Home
/
Notícias
/
Últimas notícias
/
Divulgação Científica
/
Pesquisadores da UTFPR farão parte do novo Napi Eletrônica Orgânica

Pesquisadores da UTFPR farão parte do novo Napi Eletrônica Orgânica

Publicado 6/19/2024, 9:52:07 AM, última modificação 6/20/2024, 10:00:52 AM
Lançamento será no dia 25 e o grupo contará com a participação de 10 pesquisadores da Universidade

Foto: Freepik

Na próxima semana, pesquisadores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) estarão oficialmente integrando o Novo Arranjo de Pesquisa e Inovação (NAPI) Eletrônica Orgânica, mantido pelo Governo do Estado do Paraná, por meio da Fundação Araucária (FA) e da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti). O novo Napi reunirá 10 pesquisadores da UTFPR, sendo oito do Campus Curitiba, um de Toledo e um de Londrina. O evento de lançamento será no dia 25, às 14h30, no Auditório Gregor Mendel, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), em Curitiba, e será transmitido pelo canal da Fundação Araucária no Youtube.

Além dos professores da UTFPR, farão parte do grupo participantes de instituições como a da Universidade Estadual de Londrina (UEL), da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), da PUC-PR, da Universidade de Aveiro (Portugal), da Universidade de Karlstad (Suécia), do Lactec, da Polícia Federal e das empresas Sanepar, Labgeo, Bosch, America R&D e Grafeno do Brasil.

Segundo a coordenadora do Napi, Andreia Gerniski Macedo, o objetivo das pesquisas será o de atuar fortemente em temas relacionados ao meio ambiente. “Uma das motivações da equipe é desenvolver meios para monitorar os poluentes na água, visando garantir a saúde pública, preservar ecossistemas aquáticos e proteger os recursos hídricos para as futuras gerações. Na agricultura, teremos atuação no monitoramento e quantificação de bactérias promotoras do crescimento de plantas. Portanto, o desenvolvimento de sensores com tecnologia nacional para o monitoramento da qualidade do ar, água e solo em diversas regiões do Estado no Paraná vem de encontro a estes temas. O foco no meio ambiente permanece na busca do grupo pelo desenvolvimento de novos dispositivos de conversão (fotovoltaicos) e para armazenamento de energia (baterias, supercapacitores) de energia, preferencialmente com o uso de tecnologias com menor custo e rotas verdes de produção”, explica a professora do Campus Curitiba.

Ainda de acordo com Andreia, no âmbito acadêmico, os participantes pretendem “fabricar em laboratório e caracterizar dispositivos voltados para energia: fotovoltaicos orgânicos, supercapacitores e baterias. Outro objetivo é desenvolver e caracterizar dispositivos óticos orgânicos, descartáveis e não poluentes, como detectores de moléculas específicas em meios fluidos (gases e líquidos), além de desenvolver dispositivos eletroquímicos orgânicos-inorgânicos como detectores de moléculas e biomoléculas específicas em diferentes matrizes”. 

Já as parcerias com empresas e outras instituições públicas têm objetivos específicos como a síntese de grafeno por esfoliação química, desenvolvimento de sensores de pressão com custo reduzido, entre muitos outros. A parceria com a Polícia Federal, por exemplo, pretende criar formas de detectar substâncias ilícitas em águas residuais e desenvolver sensores óticos para detectar vapores de explosivos.

Pesquisadores UTFPR

Além da pesquisadora Andreia, participam pela UTFPR os professores do Campus Curitiba Paula Cristina Rodrigues, Roberto Mendonça Faria, Poliana Macedo dos Santos, Alexandre de A. Prado Pohl, Wilson José da Silva, Neri Volpato, Arandi Ginane Bezerra Jr; o professor do Campus Londrina, Carlos Eduardo Cava; e o professor do Campus Toledo, Douglas José Coutinho.

Reportar erro