao Campus Ponta Grossa. Seguido do candidato, Professor Everton, atual Diretor-Geral do Campus Dois Vizinhos, que realizou sua visita na terça-feira (14). Na sequencia, na quarta-feira, (15), foi a vez do atual Reitor e candidato a reeleição, Professor Schiefler, realizar sua visita de campanha.

Durante sua estada no campus os candidatos visitaram setores e departamentos, apresentaram suas propostas aos servidores e alunos e também se reuniram com apoiadores. Visando manter a igualdade de oportunidades entre os candidatos a Assessoria do Campus Ponta Grossa (ASCOM –PG) traz em uma reportagem única os detalhes da primeira visita realizada pelos candidatos ao campus.

Entrevista

Na sequência desta reportagem acompanhe as respostas dos candidatos aos questionamentos da ASCOM-PG durante sua visita ao campus. As entrevistas estão em ordem alfabética.

Everton Ricardi Lozano da Silva

ASCOM-PG - Qual a importância do Campus Ponta Grossa no sistema UTFPR e como será levado em conta caso seja eleito reitor?

Everton - Nós somos uma universidade multicampi, são 13 campi e todos os nossos campi têm suas competência e importância. Claro que tradicionalmente, o campus Ponta Grossa é um dos maiores (...) que nós temos fora da sede. Tem sua importância nos cursos que oferece, nos cursos de graduação e pós-graduação.  E qual o papel da reitoria que eu vejo? É propiciar e fornecer meios para que os campi dentro da sua área de atuação ou área de expertise possam se desenvolver. Como reitor eu pretendo sentar e conversar com todas as equipes diretivas, com todos os campi, traçar os projetos estratégicos de cada campus e atuar junto (...) na busca do seu projeto estratégico. (...) Na realidade, como reitoria, precisamos garantir, fomentar o que há de melhor ou a expertise do campus e valorizá-la. Isso nós vamos fazer em todos (...), inclusive aqui em Ponta Grossa.

ASCOM –PG - Professor Everton, gostaríamos que falasse quais são as suas três prioridades como candidato a reitor?

Everton - Nós temos tantas coisas para organizar. Prioritariamente, quero fazer um trabalho articulado entre reitoria, pró-reitorias e os campi no quesito comunicação. Nós precisamos melhorar a nossa comunicação interna e o fluxo de informações. Para que a gente possa realizar as atividades da maneira mais síncrona possível.  Outro ponto que julgo extremamente importante é desenvolver um planejamento em conjunto, os 13 campi da UTFPR planejando a instituição. Assim nós vamos ressignificar o nosso conselho de administração e planejamento, porque que infelizmente não realizamos essa atividade de planejamento. Talvez, a mais desafiadora a se pensar é toda a nossa estrutura de organização da universidade. Precisamos rever essa estrutura e rediscutir a nossa universidade para que nós possamos planejar o futuro da nossa instituição.

Heron Oliveira dos Santos Lima

ASCOM-PG - Professor Heron, qual a importância do Campus Ponta Grossa no sistema UTFPR e como será levado em conta caso seja eleito reitor?

Heron - Ponta Grossa é uma das referências. É um campus importante por ter começado como parte integrante dos campi que deram origem à história, ainda das escolas técnicas, que depois foi transformada em UTFPR. Tem curso de Pós-Graduação consolidado e curso de graduação que merece um pouco mais de atenção em razão do cenário que você avizinha, das perdas sucessivas de alunos e o interesse da sociedade nas universidades públicas. Então acho que Ponta Grossa tem um papel, sobretudo, de trazer de volta a institucionalidade, que é uma das propostas da nossa campanha.

ASCOM-PG – Professor Heron, gostaríamos que falasse quais são as suas três prioridades como candidato a reitor?

Heron - Eu vou dizer para você, que a principal prioridade vai ser recuperar a institucionalidade e como a sociedade vê o papel da universidade. Segundo, a gente precisa resgatar a auto-estima dos nossos servidores e professores, para que os alunos - como o principal ativo da nossa missão - possam entender que a universidade é diferente de uma instituição privada. A universidade oferece ensino, pesquisa, extensão e empreendedorismo, além daquelas atividades e o ensino que tradicionalmente acontecem nas faculdades privadas. (...) Outra questão importante, a gente precisa rever o papel de cada um dos atores, dos técnicos administrativos, dos professores e dos nossos alunos.

Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho

ASCOM-PG - Qual a importância do Campus Ponta Grossa no sistema UTFPR e como será levado em conta caso seja reeleito reitor?

Schiefler - O campus Ponta Grossa é um dos mais consolidados que nós temos, ele tem um trabalho robusto no ensino, na pesquisa, na extensão, por tanto, é o campus que tem também algumas situações a serem atendidas, como a relação na força de trabalho que está desequilibrada, a questões dos técnicos administrativos e dos docentes. Nós estamos trabalhando nesse sentido, para que os demais campi  tenham esse equilíbrio e para que o Campus Ponta Grossa possa continuar com esse protagonismo (...). Com certeza vamos continuar trabalhando, como temos feito para que o campus, na cidade de Ponta Grossa, seja cada vez mais uma instituição que trabalhe integrado com o poder público municipal, com a sociedade civil organizada, com o meio empresarial, industrial e comercial, que o campus continue como tem sido feito nos últimos anos, sendo um dos principais atores do desenvolvimento econômico do município, da formação de profissionais muito qualificados, na geração de conhecimento e principalmente do atendimento às demandas, com apresentações de soluções para os problemas. Ponta Grossa é o campus que tem equilíbrio na questão da graduação e pós-graduação, ambos muito consolidados e com áreas de excelência. Nós como reitoria vamos continuar dando esse apoio para que o campus cresça ainda mais na importância regional, no Estado do Paraná e que continue sendo uma referência para toda a cidade, agora com seus 31 anos.

ASCOM-PG – Professor Schiefler gostaríamos que falasse quais são as suas três prioridades como candidato a reitor?

Schiefler - Às propostas elas têm ligação também às ações do primeiro mandato, o carro chefe dessas propostas é a reestruturação do nosso organograma, ou seja, o modelo de gestão da universidade. Isso já é uma necessidade que muitos levantam, a maioria das pessoas percebem que aquele modelo matricial que foi proposto há 18 anos, não se consolidou (...), precisamos agora fazer os devidos ajustes para que os campi, em função do seu tamanho, das suas atividades, da forma que eles atuam, principalmente na área de pesquisa, para que possam ter esse apoio maior da reitoria. Essa reestruturação que é a rediscussão dos documentos a partir do estatuto dos regimentos e alguns regulamentos é uma das atividades principais, vamos continuar trabalhando com a estruturação das diretrizes de modelos para apresentar de forma ampla, com um trabalho que virá da base de toda a comunidade, para depois chegar ao nosso conselho máximo e ser apreciado. À luz do que aconteceu com a própria criação da pró-reitoria de assuntos estudantis, que ocorreu (...) recentemente, aprovado com unanimidade. Outra ação importante é o apoio da reitoria ao processo de curricularização dos nossos cursos de graduação, essa será uma ação enorme porque nós temos mais de 100 cursos de graduação com a inserção da atividade de 10% ao menos em extensão, nós temos um projeto de apoio, já criamos um edital de R$ 1 milhão e 200 mil reais com apoio dos campi para esse auxílio financeiro a projetos (...). O terceiro objetivo é continuar nesse processo de nacionalização e internacionalização. Com a nacionalização da universidade nós temos uma inserção muito maior da universidade nas esferas de decisão em órgãos estaduais, nos municípios e nacional, com representação efetiva da universidade, e queremos com esse processo aumento de visibilidade e também gerar mais procura de candidatos, gerar mais instituições interessadas em parcerias nos nossos projetos de pesquisa e extensão, ou seja, ampliar a rede. Esse é um processo que já é notável, já estão entendendo que a UTFPR é uma instituição, que tem uma história e que tem muito potencial, mas queremos continuar levando essa interface cada vez maior, com a sociedade e os setores.

Como acontece a escolha de reitor?

A CEP é responsável por organizar a consulta informal junto à comunidade universitária. O resultado dessa consulta será encaminhado ao Conselho Universitário (Couni). A lista tríplice, organizada a partir da consulta informal, será votada posteriormente pelos conselheiros, em sessão marcada para o dia 28 de junho. Por serem procedimentos independentes, a eleição no Couni também exige inscrições prévias dos candidatos. O processo eleitoral no colegiado é regido por um regulamento próprio. Após a votação no Couni a lista tríplice é encaminhada ao presidente da República, autoridade que tem a prerrogativa legal de nomear os reitores das universidades federais brasileiras.

Reportar erro